A mise em scène no cinema: do clássico ao cinema de fluxo

  • Emiliano Cunha Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Cinema, história do cinema, mise em scène

Resumo

Resultado da pesquisa realizada para uma dissertação de mestrado, A mise em scène no cinema: do clássico ao cinema de fluxo (2013), de Luiz Carlos Oliveira Junior, acabou se tornando obra de referência para quem quer entender as transformações que o cinema sofreu desde sua manifestação clássica até o conceito de fluxo, que contaminou certa produção a partir da década de 1990. Partindo da ideia de mise em scène e da ótica da crítica francesa, em especial da consagrada revista Cahiers du Cinéma, o autor realiza um minucioso trabalho de garimpagem atrás de textos que deem conta deste conceito que, em última instância, molda aquilo de que os filmes se constituem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emiliano Cunha, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Mestre em Comunicação pelo PPGCom da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Referências

OLIVEIRA JUNIOR, Luiz Carlos. A mise em scène no cinema: do clássico ao cinema de fluxo. Campinas: Papirus, 2013.

Publicado
2014-06-03
Como Citar
Cunha, E. (2014). A mise em scène no cinema: do clássico ao cinema de fluxo. Revista FAMECOS, 21(1), 360-364. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2014.1.17610
Seção
Resenha