Organizações não-governamentais entre a justiça social e a eficiência gerencial: armadilhas, perspectivas e desafios da modernização das políticas públicas locais

  • Armindo dos Santos de Sousa Teodósio

Resumo

O estudo procura discutir as armadilhas, perspectivas e desafios da atuação de organizações não-governamentais (ONGs) na implementação de políticas sociais locais. A discussão teórica volta-se para a delimitação terminológica do conceito de Terceiro Setor, comumente associado ao de ONGs, através da construção de uma tipologia das diferentes organizações, movimentos e atores sociais que o compõem. Além disso, analisa-se o impacto das organizações não-governamentais como espaço para renovação da gestão pública, discutindo-se sua relação com idéias, tendências e práticas como participação popular e descentralização de políticas, dentre outras. São discutidos também os impasses e perspectivas de construção de modelos gerenciais em organizações não-governamentais e/ou comunitárias, com destaque para sua relação com a forma de ação do movimento social, os impactos sobre o gerenciamento de mão-de-obra voluntária e/ou remunerada e a incorporação de estratégias gerenciais oriundas da iniciativa privada e burocracia estatal municipal. Palavras-chave: Terceiro Setor; ONGs; políticas públicas; organizações.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2007-05-03
Como Citar
Teodósio, A. dos S. de S. (2007). Organizações não-governamentais entre a justiça social e a eficiência gerencial: armadilhas, perspectivas e desafios da modernização das políticas públicas locais. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 2(1), 97-121. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2002.1.90