Ah, se tu soubesses como sou tão Carinhoso!

Música, marcas sonoras e a memória da cultura midiática

Palavras-chave: Marca sonora., Memória musical, Memória midiática

Resumo

Este texto parte do conceito de “marca sonora” (sound branding) para analisar algumas razões possíveis da inesperada resposta dos usuários do Metrô paulistano à iniciativa de incluir música nas estações e trens. Em síntese: tendo sido escolhida a “Toccata”, das Bachianas, n.º 2 (Villa-Lobos), como sinal sonoro (SCHAFER, 2011), acabou ela sendo identificada como “Carinhoso” (Pixinguinha). Consideram-se, dentre as razões principais: a) a semelhança formal entre ambas; e b) a associação entre obra musical e memória do ouvinte se deva, em parte, à capacidade de movência dos textos (ZUMTHOR, 1997). O texto apresenta uma breve descrição da trajetória de “Carinhoso” no disco e no cinema. Em conclusão mostra-se que a permanência na cultura midiática garante a longevidade da obra, ao mesmo tempo em que a música compõe a própria cultura midiática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heloísa de Araújo Duarte Valente, Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP, Brasil.

Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), em São Paulo, SP, Brasil; professora titular do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Midiática da Universidade Paulista (UNIP), em São Paulo, SP, Brasil e colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Música (ECA-USP), na mesma cidade.

Paulo Henrique de Oliveira Lopes, Universidade Nove de Julho (Uninove), São Paulo, SP, Brasil.

Doutor em Comunicação e Cultura pela Universidade Paulista (UNIP), em São Paulo, SP, Brasil; publicitário e professor dos cursos de Publicidade e Propaganda e Rádio e Televisão da Universidade Nove de Julho (Uninove), em São Paulo, SP, Brasil.

Referências

ANOS de Carinhoso. Instituto Moreira Salles (IMS), [S. I.], 18 abr. 2017. Disponivel em: https://www.youtube.com/watch?v=XbhBywh0t2g. Acesso em: 20 dez. 2020.

AAKER, David A. Marcas. Brand Equity: gerenciando o valor da marca. São Paulo: Negócio, 1998.

AUGÉ, Marc. 1994: Não lugares: Introdução a uma antropologia da supermodernidade. Campinas: Papirus, 1994.

BRYAN, Guilherme; VILLARI, Vicent. A História da Música Popular Através da Teledramaturgia Brasileira. São Paulo: Dash, 2014. v. 1.

BOZZO JR., Carlos. Linha Azul onde um coração bate feliz. Folha de S.Paulo, São Paulo, 7 nov. 2019. Disponível em: https://musicaemletras.blogfolha.uol.com.br/2019/11/07/linha-azul-onde-um-coracao-bate-feliz. Acesso em: 20 dez. 2019.

CARINHOSO. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra70906/Carinhoso. Acesso em: 14 de dez. 2020. ISBN: 978-85-7979-060-7.

CARDOSO, William. Nova música ambiente nos trens é principal queixa de usuários do metrô de SP Melodia nos vagões tem suscitado reações variadas desde o início da iniciativa, em julho. Folha de S.Paulo, São Paulo, 18 de set. de 2018. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/09/nova-musica-ambiente-nos-trens-e-principal-queixa-de-usuarios-do-metro-de-sp.shtml. Acesso em: 22 dez. 2020.

CARINHOSO. Intérprete: Yamandù Costa. Compositor: Pixinguinha. [S. I.], 13 set. 2013. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4-DA68hlKO4. Acesso em: 20 dez. 2020.

CARINHOSO. Intérpretes: Caetano Veloso e Jaques Morelembaum. Compositor: Pixinguinha. Disponível em: https://www.dailymotion.com/video/xe8q5w. Acesso em: 20 dez. 2020

CARINHOSO. Intérprete: Doutor Jupter (2013). Compositor: Pixinguinha. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=-df7bGydMYY. Acesso em: 20 dez. 2020

CASTRO, Ruy. As dez mais e por quê. Folha de S.Paulo, São Paulo, 28 fev. 2020. Caderno 1, p. 2.

COMPANHIA do Metropolitano de São Paulo. Disponível em: www.metro.sp.gov.br. Acesso em: 22 dez. 2020.

ELIS (álbum de 1966). In: Wikipedia. [S. I]. https://pt.wikipedia.org/wiki/Elis_(%C3%A1lbum_de_1966). Acesso em: 20 dez. 2020.

ELIS. Elis Regina. LP. Philips, 1966.

ENCICLOPÉDIA da Música Brasileira: Erudita, folclórica, popular. São Paulo: Art Editora,1977.

GONZÁLEZ, Juan P. Pensando a música a partir da América Latina – Problemas e questões. São Paulo: Letra e Voz, 2016.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing. São Paulo: Atlas, 1998.

Love Is Like This. Nancy Goes To Rio, 1950. 100 min. Direção: Robert Z. Leonard. Produção Joe Pasternak. [S. I.]: Mr Bear Naked, 18 jan. 2012. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=gIKG4ryDSJI. Acesso em: 20 dez 2020.

PIXINGUINHA: “Carinhoso” completa 100 anos! Revista Prosa e Arte. [S. I.]. Disponível em: https://www.revistaprosaversoearte.com/pixinguinha-Carinhoso-completa-100-anos. Acesso em: 20 dez 2020.

SAMPAIO, Rafael. Marcas de A a Z. Como construir e manter marcas de sucesso. São Paulo: Elsevier, 2002.

SAMPAIO, Rafael. Propaganda de A a Z. Como usar a propaganda para construir marcas e empresas de sucesso. Rio de Janeiro: Ed. Campus, 1999.

SEVERIANO, Jairo; MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo: 85 anos de músicas brasileiras (1901-1957). São Paulo: Editora 34, 1997. v. 1.

SCHAFER, R. M. A afinação do mundo. São Paulo: Edunesp, 2011.

VALENTE, Heloísa. As vozes da canção na mídia. São Paulo: Via Lettera; FAPESP, 2003.

ZANNA. Soundbranding. A vida sonora das marcas. São Paulo: Matrix, 2015.

ZUMTHOR, Paul. Introdução à poesia oral. São Paulo: Educ, 1997.

ZUMTHOR, Paul. Escritura e nomadismo. São Paulo: Ateliê, 2005.

TOCCATA: o trenzinho do caipira. Museu Villa-Lobos. Disponível em: http://museuvillalobos.org.br/villalob/musica/Tocata.htm. Acesso em: 29 dez. 2020.

Publicado
2021-08-20
Como Citar
Valente, H. de A. D., & Lopes, P. H. de O. (2021). Ah, se tu soubesses como sou tão Carinhoso! Música, marcas sonoras e a memória da cultura midiática. Revista FAMECOS, 28(1), e40994. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2021.1.40994