Formação/atuação do professor/alfabetizador da EJA sob perspectivas da educação matemática: um estado da arte

  • Adriano Vargas Freitas Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Formação/atuação do professor/alfabetizador. Educação matemática. Educação de jovens e adultos. Estado da arte.

Resumo

O artigo apresenta um recorte de pesquisa, desenvolvida em modelo de estado da arte, a respeito das publicações que envolvem a educação matemática voltada à educação de jovens e adultos, entre 2000 e 2010, em periódicos que fazem parte da Listagem Qualis (CAPES-MEC). Nesse recorte, apresenta-se o tema Formação/atuação do professor/alfabetizador da EJA. Dentre as análises que puderam ser feitas a partir dos dados coletados, buscou-se a defesa de uma formação específica para o professor que atua em EJA, abrindo espaços para a reflexão e para o debate a respeito, de especificidades da modalidade. O entendimento é que a formação do professor de EJA não deve se encerrar no momento em que ele recebe um diploma, mas apenas mais uma etapa que compõe uma formação que não cessa. Isto é, a formação inicial e a formação continuada se apresentam de forma mais do que complementar; devem ser indissociáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriano Vargas Freitas, Universidade Federal Fluminense
Doutor em Educação Matemática (PUC/SP), Mestre em Educação (UCP), Especialista em Ensino de Matemática (UFRJ).

Referências

AMÂNCIO, C.N. Educação etnomatemática no Timor Leste. Horizontes (EDUSF), v. 24, n. 1, 2006.

BELLO, S. E. L. Diferenciação, relações de poder e etnomatemática: historiografia, perspectivas e (res)significações. Horizontes (EDUSF), v. 24, n. 1, 2006.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação: Lei 9.394. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 1996.

BRASIL. Parecer nº 011/2000 do CNE/CEB. Aprovado em 10/05/2000. Assunto: Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Parecerista: Cury, C. R. J. Brasília, DF, 2000.

BRASIL. Proposta Curricular para a Educação de Jovens e Adultos: Segundo Segmento do Ensino Fundamental: 5ª a 8ª série: Introdução. v. 1. Sec. de Educação Fundamental, Brasília:

MEC, 2002a.

BRASIL. Proposta Curricular para a Educação de Jovens e Adultos: Segundo Segmento do Ensino Fundamental: 5ª a 8ª série. Matemática, Ciências, Arte e Educação Física. v. 3. Sec. de Educação Fundamental, Brasília: MEC, 2002b.

CHARTIER, R. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: UNESP, 1998.

CHARTIER, R. Práticas da leitura. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.

DELLAZZANA, A. R. Z.; VESTENA, R. de F.; MARASCHIN, M. S.; SATHRES, S. M. A educação de jovens e adultos: uma modalidade de ensino para suplência ou formação integral do indivíduo? Vidya, Santa Maria (RS), v. 26, n. 2, p. 33-46, 2008.

FANTINATO, M. C. C. B.; VIANNA, M. A. A etnomatemática na formação continuada de professores de Matemática da Educação de Jovens e Adultos do Município do Rio de Janeiro. Boletim GEPEM, n. 51, 2007.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

GRUNENNVALDT, A. C. R.; BARBOSA, E. P.; JUNIOR, F. G.; GRUNENNVALDT, J. T.; MORAES, M. C. Educação popular e formação de professores: uma experiência em construção. Educação, PUCRS, v. 33, n. 2, 2010.

KESSLER, M. C. Educação de jovens e adultos: (des)construindo saberes nos espaços do aprender e ensinar matemática. Zetetike, v. 14, n. 26, 2006.

MELO, M. J. M. D.; PASSEGGI, M. C. A matemática na educação de jovens e adultos: algumas reflexões. Horizontes (EDUSF), v. 24, n. 1, 2006.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência e Educação, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v9n2/04.pdf. Acesso em: 20 fev. 2012.

MORAES, R. e GALIAZZI, M. do C. Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciência e Educação. v. 12, n. 1, p. 117-128, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v12n1/08.pdf. Acesso em: 20 fev. 2012.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. do C. Análise textual discursiva. 2. ed. Rio Grande do Sul: Unijuí, 2011.

PIRES, C. M. C. “Diálogos” entre pesquisadores inseridos em grupos que investigam a formação de professores que ensinam matemática. Horizontes (EDUSF), v. 24, n. 1, 2006.

RODRIGUES, R. L. Estado e políticas para a educação de jovens e adultos: desafios e perspectivas para um projeto de formação humana. In: Coleção didática e prática de ensino: convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Ed. Autêntica, 2010. p. 49-59.

ROSA, A. C. S.; PRADO, E. Educação de jovens e adultos: as dimensões política, profissional e pessoal na formação docente. Olhar de Professor, v. 10, n. 2, 2008.

SANTANA, L. G. A formação continuada de professores de EJA: uma reflexão sobre a prática. Pesquisas e Práticas em Educação Matemática, 2008.

SOUZA, M. C. R. F. de; FONSECA, M. da C. F. R. Mulheres, homens e matemática: uma leitura a partir dos dados do Indicador Nacional de Alfabetismo Funcional. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 34, n. 3, p. 511-526, 2008.

Publicado
2016-09-08
Como Citar
Freitas, A. V. (2016). Formação/atuação do professor/alfabetizador da EJA sob perspectivas da educação matemática: um estado da arte. Educação, 39(2), 194-201. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2016.2.19888
Seção
Artigos