A formação e o conceito de indivíduo na Renascença

  • Wolfgang Neuser
Palavras-chave: formação, método, indivíduo, Renascença

Resumo

Este artigo discute o desenvolvimento do conceito de formação na Renascença. Com base na investigação dos textos de Lutero, Erasmo e Pico della Mirandola, examina três diferentes modelos pedagógicos, que constituem a mentalidade renascentista. Desse modo, reconstrói o horizonte interpretativo no qual assume destaque o conceito de indivíduo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wolfgang Neuser
Dadja Mara Amilibia Hermann Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 1C Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria (1973), mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1982) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1995), com doutorado sanduíche na Universidade de Heidelberg. Foi professora titular de Filosofia da Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul de 1997 a 2005. Coordenou o Comitê de Educação e Psicologia da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul no período de 2002 a 2006. Realizou estágios de pesquisa na Universidade de Heidelberg/Erziehungswissensschatliches Seminar nos anos de 1998, 1999 e 2005. Atualmente é professora adjunta da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Filosofia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: filosofia da educacao, racionalidade, hermenâutica, Habermas, Gadamer, ética, ética e estética. (Texto informado pelo autor)
Como Citar
Neuser, W. (2011). A formação e o conceito de indivíduo na Renascença. Educação, 34(1). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/8666
Seção
Dossiê - Formação e Pluralidade Interpretativa