Da oralidade à escrita: algumas impressões sobre a concepção de palavras em crianças do segundo ano do Ensino Fundamental

  • Viviane do Rocio Barbosa Universidade Federal do Paraná
  • Sandra Regina Kirchner Guimarães Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Escrita, Conceito de palavra, Teoria estruturalista

Resumo

O presente artigo visa apresentar algumas impressões sobre a concepção de palavras em crianças do segundo ano do Ensino Fundamental. O estudo busca apresentar questões sobre a conceituação de vocábulo formal livre e dependente e de vocábulo fonológico, bem como o conceito de morfemas seguindo ideias da vertente estruturalista da morfologia. Além disso, demonstrou-se ainda, sob a ótica da Psicogênese da escrita (FERREIRO, 1995), as fases pelas quais os exemplos trabalhados neste artigo podem estar respaldados em sua essência. Foram coletadas 24 (vinte e quatro) produções, as quais sustentaram a necessidade de que o encaminhamento do professor alfabetizador deverá pautar-se em prol da conscientização dos participantes de que a relação monogâmica para cada letra um som não se basta. Assim, evidencia-se a necessidade de um modelo de intervenção pedagógica para prevenir lacunas de aprendizagem da linguagem escrita, possibilitando aos alfabetizandos maior apropriação da norma-padrão e compreensão das prescrições da ortografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-04-11
Como Citar
Barbosa, V. do R., & Guimarães, S. R. K. (2013). Da oralidade à escrita: algumas impressões sobre a concepção de palavras em crianças do segundo ano do Ensino Fundamental. Letras De Hoje, 48(1), 74-81. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/view/12050