Segurança e defesa no Cone Sul: transições com transformações?

  • Samuel Alves Soares UNESP
Palavras-chave: Cone Sul, Políticas de defesa, Dissuasão e cooperação

Resumo

As novas condicionantes da segurança internacional, em que não somente as soberanias e relações inter-estatais possuem peso significativo, têm ensejado mudanças nas possibilidades e exigências para as políticas de defesa. Países do Cone Sul procuram estabelecer novos parâmetros na definição de suas políticas, mas se encontram tensionados entre estabelecer políticas dissuasórias, como no passado, ou instituir mecanismos de cooperação com seus vizinhos. Por outro lado, estas políticas, pela sua natureza e amplitude, inserem-se sobre temas que não são exclusivamente militares. O objetivo do artigo é analisar as condicionantes estratégicas e definições estatais acerca da dissuasão e da cooperação em segurança internacional, e identificar o grau de autonomia e a natureza das concepções originadas das forças armadas na definição das políticas de defesa. Enfim, trata-se de verificar o grau de direção política do poder civil nas definições das políticas de defesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samuel Alves Soares, UNESP
Professor na Universidade Estadual Paulista (UNESP/Franca), pesquisador do Grupo de Estudos de Defesa e Segurança Internacional (GEDES) e do Programa de Pós-Graduação em História da UNESP/Franca; Doutor em ciência política pela USP; Secretário-Executivo da Associação Brasileira de Estudos de Defesa.
Publicado
2008-12-03
Como Citar
Soares, S. A. (2008). Segurança e defesa no Cone Sul: transições com transformações?. Estudos Ibero-Americanos, 34(1). https://doi.org/10.15448/1980-864X.2008.1.4530
Seção
Artigos