Aproximações à instabilidade temporal do contexto

  • Bruno Souza Leal Universidade Federal de Minas Gerais
  • Carlos Alberto de Carvalho UFMG
Palavras-chave: Contexto, Textualidade, Historicidade

Resumo

A noção de contexto, fundamental para uma série de perspectivas analíticas, ganha neste artigo problematizações que o situam em condição de instabilidade, particularmente definida a partir das conexões com a temporalidade. Buscamos evidenciar que, inicialmente na relação com as textualidades, as relações de contexto vão além da dicotomia “dentro” ou “fora” do texto, posto que marcadas pelas posições históricas, teóricas e epistemológicas das pesquisas e seus agentes na busca pela contextualização. Por seu turno, o contexto, normalmente visto como uma espécie de passado, pano de fundo ou moldura que auxiliaria na compreensão de textos, acontecimentos e outros fenômenos sociais e linguageiros, é visto em função de atravessamentos temporais complexos. Propomos, a partir do reconhecimento da instabilidade temporal do contexto, que o futuro, visto como antecipação, previsão ou outras estratégias para “dominá-lo”, é a temporalidade quase sempre ausente das análises contextuais, quando deveria ser condição primordial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Souza Leal, Universidade Federal de Minas Gerais
Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFMG. Coordenador do Núcleo de Estudos Tramas Comunicacionais. Pesquisador do CNPq
Carlos Alberto de Carvalho, UFMG
Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFMG. Coordenador do Núcleo de Estudos Tramas Comunicacionais. Pesquisador do CNPq

Referências

ABRIL, Gonzalo. Análisis crítico de textos verbovisuales. Madri: Síntesis, 2007.

______. Cultura visual: de lo semiótico a lo político. Madri: Plaza y Valdés, 2016.

APPADURAI, Arjun. The future as cultural fact. Londres: Verso, 2013.

ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

BAUMAN, Richard; BRIGGS, Charles. Poética e performance como perspectivas críticas sobre a linguagem e a vida social. Ilha – Revista de Antropologia, Florianópolis, UFSC, v. 8, n. 1-2, p. 185-229, 2006.

BENNETTI, Márcia; FONSECA, Virgínia (org). Jornalismo e acontecimento: mapeamentos críticos. Florianópolis: Insular, 2010.

DUCH, LLuis; CHILLÓN, Alberto. Un ser de mediaciones. Barcelona: Herder, 2012.

COHEN, Philip (org.). Texts and textuality. Nova Iorque: Routledge, 1997.

GRACÍA, Jorge E. A theory of textuality. Nova Iorque: State of New York University Press, 1995.

______. Texts: Ontological Status, Identity, Author, Audience. Albany: State University of New York Press, 1996.

GREIMAS, Algidas; COURTÉS, J. Dicionário de Semiótica. Campinas: Contexto, 2008.

HOUAISS, A. Grande dicionário Houaiss. Disponível em: https://houaiss.uol.com.br/pub/apps/www/v3-0/html/index.htm#0. Acesso em: 26 mar. 2017.

KOSELLECK, Reinhart. Estratos do tempo: estudos sobre história. Rio de Janeiro: Contraponto/PUC-Rio, 2014.

LEAL, Bruno; CARVALHO, Carlos; ALZAMORA, Geane (orgs). Textualidades mediáticas. Barcelona: Editorial UOC, 2017.

LEAL, Bruno; ANTUNES, Elton; VAZ, Paulo Bernardo (orgs.). Jornalismo e acontecimento: desafios metodológicos. Florianópolis: Insular, 2011

QUÉRÉ, Louis. Entre o facto e sentido: a dualidade do acontecimento. Trajectos, Revista de Comunicação, Cultura e Educação, Lisboa, ISCTE-IUL, n. 6, p. 59-75, 2005.

RICOEUR, Paul. O si mesmo como um outro. Campinas: Papirus, 1991.

______. Tempo e narrativa – Tomo I. Campinas: Papirus, 1994.

______. Tempo e narrativa – Tomo III. Campinas: Papirus, 1997.

______. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

______. O justo 1: a justiça como regra moral e como instituição. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

______. O justo 2: justiça e verdade e outros estudos. São Paulo: Martins Fontes, 2008a.

SILVERMAN, Hugh J. Textualities – between hermeutics and deconstruction. Nova Iorque: Routledge, 1994.

SODRÉ, Muniz. A narração do fato. Petrópolis: Vozes, 2012.

VOGEL, Daisi; SILVA, Gislene; MEDITSCH, Eduardo (orgs). Jornalismo e acontecimento. v. 4. Florianópolis: Insular, 2012.

Publicado
2017-08-01
Como Citar
Souza Leal, B., & de Carvalho, C. A. (2017). Aproximações à instabilidade temporal do contexto. Revista FAMECOS, 24(3), ID27042. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2017.3.27042
Seção
Dossiê