Desmistificando a Química: investigação das definições dos estudantes do IFRO sobre o real conceito das Reações Químicas

  • Jamile Mariano Macedo Taborda Instituto Federal de Rondônia
  • Maranei Rohers Penha Instituto Federal de Rondônia
Palavras-chave: Ensino de Química. Perfil conceitual. Reações Químicas.

Resumo

O estudo das Reações Químicas apresenta uma série de conceitos que possibilitam um entendimento mais abrangente sobre a Química como ciência, sendo o seu domínio fundamental para progredir nos demais temas propostos no Ensino Médio. Estudos publicados nas últimas três décadas reportam que um aluno que
conclui o Ensino Médio sem compreender os requisitos mínimos sobre Reações Químicas possivelmente apresentará dificuldades para assimilar os demais conceitos relacionados à disciplina. Considerando a relevância deste tema, o presente trabalho descreve a investigação das definições dos estudantes sobre o real conceito das Reações Químicas, entre os alunos dos 2º anos dos cursos Técnicos Integrados ao Nível Médio em Eletrotécnica,
Informática e Química do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia, Campus Porto Velho Calama. Foi proposto a 65 alunos, que respondessem um questionário contendo três perguntas, que avaliaram seu domínio sobre o tema. Somente 1,6% dos estudantes conseguiram diferenciar uma reação química de uma transformação física; 9% conseguiu justificar uma reação química corretamente com enfoque no universo macroscópico e 37% caracterizou o fenômeno por meio da justificativa unificando o universo macroscópico com o microscópico, no entanto, a justificativa sendo parcialmente correta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jamile Mariano Macedo Taborda, Instituto Federal de Rondônia
Licenciada em Química pela Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR), docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Porto Velho, Câmpus Porto Velho Calama, Especialista em Metodologia do Ensino na Educação,  Profissional, Científica e Tecnológica. Atualmente, mestranda em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente pela UNIR. Atua nas áreas de Química Ambiental e Toxicologia.

Maranei Rohers Penha, Instituto Federal de Rondônia

Licenciada em Geografia. Mestre em Geografia, latu sensu, em Geografia e Ensino no Contexto Amazônico. Mestre em Pedagogia, latu sensu, em Gestão Educacional.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC; SEMTEC, 1999.

BRASIL. PCN Ensino Médio: Orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Brasília: MEC; SEMTEC, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais + (PCN+) – Ciências da Natureza e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2002.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução 6/2012. Brasília: MEC, 2012. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17417&Itemid=866. Acesso em: 12 jul. 2013.

CAMPELLO, Ana Margarida. Dualidade Educacional. Dicionário da educação profissional em saúde. Rio de Janeiro, 2009. Disponível em: http://www.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/duaedu.html. Acesso em: 13 ago. 2013.

CUNHA, Luiz Antônio. Ensino Médio e Ensino Técnico na América Latina: Brasil, Argentina e Chile. Cadernos de Pesquisa, n. 111, p. 47-70, dez. 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/n111/n111a03.pdf. Acesso em: 10 ago. 2013.

DOMINGOS, D. C. A.; RECENA, M. C. P. Elaboração de jogos didáticos no processo de ensino e aprendizagem de química: a construção do conhecimento. Revista Ciências & Cognição (UFRJ), Rio de Janeiro, v. 15, p. 272-281, 20 abr. 2010. Disponível em: http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/viewFile/113/175. Acesso em: 03 mar. 2013.

FELTRE, Ricardo. Química geral. 6. ed. São Paulo: Moderna, 2004. Vol. 1.

FREIRE, Luiz Gustavo Lima. Concepções e abordagens sobre a aprendizagem a construção do conhecimento através da experiência dos alunos. Revista Ciências e Cognição (UFRJ), Rio de Janeiro, v. 9, p. 162-168, 30 nov. 2006. Disponível em: http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/597. Acesso em: 13 mar. 2013.

GIORDAM, Marcelo; GÓIS, Jackson. Telemática educacional e ensino de Química: considerações sobre um construtor de objetos moleculares. Revista Linhas Críticas, Brasília, v. 11, n. 21, p. 285-301, jan.-jul. 2005. Disponível em: http://seer.bce.unb.br/index.php/linhascriticas/article/viewArticle/5380. Acesso em: 01 mar. 2013.

JUSTI, Rosária da S. A afinidade entre as substâncias pode explicar as reações químicas? Revista Química Nova na Escola, n. 7, São Paulo, maio 1998. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc07/historia.pdf. Acesso em: 12 maio 2013.

LOPES, Alice C. R. Livros didáticos: Obstáculos ao aprendizado da ciência química. Revista Química Nova, v.15, n.3, p. 254-261, São Paulo, 1992. Disponível em: http://quimicanova.sbq.org.br/qn/qnol/1992/vol15n3/v15_n3_%20%2816%29.pdf. Acesso em: 30 maio 2013.

