Milícias Guaranis no Paraguai e Rio da Prata: alcances e limites (1649-1756)

  • Mercedes Avellaneda
  • Lia Quarleri
Palavras-chave: Milícias guaranis, Missões jesuíticas, Guerras de fronteiras

Resumo

O presente trabalho procura dar conta do impacto da criação de milícias guaranís na configuração geopolítica e socioeconômica das fronteiras rio-platenses, durante os séculos XVII e parte do XVIII. Partimos do pressuposto de que as fronteiras surgem historicamente pela articulação de interesses, ações e sentidos atribuídos pelos atores locais e pelos poderes centrais. Seguindo esta orientação, por um lado, analisaremos a influência situacional do exército missioneiro nos principais conflitos fronteiriços e políticos originados pelos governos do Paraguai e de Buenos Aires, bem como seu alcance e suas limitações na relação com a dinâmica geopolítica regional. Por outro lado, interesa mostrar o impacto dos privilégios obtidos pelas reduções jesuíticas sobre outros setores sociais bem como os efeitos negativos de sua condição de milícias do rei sobre a vida missioneira.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2007-11-29
Como Citar
Avellaneda, M., & Quarleri, L. (2007). Milícias Guaranis no Paraguai e Rio da Prata: alcances e limites (1649-1756). Estudos Ibero-Americanos, 33(1). https://doi.org/10.15448/1980-864X.2007.1.2241
Seção
Artigos