A inserção profissional sob o olhar dos professores iniciantes: possibilidades de implantação de políticas públicas

  • Andreia Dias Pires Ferreira Universidade de Taubaté
  • Ana Maria Gimenes Correa Calil Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
  • Joseane Amâncio Pinto Universidade de Taubaté
  • Mariana Aranha de Souza Universidade Católica de São Paulo
Palavras-chave: Professor iniciante. Inserção profissional. Políticas públicas.

Resumo

O início da carreira é um período complexo, no qual o professor inicia a construção de sua identidade profissional. Esse processo de inserção profissional docente requer muitos cuidados no sentido de suprir e atender às necessidades características dessa etapa. Este estudo, de abordagem quali-quantitativa, procurou compreender como 157 professores iniciantes de Educação Infantil e Ensino Fundamental de uma rede municipal de ensino do interior paulista percebem as ações realizadas nesse processo, bem como suas necessidades durante esse período. Os resultados possibilitaram identificar que as experiências vividas por eles se converteram em sugestões de medidas que podem contribuir para o aprimoramento da prática docente e para a implementação de políticas públicas para a inserção profissional dos docentes iniciantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andreia Dias Pires Ferreira, Universidade de Taubaté
Mestre em Educação pela Universidade de Taubaté. Pedagoga pela Universidade do Vale do Paraíba - UNIVAP. Professora da Rede Municipal de Ensino de São José dos Campos.
Ana Maria Gimenes Correa Calil, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Doutora em Educação (Psicologia da Educação) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Mestre em Educação (Psicologia da Educação) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pedagoga e Economista pela Universidade de Taubaté. Professora Assistente III do Departamento de Pedagogia e Professora do Programa de Mestrado em Educação, ambos da Universidade de Taubaté. Professora Coordenadora do PIBID Pedagogia e Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Desenvolvimento Profissional Docente da PUC/SP. Atua com os temas referentes à formação de professores e os professores iniciantes.

Joseane Amâncio Pinto, Universidade de Taubaté

Mestre em Educação pela Universidade de Taubaté. Pedagoga pela Universidade do Vale do Paraíba - UNIVAP. Professora da Rede Municipal de Ensino de São José dos Campos.

Mariana Aranha de Souza, Universidade Católica de São Paulo
Doutora em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Mestre em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.Graduada em Pedagogia pela Faculdade Maria Augusta Ribeiro Daher. Professora Doutora Colaboradora do Programa de Mestrado em Desenvolvimento Humano: Formação, Políticas e Práticas Sociais e do Programa de Mestrado em Educação da Universidade de Taubaté. Assessora Pedagógica da Educação à Distância da Universidade de Taubaté. Pesquisadora do GEPI (Grupos de Estudos e Pesquisas em Interdisciplinaridade) da PUC/SP.

Referências

ANDRÉ, Marli. Políticas de formação continuada e de inserção à docência no Brasil. Educação Unisinos. v. 19, nº 1, jan./abr. 2015, p. 34-44.

CHIZZOTTI, Antonio. O cotidiano e as pesquisas em educação. In: FAZENDA, I.C.A. (Org.). Novos enfoques da pesquisa educacional. 7 ed. São Paulo: Cortez: 2010.

FREIRE. Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática docente. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

______. A educação na cidade. São Paulo: Cortez, 2001.

GATTI, Bernadete Angelina. et al. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília, DF: UNESCO, 2011.

HUBERMAN, Michael. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA. A. (Org.). Vidas de professores. Portugal: Porto Editora, 1995. p. 31-61.

LIMA, Emília Freitas de. Sobrevivência no início docência. Brasília: Líber Livro Editora, 2006.

MARCELO GARCIA, Carlos Marcelo. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

MARCELO GARCIA, Carlos Marcelo; VAILLANT, Denise. Desarollo Profesional Docente: Como se aprende a enseñar? Madrid: Narcea, 2009.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti, et al. Escola e aprendizagem da docência: Processos de investigação e formação. São Carlos. Edufscar, 2010.

NONO, Maévi Anabel. Professores iniciantes: O papel da escola em sua formação. Porto Alegre, Mediação, 2011.

NÓVOA, Antonio. Desafios do trabalho do professor no mundo contemporâneo: Nada substitui o trabalho do professor. Palestra. Sinpro, SP. Disponível em: <http://www.sinprosp.org.br/arquivos/novoa/livreto_novoa.pdf, 2006.> Acessado em: 25 mai. 2015.

PAPI, Silmara de Oliveira Gomes; MARTINS, Pura Lúcia Oliver. As pesquisas sobre professores iniciantes: algumas aproximações. Educação em Revista. Belo Horizonte, v.26, nº 03, dez.2010, p. 39-56.

PERRENOUD, Philippe. Ensinar na urgência, decidir na incerteza: saberes e competências em uma profissão complexa. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

SARMENTO, Manuel Jacinto. A vez e a voz dos professores. Porto: Porto Editora, 1994.

Publicado
2017-12-31
Como Citar
Ferreira, A. D. P., Calil, A. M. G. C., Pinto, J. A., & de Souza, M. A. (2017). A inserção profissional sob o olhar dos professores iniciantes: possibilidades de implantação de políticas públicas. Educação, 40(3), 431-439. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2017.3.26148