HOST

Mídia assombrada e o mal-estar do confinamento

Palavras-chave: Estudos de mídia, Cinema, Desktop horror, Glitch Gothic, Ano de 2020

Resumo

Este trabalho trata do filme de horror australiano Host (Rob Savage, 2020), realizado para o canal de streaming Shudder, no primeiro semestre de 2020, durante a quarentena que paralisou o planeta por causa da pandemia da COVID-19. Dirigido a distância para emular uma sessão espírita organizada por seis amigos via aplicativo Zoom, o filme, encenado por seis atrizes e um ator com câmeras caseiras, traz ao primeiro plano o mal-estar do confinamento mediado pelos computadores e celulares. A partir de uma análise de Host, buscaremos observar como esse filme de horror nos oferece reflexões sobre a primeira experiência global de quarentena permeada pelas mídias digitais e pela internet.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laura Cánepa, Universidade Anhembi Morumbi (UAM), São Paulo, SP, Brasil.

Doutora em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em Campinas, SP, Brasil. Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo, SP, Brasil. Graduada em Jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil. Coordenadora e professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo, SP, Brasil.

Rogério Ferraraz, Universidade Anhembi Morumbi (UAM), São Paulo, SP, Brasil.

Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), em São Paulo, SP, Brasil, com período sanduíche na University of California, Los Angeles. Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo, SP, Brasil.

Referências

ACKER, Ana; MONTEIRO, Juliana. Subterrâneos do horror e da tecnologia enquanto experiência em Amizade Desfeita 2 – Dark Web. Revista Fronteiras – Estudos midiáticos, São Leopoldo, v. 2, n. 22, p. 69-78, maio/ago. 2020.

ALMEIDA, Gabriela R. de; SOARES, Jéssica P. Demônios virtuais, espíritos hackers, assassinos glitch: câmeras diegetizadas e a manifestação do mal no cinema de horror found footage. Imagofagia – Revista de la Asociación Argentina de Estudios de Cine y Audiovisual, Buenos Aires, n. 17, p. 242-265, 2018.

BLAKE, Linnie; REYES, Xavier Aldana. Digital horror: Haunted Technologies, Network Panic and the Found Footage Phenomenon. London: I.B. Tauris, 2016.

BOLTER, Jay DavidD.; GRUSIN, Richard. Remediation. Understanding New Media. Cambridge: The MIT Press, 2000.

BRAGANÇA, Klaus’ berg Nippes. Realidade perturbada: Corpos, espíritos, família e vigilância no cinema de horror. Curitiba: Appris, 2018.

CRARY, Johnathan. 24/7: O Capitalismo tardio e os fins do sono. São Paulo: Cosac Naify, 2014.

FELINTO, Erick. A religião das máquinas: ensaios sobre o imaginário da cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2005.

GRANT, Barry Keith. Ansiedade digital e o novo cinema verité de horror e ficção científica. In: SUPPIA, Alfredo (org.). Cartografias para a ficção científica mundial: cinema e literatura. São Paulo: Alameda, 2015. p. 19-42.

GROHMAN, Rafael; QIU, Jack. Editorial: Contextualizando o Trabalho em Plataformas. Contracampo – Revista Brasileira de Comunicação, Niterói, v. 39, n. 1, 2020.

LEEDER, Murray (ed). Cinematic Ghosts: Haunting and spectrality from silent cinema to the digital era. New York: Bloomsbury. 2015

McCUTCHEON, Mark A. The medium is the monster: Canadian adaptations of Frankenstein and the discourse of technology. Toronto: AU Press/Athabasca University, 2018.

OLIVIER, Mark. Glitch Gothic. In: LEEDER, Murray (ed.). Cinematic Ghosts: Haunting and spectrality from silent cinema to the digital era. New York: Bloomsbury. 2015. p. 253-270.

SCONCE, Jeffrey. Haunted Media: Electronic Presence from Telegraphy to Television. Durham: Duke University Press, 2000

SOUSA, Ana Paula. Coronavirus vai marcar o fim de uma era no cinema. Folha de S.Paulo, São Paulo, 1 maio 2020. Caderno Ilustríssima, Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2020/05/coronavirus-vai-marcar-o-fim-de-uma-era-no-cinema.shtml. Acesso em: 26 ago. 2020.

ZIZEK, Slavoj. Pandemia: COVID 19 e a reinvenção do Comuninismo. Tradução de Artur Renzo. São Paulo: Boitempo, 2020.

Publicado
2021-06-30
Como Citar
Cánepa, L., & Ferraraz, R. (2021). HOST: Mídia assombrada e o mal-estar do confinamento. Revista FAMECOS, 28(1), e39240. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2021.1.39240