Metodologia quantitativa em pesquisas sobre cobertura jornalística: análise da eleição municipal de 2012 na Folha de S. Paulo

  • Emerson Urizzi Cervi Universidade Federal do Paraná
  • Michele Goulart Massuchin Universidade Federal de São Carlos
Palavras-chave: Cobertura Eleitoral, Metodologia Quantitativa, Agenda-Setting

Resumo

O artigo divide-se em duas partes. A primeira apresenta aspectos do método de análises da cobertura jornalística em veículos tradicionais. A segunda é um teste empírico da metodologia apresentada anteriormente. Para o teste é analisado o padrão de cobertura da Folha de S. Paulo nas elei-ções para prefeitura de São Paulo, em 2012. A metodologia quantitativa é usada para acompanhar a produção jornalística sobre eleições, partindo da importância que a mídia tem para o debate e agenda pública (McCombs, 2009). O objetivo do artigo é verificar como isso se aplica à cobertura da eleição de 2012. Para tanto, faz uma breve discussão metodológica para expor as variáveis utilizadas e analisa a Folha de S. Paulo durante o período eleitoral de 2012, tendo como foco a cobertura dos candidatos Fernando Haddad (PT), José Serra (PSDB) e Celso Russomano (PRB). Os resultados indicam que a Folha de S. Paulo reforça uma tendência de preferência eleitoral existente na cidade, o que contraria a hipótese do agendamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emerson Urizzi Cervi, Universidade Federal do Paraná
Doutor em Ciência Política com pesquisas na área de comunicação política. Professor do programa de pós-graduação em Comunicação e do programa de pós-graduação em Ciência Política da Universidade Federal do Paraná.
Michele Goulart Massuchin, Universidade Federal de São Carlos
Doutoranda em Ciência Política pela Universidade Federal de São Carlos. Mestre em Ciência Política pela Universidade Federal do Paraná, bacharel em Cmunicação Social - jornalismo pela Universidade Federal de Ponta Grossa/Praná.

Referências

ARRUGUETE, Natália. Los medios de comunicación y la formación de la agenda pública. Verso e Reverso, São Leopoldo, n. 41, ano XIX, jul./dez, 2005.

BAUER, Martin. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: BAUER, Martin; GASKELL, George. (Org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.

CERVI, Emerson. Métodos quantitativos nas ciências sociais: uma abordagem alternativa ao fetichismo dos números e ao debate com qualitativas. In: Ayres, J. B. (Org.). Pesquisa Social: reflexões teóricas e metodológicas. Ponta Grossa: Toda Palavra Editora, 2009.

COLLING, Leandro.Agenda-setting e framing: reafirmando os efeitos limitados. Revista Famecos, Porto Alegre, v. 1, n. 14, p. 88-101, abr. 2001.

DAVIS, James. Levantamento de Dados em Sociologia: uma análise estatística elementar. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976.

DOXA. Laboratório de Pesquisa em Comunicação Política e Opinião Pública. Disponível em: http://doxa.iesp.uerj.br. Acesso em: 29 out. 2013.

JUNIOR, José Ferreira. Capas de Jornal: a primeira imagem e o espaço gráfico visual. São Paulo: Senac, 2002.

HABERMAS, Jünger. Political Communication in mídia Society: Does Democracy still enjoy na epistemic dimension? The impact of Normative Theory on Empirical Research. Communication Teori, n. 16, pp. 411-426, 2006.

MAIA, Rousiley. Mídia e deliberação pública: mediações possíveis. In: ENCONTRO NACIONAL DA COMPÓS, 12., Recife, 2003. Anais... São Paulo: Compós, 2003.

McCOMBS, Maxwell; SHAW, Donald. The Agenda-Setting Function of Mass Media. Public Opinion Quarterly, v. 36, p. 176-187, 1972.

McCOMBS, Maxwell. New frontiers in agenda setting: Agendas of attributes and frames. Mass Comm Review, n. 24, p. 32-52, 1997.

MIRRALES, Ana Maria. Periodismo, opinión pública y agenda ciudadana. Bogotá: Norma, 2004.

NOËLLE-NEUMANN, Elisabeth. La espiral del silencio. Barcelona: Opinión Pública, 1995.

SHOEMAKER, Pamela; VOS, Tim. Gatekeeping Theory. New York: Routledge, 2009.

SILVA, Gislene. Para pensar critérios de noticiabilidade. Revista Estudos em Jornalismo e Mídia: Florianópolis, v. 2, n. 1, p. 95-107, 2005.

SILVA, Rafael. Diagramação: o planejamento visual gráfico na comunicação impressa. São Paulo: Summus, 1985.

WOLF, Mauro. Teorias da Comunicação: Mass Media: contextos e paradigmas, novas tendências, efeitos a longo prazo, o newsmaking. 6. ed. Lisboa: Presença, 2001.

Publicado
2014-01-14
Como Citar
Cervi, E. U., & Massuchin, M. G. (2014). Metodologia quantitativa em pesquisas sobre cobertura jornalística: análise da eleição municipal de 2012 na Folha de S. Paulo. Revista FAMECOS, 20(3), 840-865. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2013.3.13324
Seção
Metodologias