Para se repensar o pensamento da comunicação

  • Rodrigo Fonseca e Rodrigues Faculdade Metropolitana de Belo Horizonte
Palavras-chave: Pensamento, memória, imagem

Resumo

Este artigo se propõe a problematizar, nos estudos da comunicação, os fundamentos não-lingüísticos, as sínteses incomunicáveis e as performances condicionantes da memória e da sensação que constroem a realidade do seu pensamento. É notável a insuficiência da linguagem, sendo portadora de articulações próprias, recortando fluxos, intensidades e ritmos em unidades descontínuas. Esta lógica da representação exige que estabeleçamos em nossas idéias as mesmas distinções que percebemos haver entre objetos e relações. Antes de se pensar em objeto, em intersubjetividade ou em fenômenos da comunicação, por exemplo, cabe imaginar o pensamento como um transdutor de imagens, de memórias, de regimes semióticos e de fluxos a-lingüísticos. Seria preciso repensar o pensamento da comunicação para além dos processos comunicacionais ou semiósicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Fonseca e Rodrigues, Faculdade Metropolitana de Belo Horizonte
Professor da Faculdade Metropolitana de Belo Horizonte

Referências

BERGSON, Henry. Matéria e Memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

DELEUZE, Gilles; GATTARI, Félix. O que é a filosofia? São Paulo: Ed. 34, 1997.

GIL, José. Fernando Pessoa ou a metafísica das sensações. Lisboa: Relógio D'água Editores, 1997.

TARDE Gabriel. Monadologia e Sociedade. Petrópolis: Vozes, 2003.

Publicado
2008-04-14
Como Citar
e Rodrigues, R. F. (2008). Para se repensar o pensamento da comunicação. Revista FAMECOS, 14(34), 110-113. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2007.34.3460
Seção
Repensando a Comunicação