O desenvolvimento profissional docente na contemporaneidade: implicações transformadoras para o ser e para o fazer

  • Bettina Steren dos Santos Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, RS
  • Carla Spagnolo PUCRS
  • Claus Dieter Stöbaus pucrs
Palavras-chave: Desenvolvimento profissional. Docência. Pessoa. Profissional.

Resumo

Este estudo apresenta um diálogo teórico acerca do desenvolvimento profissional docente e de suas implicações para a aprendizagem dos professores em uma perspectiva integrada entre os binômios pessoa/profissional e teoria/ prática. Tem como objetivo refletir sobre os distintos aspectos que compõem o desenvolvimento profissional e sobre as possibilidades de transformação para a qualidade na formação contínua dos professores. Caracteriza-se como uma pesquisa bibliográfica, de cunho qualitativo, a partir das discussões entre os autores embasadas nas leituras dos distintos materiais. Conclui que a formação continuada de professores precisa ser repensada e desenvolvida levando em conta as bases que fundamentam as ações das instituições de ensino. O desenvolvimento profissional, por esse viés, assume papel importante na constituição de espaços que proporcionam a escuta ativa, o entendimento do outro e a percepção da complexidade enquanto compreensão do todo, a partir das necessidades individuais e coletivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBERT, Elisabet. H. En la senda de la escuela 2.0: de cómo invisibilizar las tecnologías a cómo construir propuestas educativas para el siglo XXI – un estudio de caso colaborativo para reflexionar sobre la educación contemporánea. 2013. Tese (Doctorado en Pedagogía) – Universidad de Barcelona, BarcelonaS, 2013.

ALVES, Lynn. Aprendizagem em rede e formação docente: trilhando caminhos para a autonomia, a colaboração e a cooperação. In: VEIGA, Ilma P. A.; D´ÀVILA, Cristina (Orgs.). Profissão docente: novos sentidos, novas perspectivas. Campinas: Papirus, 2012. p. 151-162.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases para a educação nacional. Diário Oficial da União. Brasília-DF, 23 dez. 1996. Disponível em: <http://legislacao.planalto.gov.br/legislacao>. Acesso em: 30 mar. 2015.

CASASSUS, Juan. Fundamentos da educação emocional. Brasília-DF: Unesco/Liber Livro, 2009.

CUNHA, António C. Ser professor: bases de uma sistematização teórica. Braga, Portugal: Casa do Professor, 2008.

ENRICONE, Délcia (Org.). Ser professor. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008.

ESPINOSA, Maria P. P. Aprendemos. Cooperando o colaborando? Las claves del método. In: SÁNCHEZ, Francisco M. (Org.). Redes de comunicación en la enseñanza: las nuevas perspectivas del trabajo corporativo. Barcelona: Paidós, 2003. p. 95-127.

FRANKL, Viktor E. Psicoterapia para todos: uma psicoterapia coletiva para contrapor-se à neurose coletiva. Petrópolis: Vozes, 1990.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

GATTI, Bernardete A.; BARRETO, Elba S. de S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília-DF: Unesco, 2009.

GIL, Antonio C. Didática do ensino superior. São Paulo: Atlas, 2012.

GRILLO, Marlene; MATTEI, Patrícia. Saberes docentes, identidade profissional e docência. In: ENRICONE, Délcia; GRILLO, Marlene. Educação Superior: vivências de futuro. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2005.

JESUS, Saul N. de. Professor sem stress. Porto Alegre: Mediação, 2007.

JESUS, Saul N. de. Psicologia da educação. Coimbra-PT: Quarteto, 2004.

LISTON, Daniel P.; ZEICHNER, Kenneth M. Formación del profesorado y condiciones sociales de la escolarización. Madrid: Ediciones Morata, 1993.

MOSQUERA, Juan J. M.; STOBÄUS, Claus D. Educação pela afetividade. In: ENRICONE, Délcia (Org.). Professor como aprendiz: saberes docentes. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009.

NÓVOA, António. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1997.

SELIGMAN, Martin E. P. Florescer: uma nova compreensão sobre a natureza da felicidade e do bem-estar. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2013.

UNESCO. Organización de las Naciones Unidas para la Educación, la Ciencia y la Cultura. Replantear la Educación. Hacía un bien común mundial? Basileia, Suíça: Unesco, 2015.

VEIGA, Ilma P. A. Docência como atividade profissional. In: VEIGA, Ilma P. A.; D’ÁVILA, Cristina (Org.). Profissão docente: novos sentidos, novas perspectivas. Campinas: Papirus, 2012.

VYGOTSKY, Lev. Consciousness as a problem in the psychology of behavior. Soviet Psychology, v. 17, n. 4, p. 3-35, 1979. Disponível em: <http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.2753/RPO1061-040517043>. Acesso em: 29 dez. 2017.

VYGOTSKY, Lev. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

VYGOTSKY, Lev. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

ZEICHNER, Kenneth M. A formação reflexiva de professores: ideias e práticas. Lisboa: Educa, 1993.

Publicado
2018-05-29
Como Citar
dos Santos, B. S., Spagnolo, C., & Stöbaus, C. D. (2018). O desenvolvimento profissional docente na contemporaneidade: implicações transformadoras para o ser e para o fazer. Educação, 41(1), 74-82. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2018.1.29721
Seção
Dossiê: A construção de profissionalidade: a pessoa em formação