Regionalismo e reestruturação urbana: uma perspectiva brasileira de governança metropolitana

  • Jeroen Klink
Palavras-chave: Governança metropolitana, nova regionalidade.

Resumo

Neste artigo buscamos discutir os limites e potencialidades de novos arranjos institucionais que estão se configurando na gestão metropolitana e regional, com ênfase no caso brasileiro em comparação com a evolução da perspectiva internacional mais ampla. Descrevemos a evolução de algumas das soluções que foram adotadas na Europa para o dilema da organização das áreas metropolitanas. Depois de uma breve análise do atual vácuo institucional em vigor no Brasil, descrevemos alguns arranjos inovadores implementados na região do Grande ABC na década de 1990. Concluiremos que o modelo de governança metropolitano brasileiro se assemelha mais à abordagem norte-americana, caracterizada por um sistema relativamente pulverizado e concorrencial de atores locais do que à linha européia, que tende a evoluir na direção de um sistema metropolitano mais consolidado de atores públicos e privados, reunidos em torno de temas de interesse comum.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Klink, J. (2009). Regionalismo e reestruturação urbana: uma perspectiva brasileira de governança metropolitana. Educação, 32(2). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/5524
Seção
Artigos