A seletividade do sistema prisional brasileiro e o perfil da população carcerária: um debate oportuno

  • Felipe Mattos Monteiro UFSC
  • Gabriela Ribeiro Cardoso UFSC
Palavras-chave: Sistema prisional. Seletividade. Segurança pública.

Resumo

O debate sobre criminalidade e segurança pública no Brasil é bastante vasto e cercado de polêmicas. No que tange ao sistema prisional, os estudos destacam sua fragilidade e seletividade. Por isso, este trabalho tem como objetivo traçar um perfil do encarcerado brasileiro durante o período de 2005 a 2010, levando em consideração diversas questões como a idade, a escolaridade do preso, a cor, o tempo total da pena, o grau de reincidência, a faixa etária e o crime cometido. Na sequência, desenvolvemos a análise de correlações e regressão entre a taxa da população prisional e os tipos de crimes para abordar a relação entre os dois fatores. Concluímos que tem ocorrido no Brasil o privilegiamento de uma ação “repressiva” ao invés de uma “preventiva”, o que contribui para um aumento da população carcerária sem que ocorra um impacto nas taxas de criminalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Mattos Monteiro, UFSC
Felipe Mattos Monteiro é mestre em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc), professor da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) em Laranjeiras do Sul, PR, Brasil, e pesquisador do Núcleo Interdisciplinar de Políticas Públicas
Gabriela Ribeiro Cardoso, UFSC
G
Publicado
2013-08-08
Como Citar
Monteiro, F. M., & Cardoso, G. R. (2013). A seletividade do sistema prisional brasileiro e o perfil da população carcerária: um debate oportuno. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 13(1), 93-117. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2013.1.12592