O Mercosul na política de integração de Venezuela

  • José Briceño-Ruiz Universidad de los Andes
Palavras-chave: Mercosul, Venezuela, Hugo Chávez, Política Externa

Resumo

Neste artigo argumenta-se que a estratégia do governo Chávez de solicitar a adesão ao Mercosul deve ser contextualizada no quadro das mudanças políticas internas na Venezuela e da forma como estas mudanças tem influído na elaboração e aplicação de política externa deste país. Neste sentido, qualquer decisão do governo venezuelano em matéria de integração regional está subordinada à consecução dos três objetivos básicos da política exterior do país: a luta contra a ordem unipolar, transformada nos anos recentes em anti-imperialismo; a rejeição ao neoliberalismo, que se converteu em anticapitalismo e a promoção da integração bolivariana. A dificuldade de compatibilizar os objetivos da política exterior venezuelana com a realidade política, estratégica e regulamento institucional do Mercosul e os custos econômicos que teria para o país adotar o programa de liberalização do Protocolo de Caracas explicam as dificuldades da adesão venezuelana ao Mercosul.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Briceño-Ruiz, Universidad de los Andes
José Briceño Ruiz é professor pesquisador do Centro de Estudos de Fronteras e Integracion da Universidade dos Andes, Mérida, Venezuela. Mestre em Relações Internacionais pela Universidad de Durham, Inglaterra e DEA em Política Comparada pelo Instituto de Estudos Políticos de Aix en Provence, France. Doutorando em Ciência Política no Instituto de Estudos Políticos de Aix en Provence. Autor e compilador de vários livros sobre integração latino-americana.
Publicado
2010-06-25
Como Citar
Briceño-Ruiz, J. (2010). O Mercosul na política de integração de Venezuela. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 10(1), 77-96. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2010.1.6250