Pais e filhos em dois livros franceses de literatura infantil

  • Adriana Pastorello Buim Arena Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Universidade Federal de Uberlândia
  • Dagoberto Buim Arena Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Unesp - Campus de Marília
Palavras-chave: Literatura infantil francesa. Conceito de criança. Leitura na família. Formação do leitor.

Resumo

Como ensinar seus pais a gostar de livros para crianças, de Alain Serres e Bruno Heitz e O que é um bom livro?, de Emmanuel Parmentier, são dois livros franceses destinados, aparentemente por seu formato físico, a crianças, mas, pelo tema, são destinados a pais. Antes de analisá-los, o trabalho refaz um breve percurso sobre o conceito de infância com Ariès e Leontiev e destaca o papel do outro bakhtiniano na constituição do sujeito. As obras defendem o ponto de vista de que os gestos culturais criados para ler literatura infantil devem fazer parte da cultura de relações entre adultos e crianças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Pastorello Buim Arena, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Universidade Federal de Uberlândia
Doutora em Educação. Professora do Programa de Pós-graduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia
Dagoberto Buim Arena, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Unesp - Campus de Marília
Livre Docente pela Universidade Estadual Paulista. Pós-doutorado na Universidade de Évora - Portugal e no Instituto Nacional de Pesquisas Pedagógicas, Lyon - França. Doutor em Educação. Professor do Departamento de Didática e do Programa de Pós-graduação em Educação da Unesp, Campus de Marília.

Referências

ARENA, Dagoberto Buim. A literatura infantil como produção cultural e como instrumento de iniciação da criança no mundo da cultura escrita. In: SOUZA, Renata Junqueira de et al. Ler e compreender: estratégias de leitura. Campinas: Mercado de Letras, 2010.

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

BADINTER, Elisabeth. Um amor conquistado: o mito do amor materno. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

CHARTIER, Roger. Cultura escrita, literatura e história. Porto Alegre: Artmed, 2001.

FIJALKOW, Jacques. Sur la lecture: perspectives sociocognitives dans le champ de la lecture. Issy-les-Moulineaux: ESF éditeur, 2000.

LEONTIEV, Alexis. O homem e a cultura. In: LEONTIEV, Alexis. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Novo Horizonte, 1978. p. 261-281.

QUINTEIRO, Jucirema. Infância e escola: uma relação marcada por preconceitos. 2000. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000.

PARMENTIER, Emmanuel. C´est quoi un bon livre? Maxeville: Jean Lamour, 2009.

SERRES, Alain. Comment apprendre à ses parents à aimer les livres pour enfants. Ilustração de Bruno Heitz. Sainte- Amand-Montrond: Kouak, 2008.

SMITH, Frank. Compreendendo a leitura: uma análise psicolingüística da leitura e do aprender a ler. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.

VIGOSTKI, Lev Semenovich. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

Publicado
2016-03-03
Como Citar
Arena, A. P. B., & Arena, D. B. (2016). Pais e filhos em dois livros franceses de literatura infantil. Educação, 38(3), 456-465. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2015.3.14353