Estudantes africanos em universidades brasileiras: os desafios da internacionalização “às avessas” no cotidiano universitário

  • Maria Isabel da Cunha Universidade Estadual de Campinas
  • Gildo Volpato Universidade do Vale do Rio dos Sinos
  • Maria Aparecida Marques Rocha Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Marinalva Moog Pinto Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Internacionalização. Educação Superior. Estudantes africanos.

Resumo

O objetivo da pesquisa foi compreender o processo de internacionalização da educação superior e os impactos dele advindo a partir da presença de estudantes estrangeiros africanos em duas universidades brasileiras. A abordagem foi qualitativa e foi utilizado o questionário e a entrevista semiestruturada. Dentre os motivos de estudar no Brasil destaca-se o maior reconhecimento do diploma estrangeiro e o diferencial na formação profissional e inclusão no mercado. Como desafios ressaltam a adaptação às variações linguísticas e dificuldades com conteúdo que não possuem base. Pretendem retornar à Angola para ajudar a reconstruir o país. Os gestores revelaram conhecer as estratégias institucionais de internacionalização, destacando a sustentabilidade e a divulgação das ações institucionais como forma de dar maior visibilidade e fortalecer a imagem institucional. Apoiam este processo, recebendo e acolhendo os estudantes estrangeiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Isabel da Cunha, Universidade Estadual de Campinas
Docente do PPG UNISINOS

Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS

São Leopoldo – RS

Grupo de Pesquisa

Líder do Grupo - Profª Drª Maria Isabel da Cunha

Formação de Professores, Ensino e Avaliação - UNISiNOS

 

Gildo Volpato, Universidade do Vale do Rio dos Sinos
  1. Prof. Dr. Gildo Volpato

Reitor e Docente do PPG UNESC

Universidade do Extremo Sul Catarinense -UNESC

Criciúma – SC

Grupo de Pesquisa

Formação de Professores, Ensino e Avaliação – UNISINOS

Líder Profª Drª Maria Isabel da Cunha

Maria Aparecida Marques Rocha, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  1. Profª Drª Maria Aparecida Marques da Rocha

Docente do PPG UNISINOS

Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS

São Leopoldo – RS

Grupo de Pesquisa

Formação de Professores, Ensino e Avaliação - UNISiNOS

Líder Profª Drª Maria Isabel da Cunha

Marinalva Moog Pinto, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Educação -UNISINOS- CAPES 7

Coordenadora do Mestrado de Educação- Angola

Docente do Mestrado Interdisciplinar e Mestrado em Educação pela Universidade do Alto Vale do Rio do Peixe -UNIARP

Conselho Administrativo-IUSUR-Uruguai

Grupo de Pesquisa

Formação de Professores, Ensino e Avaliação - UNISINOS

Líder Profª Drª Maria Isabel da Cunha

          Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Superior – UNICAMP

Líder- Profª Drª Elisabete Monteiro de Aguiar Pereira

Referências

ALTACH, Philip G.; KNIGHT, Jane. The internationalizacion of higher education: motivations and realities. Journal of studies in internacional education, v. 11, n. 3-4, p. 290-305, 2007.

BARTELL, Marvin. Internacionalização of universities: a university-culture-based framework. Higher Education. Manitoba: Winnipeg, 2003. p. 37-52.

BOURDIEU. Pierre. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Trad. de Mariza Corrêa. Campinas: Papirus, 1996.

BRAGANÇA, Ângela. Com a palavra, Secretária de Estado Ângela Bragança. AngolaYetu, Publicação do Consulado Geral de Angola em São Paulo. 40 – 1975-1015 – Independência Nacional, São Paulo, ano 3, n. 09, p. 12-15, dez. 2015.

CASTRO, Alda Araújo; NETO, Antonio Cabral. O ensino superior: a mobilidade estudantil como estratégia de internacionalização na América Latina. Revista Lusófona de Educação, v. 21, p. 69-96, 2012.

CONSTANTINO, Graciane Mondardo. Educação e identidade cultural: experiência de acadêmicos angolanos, BRASIL. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação) – Criciúma: Ed. do Autor, 2012.

DIAS Sobrinho, José. Educação Superior, globalização e democratização. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, ANPED, v. 28, p. 164-173, 2005.

DIAS Sobrinho, José. Universidade e novos modos de produção, circulação e produção do conhecimento. Avaliação, Campinas, Sorocaba, v. 19, n. 3, p. 643-662, nov. 2014.

KNICHT, Jane. Internacionalização remodeled: definition, approaches, and rationales. Journal of Studies in Internacional Education. Sage Publications, v. 8, n. 1, p. 5-32, spring 2004.

MERCADO, Roxana. Histórias de legados familiares, mandatos encubiertos y elecciones negociadas. Cuadernos de Edución, Córdoba, ano III, n. 3, p. 175-181, dec. 2004.

MOROSINI, Marília Costa. Estado do conhecimento sobre internacionalização da educação superior – conceitos e práticas. Editora da UFPR. Educar, Curitiba, n. 28. p. 107-127, 2006.

WEWA, Muleka. Sobre a integração social entre desiguais. In: MWEWA, Muleka; FERNANDES, Gleiciani; GOMES, Patrícia (Org.). Sociedades desiguais: gênero, cidadania e identidades. São Leopoldo: Nova Harmonia, 2009. p. 7-28.

PEÑA, Daniel. Internacionalização. Que metas? A que ritmo? Que estratégias? Universidade Carlos III de Madri, Espanha. III Encontro Universia de Reitores. Debate 10. Rio de Janeiro, 2014. p. 01-09.

SILVA, Tomaz Tadeu da. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2005. p. 73-101.

SOUSA SANTOS, Boaventura. Dilemas do nosso tempo: Globalização, multiculturalismo e conhecimento. Educação & Realidade, Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação, v. 26, n. 1, p. 13-32, 2001.

SOUSA SANTOS, Boaventura. Por uma concepção multicultural de direitos humanos. In: SOUSA SANTOS, Boaventura de (Org.). Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitismo cultural. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. p. 429-461.

Publicado
2017-12-31
Como Citar
da Cunha, M. I., Volpato, G., Rocha, M. A. M., & Pinto, M. M. (2017). Estudantes africanos em universidades brasileiras: os desafios da internacionalização “às avessas” no cotidiano universitário. Educação, 40(3), 469-480. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2017.3.24240