Ilusões de factibilidade, declarações festivas e cantorias: sobre a relação entre evolução e revolução no Direito

  • Hauke Brunkhorst
Palavras-chave: Revolução, Evolução, Teoria sistêmica, Constituição, Direito

Resumo

O autor parte da afirmação de que tudo é evolução, mas evolução não é tudo, para defender a tese de que ainda que o aprendizado cognitivo dos sistemas possa explicar adequadamente a possibilidade de conquistas evolucionárias, a mudança significativa de rumo no mundo histórico através de aprendizado normativo continua devendo ser compreendida como conquista revolucionária, que não pode ser reduzida a evolução – ainda que também a revolução seja evolução. Ele argumenta que a revolução liberta o potencial normativo da evolução social e que a constitucionalização subsequente corporifica razão e força emancipatória da revolução, o progresso na consciência da liberdade, transcendendo o hiato razão e vontade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2009-12-20
Como Citar
Brunkhorst, H. (2009). Ilusões de factibilidade, declarações festivas e cantorias: sobre a relação entre evolução e revolução no Direito. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 9(3), 440-458. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2009.3.6901