Percursos de ditongos crescentes no Português Brasileiro

  • Thaïs Cristófaro Silva Universidade Federal de Minas Gerais
  • Ingrid Faria Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: onologia, Ditongo, Redução vocálica, Cancelamento vocálico, Modelos dinâmicos.

Resumo

Este artigo apresenta a análise de alguns percursos atestados nas trajetórias sincrônicas dos ditongos crescentes no Português Brasileiro (PB) falado na cidade de Belo Horizonte. Tais percursos refletem instâncias dinâmicas e gradientes de parâmetros articulatórios envolvidos na produção de ditongos crescentes, como os encontrados em palavras como cárie e árduo. Como perspectiva teórica adotamos princípios dos modelos multirrepresentacionais, dos Modelos Dinâmicos e de modelos que analisam os fenômenos linguísticos na perspectiva dos Sistemas Adaptativos Complexos. Sugerimos que os vários percursos analisados para os ditongos crescentes, ou seja: (hiato, ditongo, monotongo, cancelamento de vogal) levam à emergência de um novo padrão fonológico no PB: a ocorrência de diversas consoantes em posição final de palavra. Argumentamos que a emergência do novo padrão fonológico – consoantes finais diversas em final de palavra – reflete o estágio atual das possibilidades de auto-organização do sistema fonológico do PB.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thaïs Cristófaro Silva, Universidade Federal de Minas Gerais
Professora Titular em Fonética e Fonologia
Ingrid Faria, Universidade Federal de Minas Gerais
Bacharel em Linguística

Referências

ALBANO, Eleonora. O gesto e suas bordas: esboço de fonologia acústico-articulatória do português brasileiro. Campinas: Mercado de Letras, 2001. 272 p.

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. 37. ed. rev. ampl. Rio de Janeiro: Lucerna, 2003.

BISOL, Leda (Org.). Introdução aos estudos da fonologia do português brasileiro. 4. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2005. 286 p.

BISOL, Leda. O ditongo na perspectiva da fonologia atual. D.E.L.T.A., v. 5, n. 2, p. 185-224, 1989.

BECKNER, C.; BLYTHE, R.; BYBEE, J.; CHRISTIANSEN, M. H.; CROFT, W.; ELLIS, N. C.; HOLLAND, J.; KE, J.; LARSEN-FREEMAN, D.; SCHOENEMANN, T. The Five Graces Group’. Language is a complex adaptive system. Position paper. Language Learning, v. 59, Suppl. 1, p. 1-27, 2009.

BOERSMA, Paul; WEENINK, David. Praat: doing phonetics by computer. Versão Amsterdam: University of Amsterdam, 24 jun. 2007. Disponível em: <http://www.fon.hum.uva.nl/praat/download_win.html>. Acesso em: 26 jun. 2007.

BYBEE, Joan. Phonology and language use. Cambridge: Cambridge, 2001.

BYBEE, Joan. Language, use and cognition. New York: Cambridge University Press, 2010.

CALLOU, Dinah; LEITE, Yonne. Iniciação à fonética e à fonologia. 2. ed. rev. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1990. (Coleção Letras).

CÂMARA JR., J. Matoso. Estrutura da língua portuguesa.

ed. Petrópolis: Vozes, 1977.

CRISTÓFARO SILVA, T. Dicionário de fonética e fonologia. São Paulo: Contexto, 2011.

ELLIS, N.; LARSEN-FREEMAN, D. Language as a complex and adaptative system. Language Learning, University of Michigan, v. 59, Suppl. 1, Dec. 2009.

FARIA, Ingrid. Percursos gradientes no cancelamento de ditongos crescentes átonos. Monografia (Bacharelado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, 2013.

FOULKES, P.; DOCHERTY, G. The social life of phonetics and phonology. Journal of Phonetics, v. 34, n. 4, p. 409-438, 2006.

GONÇALVES, C. A. V.; RODRIGUES, M. C. Encontros vocálicos finais átonos na fala carioca: abordagem por ranking de restrições. Letras & Letras (UFU, impresso), v. 28, p. 186-208, 2012.

HORA, Dermeval da. Monotongação de ditongos crescentes: realidade linguística e social. In: LOBO, Tânia (Org.). Rosae. Salvador: EDUFBA, 2013. v. 1. p. 349-357.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S.; FRANCO, F. M. M. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

JOHNSON, K. Speech perception without speaker normalisation. In: JOHNSON, K.; MULLENIX, J. W. (Ed.). Talker variability without in speech perception. San Diego: Academic Press, 1997. p. 145-165.

KRISTIANSEN, G. Towards a usage-based cognitive phonology. IJES, v. 6, n. 2, p. 107-140, 2006.

LUFT, Celso Pedro. Moderna gramática brasileira. 2. ed. rev. e atual. São Paulo: Globo, 2002.

MAZZONI, D. Audacity: Free sound editor and recording software. Versão 2.0.2. 1999. Disponível em: <http://audacity.sourceforge.net/download/>. Acesso em: jun. 2013.

PEIXOTO, Jaqueline dos Santos. O ditongo em português: história, variação e gramática. Revista Linguística – Revista do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal do Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, jun. 2011.

PIERREHUMBERT, J. Exemplar dynamics: Word frequency, lenition and contrast. In: BYBEE, J.; HOPPER, P. (Ed.). Frequency effects and the emergence of linguistic structure. Amsterdam: John Benjamins, 2001. p. 1-19, Disponível em: .

PIERREHUMBERT, J. Probabilistic phonology: discrimination and robustness. In: BOD, R.; HAY, J.; JANNEDY, S. (Ed.) Probabilistic linguistics. Probability theory in linguistics. Cambridge: The MIT Press, 2003. p. 175-228. Disponível em: .

PORT, R. How are words stored in memory? Beyond phones and phonemes. In: New Ideas in Psychology, v. 25, p. 143-170, 2007.

ROCHA LIMA, Carlos Henrique da. Gramática normativa da língua portuguesa. 31. ed. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1992.

THELEN, E.; SMITH, L. B. A dynamic systems approach to the development of cognition and action. Cambridge, Mass.: The MIT Press, 1994.

Publicado
2014-05-07
Como Citar
Cristófaro Silva, T., & Faria, I. (2014). Percursos de ditongos crescentes no Português Brasileiro. Letras De Hoje, 49(1), 19-27. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2014.1.14650
Seção
Fonética e Fonologia: interface