Perfil profissional dos correspondentes internacionais brasileiros

  • Luciane Fassarella Agnez Centro Universitário Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB)
  • Dione Oliveira Moura Universidade de Brasília (UNB)
Palavras-chave: jornalismo internacional, correspondente internacional, perfil profissional

Resumo

Neste artigo observamos a correspondência internacional, enquanto um posto de trabalho na profissão jornalística, a partir da mitologia criada em torno do seu status e passando pelas transformações decorrentes da introdução de novas tecnologias, da política empresarial e do contexto geopolítico. Chegamos às principais características e ao perfil profissional dos correspondentes brasileiros por meio de questionários aplicados a jornalistas brasileiros que atuam ou atuaram como correspondentes internacionais durante a carreira, com o objetivo de levantar informações sobre o perfil sociodemográfico, as trajetórias individuais e as competências que eles mais valorizam para o exercício da atividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciane Fassarella Agnez, Centro Universitário Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB)
Doutora pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade de Brasília e Professora do Centro Universitário IESB.
Dione Oliveira Moura, Universidade de Brasília (UNB)
Doutora em Ciências da Informação, pela Universidade de Brasília, e Professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação, Faculdade de Comunicação - UNB.

Referências

ARCHETTI, Cristina. Which future for foreign correspondence? Journalism Studies, v. 13, n. 5- 6, p. 847 – 856, 2012.

BRASIL, Antônio. A construção da imagem do Brasil no exterior. Revista Famecos. Porto Alegre, v. 19, n. 3, p. 775-794, set./dez 2012.

HAMILTON, J. M.; JENNER, E. Redifinning foreign correspondence. Journalism, v. 5, n. 3, p. 301-321, 2004.

HANNERZ, Ulf. Foreign news. Exploring the world of foreign correspondents. Chicago: The University of Chicago, 2004.

HUGHES, Everett C. The Professions in Society. The Canadian Journal of Economics and Political Science, v. 26, n. 1, p. 54-61, 1960. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/138818. Acesso em: 22 out. 2013.

LE CAM, Florence. L’identité du groupe des journalistes du Québec au défi d’Internet. [Tese de doutorado]. Université Laval / Québec, Universite de Rennes 1 / France, 2006.

LEWIS, Dannika. Foreign Correspondents in a Modern World. The past, present and possible future of global journalism. The Elon Journal of Undergraduate Research in Communications, v. 1, n. 1, 2010.

MICK, Jacques; LIMA, Samuel (org). Perfil do jornalista brasileiro. Florianópolis: Insular, 2013.

MOORE, Martin. Shrinking World. The decline of international reporting in the British press. Media Standards Trust, 2010.

NATALI, João Batista. Jornalismo Internacional. São Paulo: Contexto, 2004.

PEREIRA, Fábio. Possibilidade de aplicação do conceito de carreiras profissionais nos estudos sobre jornalismo. In: PEREIRA, Fábio; MOURA, Dione; ADGHIRNI, Zélia. Jornalismo e sociedade. Teorias e metodologias. Florianópolis: Insular, 2012. p. 81-98.

ROCHA, Sara de Melo. Brazilian Correspondents in Europe: Careers, Routines, Networks, News Coverage and Role Conceptions. [Dissertação de Mestrado] Graduate School of Communication, Universitait van Amsterdam, Amsterdam, 2013.

SILVA, Carlos Eduardo Lins da. Correspondente internacional. São Paulo: Contexto, 2011.

TRAVANCAS, Isabel. O mundo dos jornalistas. 4. Ed. São Paulo: Summus, 2011.

WILLIAMS, Kevin. International journalism. London: Sage, 2011.

Publicado
2015-07-03
Como Citar
Agnez, L. F., & Moura, D. O. (2015). Perfil profissional dos correspondentes internacionais brasileiros. Revista FAMECOS, 22(3), 41-60. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2015.3.19430
Seção
Jornalismo