LUDKE; Menga, ANDRÉ, Marli. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MACHADO, Lucília Regina de Souza. Diferenciais inovadores na formação de professores para a educação profissional. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, Brasília: MEC, SETEC, v. 1, n. 1, p. 9-22. jun. 2008. Anual. ISSN: 1983-0408. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/rev_brasileira.pdf. Acesso em: 10 mar. 2013.

MACHADO, Lucília Regina de Souza. Organização da educação Profissional e Tecnológica por Eixos Tecnológicos. Revista Linhas Críticas, Brasília, DF, v. 16, n. 30, p. 89-108, jan.-jun. 2010. ISSN 1516-4896. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/lc/v16n30/v16n30a06.pdf. Acesso em: 12 mar. 2013.

MENDES, Maricleide Pereira de Lima. O conceito de Reação Química no Ensino Médio: História, transposição didática e ensino. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2011. Disponível em: http://twiki.ufba.br/twiki/pub/PPGEFHC/DissertacoesPpgefhc/Maricleide_Pereira_de_Lima_Mendes_2011.pdf. Acesso em: 12 mar. 2013.

MORTIMER, Eduardo F.; MIRANDA, L. C. Transformações: concepções dos estudantes sobre reações químicas. Química nova na escola, Seção O aluno em foco, v. 2, p. 23-26, 1995. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc02/aluno.pdf. Acesso em: 08 mar. 2013.

PERUZZO, Francisco Miragaia; CANTO, Eduardo Leite. Química na abordagem do cotidiano. 4. ed. São Paulo: Moderna, 2006. Vol. 2.

QUADROS, Ana Luiza et al. O conteúdo químico desenvolvido nas aulas da Educação Básica: o que professores consideram barreira para a aprendizagem? Resumo. XV Encontro Nacional de Ensino de Química (XV ENEQ). Brasília, DF, Brasil – 21 a 24 de julho de 2010. Disponível em: http://www.xveneq2010.unb.br/resumos/R0177-1.pdf. Acesso em: 01 mar. 2013.

SANTOS-FILHO, José Camilo dos; GAMBOA, Silvio Sánchez (Org.). Pesquisa educacional: Quantidade-Qualidade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

SANTOS, M. S. M. A. Roleta de Iões: uma nova aplicação para o ensino de Química. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação Multimídia, Universidade do Porto, 2004. Disponível em: http://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/14331. Acesso em: 05 fev. 2013.

SANTOS, Wildson; MÓL, Gerson. Química cidadã. São Paulo: Nova Geração, 2010. Vol. 2.

SCHNETZLER, R. P.; ARAGÃO, R. M. R. Importância, sentido e contribuição de pesquisas para o ensino de Química. Revista Química Nova na Escola, n. 1, p. 27-31, maio 1995. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc01/pesquisa.pdf. Acesso em: 05 fev. 2013.

SHOLLUM, B. Chemical change. A working paper of the learning in science project, n. 27, University of Waikato, NZ, 1982.

SILVA, João Roberto Ratis Tenório. Elaboração de atividades experimentais para o ensino de reações químicas elaboradas segundo a noção de Perfil conceitual. Monografia. Universidade Rural de Pernambuco. Recife, 2008. Disponível em: http://casadaquimica.files.wordpress.com/2011/01/joc3a3o-2.pdf. Acesso em: 01 mar. 2013.

USBERCO, João; SALVADOR, Edgard. Química. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

VERONEZ, Paulo Diniz; VERONEZ, Karine Nantes da Silva; RECENA, Maria Celina Piazza. Concepções dos alunos do curso de Educação de Jovens e Adultos sobre transformações químicas. Resumos VII Enpec. Florianópolis, 08 de nov. de 2009, p. 2. Disponível em: http://posgrad.fae.ufmg.br/posgrad/viienpec/pdfs/727.pdf. Acesso em: 07 abr. 2013.

WARTHA, Edson José; REZENDE, Daisy de Brito. Os níveis de representação no ensino de Química e as categorias da semiótica de Peirce. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre (UFRGS), v. 16, n. 2, p. 275-290, 2011. Disponível em: http://www.if.ufrgs.br/ienci/artigos/Artigo_ID264/v16_n2_a2011.pdf. Acesso em: 05 abr. 2013.

ZANON, D. A. V.; GUERREIRO, M. A. S.; OLIVEIRA, R. C. Jogo didático Ludo Químico para o ensino de nomenclatura dos compostos orgânicos: projeto, produção, aplicação e avaliação. Revista Ciências e Cognição, Rio de Janeiro: UFRJ, v. 13, n. 1, p. 72-81, 31 mar. 2008. Disponível em: http://www.cienciasecognicao.org/pdf/v13/cec_v13-1_m318239.pdf. Acesso em: 08 jan. 2013.

Publicado
2014-06-26
Como Citar
Macedo Taborda, J. M., & Penha, M. R. (2014). Desmistificando a Química: investigação das definições dos estudantes do IFRO sobre o real conceito das Reações Químicas. Educação Por Escrito, 5(1), 51-67. https://doi.org/10.15448/2179-8435.2014.1.15818
Seção
Artigos