Na Desconstrução de Odisseu, A Reconstrução de Penélope

  • Aline Conceição Job da Silva Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do SUl
Palavras-chave: expressão do eu, narrador autodiegético, desconstrução, descentralização

Resumo

O artigo tem por objetivo analisar a expressão do eu na reconstrução da figura de Penélope e explorar os elementos presentes em A Odisséia de Penélope, de Margaret Atwood, considerando os seguintes pontos: a construção dessa nova Penélope pelo narrador autodiegético, a partir da desconstrução de seu mito, a relação de oposição entre Penélope e figuras representativas dessa mitologia (Odisseu, Telêmaco, Helena, Escravas Mortas) e a desconstrução do mito de Odisseu. Essa análise, bem como os elementos anteriormente citados serão relacionados com questões teóricas sobre a desconstrução e a descentralização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Conceição Job da Silva, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do SUl
Golsista Graduanda de Iniciação Científica da PUC-RS, na área de Psicolinguística, com atuação em projetos de pesquisa sobre o processamento cognitivo da leitura.
Publicado
2010-12-21
Como Citar
Silva, A. C. J. da. (2010). Na Desconstrução de Odisseu, A Reconstrução de Penélope. Letrônica, 3(1), 210-219. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/letronica/article/view/7095