Indícios de reestruturação do conhecimento fonológico da criança em dados de reparo na escrita inicial

  • Ana Ruth Moresco Miranda UFPEL
  • Ana Paula Nobre da Cunha UFPEL
Palavras-chave: Aquisição da linguagem, Conhecimento fonológico, Redescrição representacional, Fonologia e escrita inicial

Resumo

Neste artigo, exploramos dados de reparo encontrados na escrita espontânea de crianças em início de escolarização, a fim de estabelecermos relações com a fonologia. Os reparos realizados pelas crianças em suas escritas iniciais, especificamente aqueles referentes à grafia de nasais pós-vocálicas e de segmentações não convencionais, servem de base para a análise de processos de reestruturação do conhecimento fonológico infantil. A sustentação teórica para o tratamento dos dados ancora-se no Modelo de Redescrição Representacional (MRR), proposto por Karmiloff-Smith (1986, 1994). Os indícios analisados permitem-nos argumentar que o contato com a escrita alfabética favorece a reestruturação das representações fonológicas: no caso das nasais, de uma estrutura monofonêmica para bifonêmica e, no caso da noção de palavra, de uma concepção em que o clítico é percebido como sílaba pretônica para outra que comporta a idéia de palavra fonológica e também a de grupo clítico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Ruth Moresco Miranda, UFPEL
Faculdade de Educação - Departamento de Ensino - Programa de pós-Graduação em Educação - Coordenadora do Grupo de Estudos Sobre Aquisição da Linguagem Escrita (GEALE)
Ana Paula Nobre da Cunha, UFPEL
Centro de Letras e Comunicação
Publicado
2013-09-10
Como Citar
Miranda, A. R. M., & Cunha, A. P. N. da. (2013). Indícios de reestruturação do conhecimento fonológico da criança em dados de reparo na escrita inicial. Letras De Hoje, 48(3), 343-354. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/view/12627
Seção
Parte 2 – Pesquisas Empíricas em Aquisição de Língua Materna: Alfabetização e Letramento