Desafios contemporâneos para a antropologia no ciberespaço: O lugar da técnica

  • Theophilos Rifiotis UFSC
Palavras-chave: cibercultura, teoria ator-rede, agência, redes sociotécnicas, hibridismo

Resumo

A antropologia no ciberespaço tem como ponto de partida a “comunicação mediada por computador”, que, explicita ou implicitamente, pressupõe uma exterioridade dos objetos técnicos e reduz a agentividade apenas aos seres humanos. O presente trabalho procura refletir criticamente sobre tais pressupostos a partir de uma dupla inspiração teórico-metodológica: em primeiro lugar, tomando como referência a matriz clássica inaugurada por M. Mauss sobre a técnica nas “sociedades tradicionais” e analisando a especificidade atribuída à condição moderna com relação à técnica; num segundo momento e complementarmente, o texto avança no sentido de sistematizar os debates contemporâneos sobre agência e os limites da dicotomia humano/técnico, especialmente a partir das obras de B. Latour, notadamente a partir da noção de ciborgue. Trata-se, portanto, de uma releitura da perspectiva antropológica clássica da abordagem da técnica e o questionamento da noção moderna de objeto-técnico aplicado ao ciberespaço. Em última instância, colocamos em debate as noções de “uso”, “apropriação” e “representação” dos objetos técnicos nos estudos antropológicos no ciberespaço.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Theophilos Rifiotis, UFSC
Professor do Departamento de Antropologia, do Programa de Pós-graduação em Antropologia Social GrupCiber (Grupo de Pesquisa em Ciberantropologia), UFSC.
Publicado
2013-01-17
Como Citar
Rifiotis, T. (2013). Desafios contemporâneos para a antropologia no ciberespaço: O lugar da técnica. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 12(3), 566-578. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2012.3.13016