Mas o que é infância? – atravessamento de múltiplos olhares na formação de professores

  • Leni Vieira Dornelles Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Circe Mara Marques Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Centro Universitário La Salle
Palavras-chave: Infâncias. Pedagogia. Discurso. Formação de professores.

Resumo

O artigo trata das concepções de infâncias das estudantes de Pedagogia de uma instituição privada de ensino superior da região metropolitana de Porto Alegre. Problematizou-se na pesquisa outros modos de compreender as infâncias na formação de professores. Investigaram-se os deslocamentos e as resistências que atravessaram seus discursos sobre as infâncias, utilizando como metodologia de pesquisa uma bricolagem que faz uso de estratégia de leituras, vídeos, imagens, memórias pessoais, diário das estudantes e análise de suas discursividades para obtenção dos dados. O referencial teórico parte dos estudos de Bujes (2005), Dornelles (2010), Larrosa (2001), Marques (2013), dentre outros. Concluiu-se que os deslocamentos nas concepções de infância das alunas pesquisadas, não se deram de modo uniforme e linear, mas, diferentemente, mostraram avanços e retrocessos em seus modos de conceituar e entender as infâncias que compõem o cotidiano de seu trabalho. Entendeu-se a partir da investigação que é urgente investir “forças” no sentido de interromper o discurso moderno sobre infância no curso de Pedagogia e instigar as estudantes a produzirem “outros” modos de olhar, de pensar e lidar com as múltiplas infâncias que estão por aí.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leni Vieira Dornelles, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Professora Associada do Departamento de Estudos Especializados da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Circe Mara Marques, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Centro Universitário La Salle
Professora do Curso de Pedagogia Departamento de Educação

Referências

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

BACHELARD, Gaston. A poética do devaneio. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BUJES, Maria Isabel Edelweiss. O fio e a trama: as crianças nas malhas do poder. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 25, n. 1, p. 25-44, jan./jun. 2000.

BUJES, Maria Isabel Edelweiss. Descaminhos. In: COSTA, Marisa Vorraber (Org.). Caminhos investigativos II: outros modos de pensar e fazer pesquisa em educação. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2002. p. 11-33.

BUJES, Maria Isabel Edelweiss. Alguns apontamentos sobre as relações infância/poder numa perspectiva foucaultiana. In: Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (26ª R. A. ANPEd), Poços de Caldas (MG), 2003. Anais... Rio de Janeiro: ANPEd, 2003, p. 1-13.

BUJES, Maria Isabel Edelweiss. Infância e poder: breves sugestões para uma agenda de pesquisa. In: COSTA, Marisa Vorraber; BUJES, Maria Isabel Edelweiss (Org.). Caminhos investigativos III: riscos e possibilidades de pesquisar nas fronteiras. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. p. 179-196.

CUNHA, Susana Rangel Vieira da. Cultura visual, gênero, educação e arte. Disponível em: <http://www.anped.org.

br/reunioes/31ra/4sessao_especial/se%20-%2006%20-%20

susana%20rangel%20vieira%20da%20cunha%20-%20 participante.pdf>. Acesso em: 20 out. 2011.

DORNELLES, Leni Vieira. Infâncias que nos escapam: da criança na rua à criança cyber. Petrópolis: Vozes, 2005.

DORNELLES, Leni Vieira. Sobre o devir-criança ou discursos sobre as infâncias. In: V Colóquio Internacional de Filosofia da Educação, UERJ, 9., 2010, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UERJ, 2010.

FERNANDES. Susana Beatriz. “Eu não te confesso, mas um dia você vai saber o que é uma escola”: infância e experiência. 2009. 161 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Foucault e a análise do discurso em educação. Cadernos de Pesquisa, n. 114, p. 197-223, novembro de 2001.

FORTUNA, Tânia. A reinvenção da infância: apontamentos sobre a infância na contemporaneidade. In: COELHO, Maximila Tavares de Quadros; FRAGA, Vanderlei Brusch de. A função da creche e da Escola infantil na formação da criança de 0 a 3 anos: desenvolvimento, políticas de atenção e profissionalização. Porto Alegre: Evangraf, 2006.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

KOHAN, Walter Omar. Infância. Entre Educação e Filosofia. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

KOHAN, Walter Omar. Infância e Filosofia. In: SARMENTO, Manuel Jacinto; GOU VEIA, Maria Cristina S. de (Org.). Estudos da Infância: educação e prática sociais. 2009. p. 40-61.

KOHAN, Walter Omar. A infância da Educação: o conceito devir-criança. Disponível em: <http://www.educacaopublica.rj.gov.br/biblioteca/educacao/0184.html>. Acesso em: 10 ago. 2014.

LARROSA, Jorge. Dar a palavra. Notas para uma dialógica da transmissão. In: LARROSA, Jorge; SKLIAR, Carlos (Org.). Habitantes de babel. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

LEE, Nick. Vozes das crianças, tomada de decisão e mudança. In: MÜLLER, Fernanda (Org.). Infância em perspectiva: políticas, pesquisas e instituições. São Paulo: Cortez, 2010. p. 42-64.

LEMOS, Flávia Cristina Silveira. A apropriação do brincar como instrumento de disciplina e controle das crianças. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 81-91, abril 2007. Disponível em: <http://www.revispsi.uerj.br/v7n1/artigos/pdf/v7n1a08.pdf>. Acesso em: 13 set. 2014.

OLIVEIRA, Marilda Oliveira de. Diário de aula como instrumento metodológico da prática educativa. Revista Lusófona de Educação, v. 27, n. 27, p. 111-126, 2014. Disponível em:<http://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/4833>. Acesso em: 22 nov. 2014.

POSTMAN, Neil. O desaparecimento da infância. Rio de Janeiro: Graghia, 1999.

PROUT, Alan. Participação, política e as condições da infância em mudança. In: MÜLLER, Fernanda (Org.). Infância em perspectiva: políticas, pesquisas e instituições. São Paulo: Cortez, 2010. p. 21-41.

REDIN, Euclides; REDIN, Marita Martins; MÜLLER, Fernanda (Org.). Infâncias: cidades e escolas amigas das crianças. Porto Alegre: Mediação, 2007.

VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault & a educação. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

WALKERDINE, Valerie. O raciocínio em tempos pósmodernos. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 206-226, jul./dez. 1995.

WONG, James. Paradoxo de capacidade e poder: ontologia crítica e o modelo de desenvolvimento da infância. In: PETERS, Michael A; BESLEY, Tina ; KESSL, Fabian (Org.). Por que Foucault? Novas perspectivas para pesquisa educacional. Tradução de Vinicius Figueira Duarte. Porto Alegre: Artmed, 2008. p. 81-99

Publicado
2015-11-10
Como Citar
Dornelles, L. V., & Marques, C. M. (2015). Mas o que é infância? – atravessamento de múltiplos olhares na formação de professores. Educação, 38(2), 289-298. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2015.2.19601