Teoria crítica, reconhecimento social e política educacional: uma análise do discurso do Programa Nacional de Inclusão de Jovens

  • Jean Carlo Costa Universidade Federal da Paraíba
  • Maíra Lewtchuk Espindola Universidade Federal da Paraíba
Palavras-chave: teoria crítica, reconhecimento social, juventude, política pública

Resumo

Este artigo analisa o discurso do ProJovem a partir de seu Projeto Político Pedagógico, que tem por objetivo desenvolver o protagonismo juvenil por meio da escolarização, da orientação ao mundo do trabalho e do desenvolvimento de ações comunitárias. Do ponto de vista teórico-metodológico, este trabalho está situado na esteira da recente teoria social, nos desdobramentos da categoria do reconhecimento social, cuja utilização está associada à teoria pós-crítica, a Charles Taylor, a Nancy Fraser e a Axel Honneth. Tal abordagem permite a configuração de profícuo instrumento no entendimento da formação discursiva de política públicas, particularmente, o ProJovem, com o intuito de ressaltar, por um lado, o reconhecimento simbólico, por meio da ênfase no protagonismo juvenil e na participação paritária da comunidade, e, por outro lado, o reconhecimento distributivo, via escolarização e iniciação ao trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jean Carlo Costa, Universidade Federal da Paraíba
Departamento de Fundamenação da Educação - Centro de Edcução - Área - Sociologia
Maíra Lewtchuk Espindola, Universidade Federal da Paraíba
Mestranda em História da Educação pela Universidade Federal da Paraíba (PB, Brasil).
Publicado
2011-12-15
Como Citar
Costa, J. C., & Espindola, M. L. (2011). Teoria crítica, reconhecimento social e política educacional: uma análise do discurso do Programa Nacional de Inclusão de Jovens. Educação, 35(1). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/9820