O “exegeta” e o “teólogo” diante do “escriba”

Episteme e hermenêutica no estudo dos textos bíblicos

Palavras-chave: Sagrada escritura, Exegese bíblica, Teologia bíblica, Hermenêutica

Resumo

A presente reflexão aloca-se no âmbito das teorias do conhecimento. Essas se ocupam do estudo crítico da natureza e dos limites impostos ao saber, em particular no que se refere às estruturas lógicas e às metodologias usadas pelas ciências. Enquanto a exegese realiza a análise científica do texto, a teologia bíblica busca oferecer a síntese científica dessa análise, pois deseja demonstrar o desenvolvimento histórico-doutrinal da Divina Revelação, contido no Antigo Testamento e no Novo Testamento. Esta reflexão segue uma metodologia analítica, dedutiva e propositiva, subdividindo-se em: introdução; observações preliminares; a noção de texto; breve enfoque sobre o escriba e análise de Eclo 39,1-11; e considerações finais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Agostini Fernandes, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Doutor em Teologia Bíblica pela Pontificia Università Gregoriana (PUG), em Roma, IT, Itália; professor da Pontifícia Universidade Católica no Rio de Janeiro (PUC-Rio), RJ, Brasil.

Referências

ARTOLA, Antonio M.; SÁNCHEZ CARO, José Manuel. Bíblia e Palavra de Deus. São Paulo: Ave-Maria, 1996.

AUWERS, Jean-Marie. Teologia e exegese nos Padres da Igreja. In: MIES, Françoise (org.). Bíblia e teologia: a inteligência da fé. São Paulo: Loyola, 2011. p. 77-96.

De la POTTERIE, Ignace. La exégesis bíblica, ciencia de la fe. In: VV.AA. Escritura e Interpretación. Los fundamentos de la interpretación bíblica. España: Libros Palabra, 2003. p. 55-98.

di PALMA, Gaetano. Il lavoro nei Libri Sapienziali. In: BONORA, Antonio; PRIOTTO, Michelangelo. Libri Sapienziali e altri scritti. Leumann/Torino: Elle Di Ci, 1997. p. 423-433.

DREYFUS, F. Exégése en Sorbonne, exégése en Église. Revue Biblique, n. 82, p. 321-359, 1975.

DREYFUS, F. L’actualisation a l’intérieur de la Bible. Revue Biblique, n. 83, p. 161-202, 1976.

DREYFUS, F. L’actualisation de l’Écriture I: Du texte à la vie. Revue Biblique, n. 86, p. 5-58, 1979.

DREYFUS, F. L’actualization de l’Écriture II: L’action de l’Esprit. Revue Bibique, n. 86, p. 163-193, 1979.

DREYFUS, F. L’actualization de l’Écriture III: La place de la Tradition. Revue Bibique, n. 86 p. 321-384, 1979.

FABRIS, Rinaldo. Storia dell’Esegesi Ebraica e Cristiana. In: FABRIS, Rinaldo e collaboratori. Introduzione Generale alla Bibbia (Logos 1). Leumann/Torino: ELLE DI CI, 1999. p. 457-482.

FERNANDES, Leonardo Agostini. A Universidade deve estar ligada, exclusivamente, à autoridade da verdade. Franciscanum, [S. l.], n. LVIII, p. 339-380, 2016. https://doi.org/10.21500/01201468.2192

FERNANDES, Leonardo Agostini. Aborto justificado? O equívoco da leitura e da interpretação espúria de Ex 21,11-25; Nm 5,11-31; Sl 139,16. Vox Scripturae, v. XXVI, n. 3, p. 439-461, 2018. https://doi.org/10.25188/FLT-VoxScript(eISSN2447-7443)vXXVI.n3.p439-461.LAF

FINKELSTEIN, Israel; SILBERMAN, Neil Asher. Le tracce di Mosè. La Bibbia tra storia e mito. Roma: Carocci, 2002.

GILLINGHAM, S. E. O Messias nos Salmos: uma questão da história da recepção e o Saltério. In: DAY, John (org.). Rei e Messias. Em Israel e no Antigo Oriente Próximo. São Paulo: Paulinas, 2005. p. 217-245.

GRECH Prosper. Il messaggio bíblico e la sua interpretazione. Saggi di ermeneutica, teologia ed esegesi. Bologna: EDB, 2005.

KESSLER, Rainer. História Social do Antigo Israel. São Paulo: Paulinas, 2009.

LIVERANI, Mario. Oltre la Bibbia. Storia antica di Israele. Roma-Bari: Editori Laterza, 2003.

LOURENÇO, João Duarte. Hermenêuticas Bíblicas. Da Palavra às Palavras – em busca do ‘sentido’ da Escritura. Lisboa: Universidade Católica Editora, 2004.

NIEHR, H. סֹפרֵ . In: BOTTERWEK, G. Johannes; RINGGREN, Helmer. Grande Lessico dell’Antico Testamento (vol. VI). Brescia: Paideia, 2006, colunas 270-279.

PONTIFÍCIA COMISSÃO BÍBLICA. A Interpretação da Bíblia na Igreja. São Paulo: Paulinas, 1993.

RATZINGER, Joseph. (Bento XVI). Jesus de Nazaré. Da entrada em Jerusalém até a Ressurreição. São Paulo: Planeta, 2011.

RATZINGER, Joseph. La Interpretación Biblia en conflicto. Sobre el problema de los fundamentos y la orientación de la exégesis hoy. In: VV. AA. Escritura e Interpretación. Los fundamentos de la interpretación bíblica. España: Libros Palabra, 2003. p. 19-54.

SACROSANCTUM OECUMENICUM CONCILIUM VATICANUM II, Constitutio Dogmatica de Divina Revelatione Dei verbum (18 nov 1965), Acta Apostolicae Sedis 58 [1966] nn. 817-836.

SEPTUAGINTA EDITADA por A. RAHLFS (vol. II: Libri poetici et prophetici – editio quinta). Stuttgart: Pribilegierte Württembergische Bibelanstalt, 1962.

SILVA, Cássio Murilo Dias da. Metodologia de Exegese Bíblica. São Paulo: Paulinas, 2000.

SILVA, Cássio Murilo Dias da. A Bíblia não serve só para rezar. São Paulo: Loyola, 2015. https://doi.org/10.17771/PUCRio.ATeo.24956

THEOBALD, Christoph. Da Bíblia em teologia. In: MIES, Françoise (org.). Bíblia e teologia: a inteligência da fé. São Paulo: Loyola, 2011. p. 57-75.

TREBOLLE BARRERA, Julio. A Bíblica Judaica e a Bíblia Crista: Introdução à história da Bíblia. Petrópolis/RJ: Vozes, 1999.

Publicado
2020-12-23
Seção
Artigos