Espaço e paisagem nos filmes de Patrick Keiller

  • Angela Prysthon Universidade Federal de Pernambuco / Centro de Artes e Comunicação Av. Prof. Moraes Rego, 1235 - Cidade Universitária, Recife - Pernambuco - Brasil - CEP: 50670-901
Palavras-chave: Espaço, Paisagem, Crítica urbana

Resumo

Partindo da sensibilidade definida pelo flâneur desde o século XIX, discutiremos os filmes de Patrick Keiller. Seus “documentários ficcionalizados” são herdeiros diretos da consciência e da sensibilidade (essencialmente modernas) do andarilho urbano. Seus travelogues demonstram sua consistente exploração das relações entre espaço arquitetônico e espaço fílmico. O trabalho de Keiller pode também ser associado a uma espécie de movimento mais específico dentro da cultura britânica dos últimos trinta anos: o de observação e análise das cidades, da vida urbana e do urbanismo do pós-guerra e de certo modo também de crítica à sedimentação do capitalismo pós-thatcherista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Angela Prysthon, Universidade Federal de Pernambuco / Centro de Artes e Comunicação Av. Prof. Moraes Rego, 1235 - Cidade Universitária, Recife - Pernambuco - Brasil - CEP: 50670-901

Angela Prysthon é professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da UFPE. Doutora em Teoria Crítica pela Universidade de Nottingham. 

Referências

BRUNDSDON, Charlotte. London in Cinema. The Cinematic City since 1945. Londres: BFI, 2007.

COVERLEY, Merlin. Psychogeography. Harpenden: Pocket Essentials, 2010.

CAMPBELL, James. “Rimbaud and Verlaine in London”, The Threepenny Review, 2001. Disponível em: ttp://www.threepennyreview.com/samples/campbell_su01.html. Acesso em: 5 fev. 2014.

DANIELS, Stephen. Paris Envy: Patrick Keiller’s London, History Workshop Journal, v. 1, n. 40, p. 220-222, 1995.

DAVE, Paul. Representations of Capitalism, History and Nation in the Work of Patrick Keiller. In: ASHBY, Justine e HIGSON, Andrew (Org.). British Cinema, Past and Present. Londres: Routledge, 2000. p. 339-351.

DEFOE, Daniel. A Tour Through The Whole Island of Great Britain. Adelaide: University of Adelaide, 2012. Disponível em: http://ebooks.adelaide.edu.au/d/defoe/daniel/britain/. Acesso em: 5 fev. 2014.

GAZIRE, Nina. A psicogeografia do caminhar. Istoé, 20 de janeiro de 2012. Disponível em: http://www.istoe.com.br/reportagens/187450_A+PSICOGEOGRAFIA+DO+CAMINHAR. Acesso em: 10 fev. 2014.

HATHERLEY, Owen. A Guide to the New Ruins of Great Britain. Londres: Verso, 2010.

______. How Patrick Keiller is mapping the 21st-century landscape. The Guardian, 30 de março de 2012. Disponível em: http://www.theguardian.com/artanddesign/2012/mar/30/patrick-keiller-robinson-tateexhibition. Acesso em: 5 fev. 2014.

HEGGLUND, Jon. Patrick Keiller’s Ambient Narratives: Screen Ecologies of the Built Environment, ISLE, v. 20, n. 2, p. 274-295, Spring 2013.

HUTCHEON, Linda. Teoria e política da ironia. Belo Horizonte: UFMG, 2000.

JACKSON, John Brinckerhoff. Discovering the Vernacular Landscape. New Haven: Yale University Press, 1984.

KEILLER, Patrick. The View From The Train. Cities & Other Landscapes. Londres: Verso, 2013.

MACDONALD, Scott. Towards an Eco-Cinema. Interdisciplinary Studies of Literature and Environment, v. 11, n. 2, p. 107-132, 2004.

O’ROURKE, Karen. Walking and Mapping. Artists as Cartographers. Cambridge, Mass: The MIT Press, 2013.

RIMBAUD, Jean Arthur. Iluminações. Uma cerveja no inferno. Lisboa: Cor, 1972.

RUOFF, Jeffrey. Introduction: The Filmic Fourth Dimension: Cinema as Audiovisual Vehicle in RYOFF, Jeffrey (Org.). Virtual Voyages. Cinema and Travel. Londres/Durham: Duke University Press, 2006. p. 1-23.

SOLNIT, Rebecca. Wanderlust. A History of Walking. Londres: Penguin, 2000.

Publicado
2015-02-04
Como Citar
Prysthon, A. (2015). Espaço e paisagem nos filmes de Patrick Keiller. Revista FAMECOS, 21(3), 1140-1167. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2014.3.17813
Seção
Cinema