Sollertinsky, entre o património e a (re)descoberta

Génese e desenvolvimento do pensamento tripartido e destotalizante

Palavras-chave: Musicologia soviética, Crítica soviética, Estética, Interdisciplinaridade, Metodologia Tripartição

Resumo

O problema daquilo que se poderia definir como uma adequada e necessária revisão histórica referente à figura de Ivan Sollertínski (1902-1944) se apresenta ainda hoje, uma vez que a musicologia contemporânea (Ocidental) evitou deliberadamente qualquer profunda investigação sobre a atividade crítica bem como seu processo ideológico-cognitivo que particularizou a obra criativa desse estudioso. A falta de fontes, as barreiras linguísticas e a pouca disponibilidade dos textos favoreceram uma transmissão parcial desse importante legado do autor. A produção ensaística e, também, divulgada de Sollertínski é enriquecida de análises e reflexões capazes de englobar o que se poderia definir como um processo sintático de constructo artístico-compositivo. O presente artigo coloca em questão, então, a influência exercida do eixo Sollertínski Bakhtin nas obras do primeiro Chostakóvich, nas quais a simbologia crítico-literária nos permite individualizar modelos cognitivos-perceptivos (Dostoiévski-Shakespeare), assim como elementos folclóricos populares (Rabelais) distanciados dos preconceitos impostos pelo realismo socialista. A escolha das obras, como veremos, recairá em algumas composições de Chostakóvich que, mais do que outras, têm a tendência de oscilar com maior evidência em territórios extramusicais, promovendo uma linguagem de clara matriz bakhtiniana. Trata-se de uma grande “parábola composicional” de aproximadamente dez anos e que dificilmente se afasta da subjetividade de um processo criativo arquitetado, mas que oferece, especialmente nessas primeiras obras do compositor, um estilo musical imbuído de léxicos e sintaxes crítico-literárias. Deparamo-nos, dessa forma, com um envolvimento interdisciplinar que não prevê uma sobreposição de uma área sobre a outra, mas, o exato contrário, de modo a favorecer uma intertextualidade estrutural capaz de mostrar tanto as relações musicais quanto as extramusicais. O processo tripartite-detotalizante [tripartitico detotalizzante], o emblemático modelo crítico introduzido por Sollertínski, apresenta-se, portanto, como um instrumento analítico de fundamental importância historiográfica, o qual é capaz de reler a arquitetônica composicional do mesmo modo que o projeto estilístico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samuel Manzoni, Universität Zürich, Switzerland

Dottorando di ricerca presso il Musikwissenschaftliches Institut dell’Università di Zurigo (Svizzera); Laurea Magistrale presso il Dipartimento di Musica e Spettacolo dell’Università di Bologna (Italia); dal 2011 ha presenziato in molteplici convegni nazionali ed internazionali tra cui Durham, New Orleans, Istanbul, Budapest, Erevan, Helsingor, elaborando il pensiero critico di Sollertinskij sul sinfonismo europeo e l’interpretazione musicale dei personaggi shakespeariani.

Referências

ASSAY, Michelle. Akimov and Shostakovich’s Hamlet: a Soviet ‘Shakesperiment’. In: CONGRÈS DE LA SOCIÉTÉ FRANÇAISE SHAKESPEARE, 33., 2015. Actes […]. [S. I.], 2015. Disponível em: http://journals.openedition.org/shakespeare/3329. Acesso em: 18 jan. 2021.

BACHTIN, Michail. Dostoevskij. Poetica e stilistica. Einaudi: Torino, 1968.

BACHTIN, Michail. L’opera di Rabelais e la cultura popolare. Riso, carnevale e festa nella tradizione medievale e rinascimentale. Torino: Einaudi, 1979.

CASSOTTI, R. S. Music, Answerability, and Interpretation in Bakhtin’s Circle: reading together M. M. Bakhtin, I. I. Sollertinsky, and M. V. Yudina. In: Chronotope and Environs: Festschrift for Nikolay Pan’kov, Moscow-Barant. [S. l.: s. n.], 2011.

CLARK, Katerina; DOBRENKO, Evgeny. Soviet Culture and Power. A History in Documents, 1917–1953. [S. I.]: Yale University Press, 2006.

CRAIG, Edward Gordon. Il mio teatro: L’arte del teatro; Per un nuovo teatro; Scena introduzione a cura di Ferruccio Marotti. Milano: Feltrinelli Editore, 1971.

FAIRCLOUGH, Pauline. Mahler reconstructed: Sollertinsky and the Soviet Symphony. The Musical Quarterly, v. 85, n. 2, Summer 2001.

FAIRCLOUGH, Pauline. A Soviet Credo: Shostakovich’s Fourth Symphony. Burlington, VT: Ashgate, 2006.

FROLOVA-WALKER, Marina (Music and Soviet power, 1917-1932). Woodbridge, UK: The Boydell Press, 2012.

GROSSMAN, Leonid. Dostoevskij artista. Milano: Bompiani, 1961.

GYÖRGY, Lukács. La nascita del romanzo, in Problemi di teoria del romanzo. Metodologia letteraria e dialettica storica. Torino: Einaudi, 1976.

PITCHES, J., Science and the Stanislavsky Tradition of Acting. London: Routledge, 2006.

PULCINI, Franco. Šostakovič. Torino: EDT, 1988.

SCENARIO: RIVISTA MENSILE DELLE ARTI DELLA SCENA. Amleto bolscevico e codino. Roma: Treves-Treccani-Tumminelli Editori, 1932.

SMIRNOV, Aleksandr. Shakespeare: A Marxist Interpretation. Critic’s Group, 1936.

SOLLERTINSKIJ, Ivan Ivanovič. «Gamlet» Šekspira i evropejskij gamletizm (L’Amleto di Shakespeare e l’amletismo europeo) in Pamjati I. I. Sollertinskogo (In memoria di I. I. Sollertinskij) edito da L. Micheeva. Leningrado: Sovetskij Kompozitor, 1974.

SOLLERTINSKIJ, Ivan Ivanovič. Hector Berlioz (a cura di Samuel Manzoni e Simona Nicoli). Lucca: LIM Editore, 2017.

SOLLERTINSKIJ, Ivan Ivanovič. Istorič eskie tipy simfonič eskom dramaturgii (Tipologie storiche di drammaturgia sinfonica) in Izbrannye Stat’i o Muzyke (Articoli scelti sulla musica). Leningrado: Leningradskaja Filarmonija, 1946.

SOLLERTINSKIJ, Ivan Ivanovič. Simfonii Malera (Le sinfonie di Mahler) in Musykal’no-istoričeskie etjudy (Studi storico-musicali). Leningrado: Muzgiz, 1956.

SOLLERTINSKIJ, Ivan Ivanovič. Musica e letteratura al tempo dell’Unione Sovietica (a cura di Samuel Manzoni). Lucca: LIM Editore, 2017.

CHRISTOPHER, R. Wilson. William Shakespeare. In: SADIE, Stanley; TYRRELL, John (ed.). The New Grove Dictionary of Opera. London: Macmillan, 1992. v. 4.

Publicado
2021-12-31
Como Citar
Manzoni, S. (2021). Sollertinsky, entre o património e a (re)descoberta: Génese e desenvolvimento do pensamento tripartido e destotalizante. Letras De Hoje, 56(3), 433-452. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2021.3.41839
Seção
Dossiê: Estudos Bakhtinianos Contemporâneos