Uma perspectiva sistêmico-discursiva para estudos em comunicação organizacional

  • Victor Márcio Laus Reis Gomes Universidade Católica de Brasília
Palavras-chave: Teoria dos Sistemas, Abordagem discursiva, Comunicação Organizacional

Resumo

Este artigo aproxima a teoria dos sistemas de Niklas Luhmann e a abordagem discursiva de Eliseo Verón, com o objetivo de construir um quadro epistêmico-metodológico para subsidiar estudos em comunicação organizacional. São discutidas as noções centrais da teoria sistêmica e os pressupostos da abordagem discursiva, de forma a possibilitar uma síntese da perspectiva sistêmico-discursiva, seus possíveis reflexos sobre a noção de comunicação organizacional, bem como a indicação de possíveis caminhos de investigação. Nessa perspectiva, a comunicação pode ser considerada a essência da organização. Através dela é construída e mantida a distinção fundamental que assegura sua condição sistêmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victor Márcio Laus Reis Gomes, Universidade Católica de Brasília

Doutor em Comunicação Social.

Professor e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UCB - Universidade Católica de Brasília

Referências

BACHUR, João Paulo. Distanciamento e crítica: limites e possibilidades da teoria de sistemas de Niklas Luhmann. Tese (Doutorado em Ciência Política) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovitch. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

CURVELLO, João José A.; SCORFERNEKER, Cleusa Maria A. A comunicação e as organizações como sistemas complexos: uma análise a partir das perspectivas de Niklas Luhmann e Edgar Morin. E-compós: Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, v. 11, n. 3, 2008. Disponível em: http://www.compos.org.br/seer/index.php/ecompos/article/viewFile/307/300 Acesso em: 14 mar. 2014.

CURVELLO, João José Azevedo. A perspectiva sistêmico-comunicacional das organizações e sua importância para os estudos da comunicação organizacional. In: KUNSCH, Margarida M. Krohling (Org.). Comunicação organizacional: histórico, fundamentos e processos. São Paulo: Saraiva, 2009. v. 1, p. 91-106.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso: aula inaugural no Collége de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. São Paulo: Loyola, 1999.

HENRY, Paul. Os fundamentos teóricos da “Análise Automática do Discurso” de Michel Pêcheux. In: GADET, Françoise; HAK, Tony (Org.) Por uma análise automática do discurso: uma introdução a obra de Michel Pêcheux. Campinas: Edi. Unicamp, 1993.

LEITÃO, Sérgio Proença. Para uma nova teoria da decisão organizacional. RAP, Rio de Janeiro, v. 31, n. 2, p. 91-107, mar./abr. 1997.

LUHMANN, Niklas. Por que uma ”teoria dos sistemas”? In: NEVES, Clarissa E. B.; SAMIOS, Eva M. B. (orgs.). Niklas Luhmann: a nova Teoria dos Sistemas. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, Goethe-Institut/ICBA, 1997a.

_____. Novos desenvolvimentos na teoria dos sistemas. In: NEVES, Clarissa E. B.; SAMIOS, Eva M. B. (Org.). Niklas Luhmann: a nova Teoria dos Sistemas. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS; Goethe-Institut/ICBA, 1997b.

_____. O conceito de sociedade. In: NEVES, Clarissa E. B.; SAMIOS, Eva M. B. (Org.). Niklas Luhmann: a nova Teoria dos Sistemas. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, Goethe-Institut/ICBA, 1997c.

_____. Complejidad y modernidade: de la unidad a la diferencia. Madrid: Trotta, 1998.

_____. A realidade dos meios de comunicação de massa. São Paulo: Paulus, 2005a.

_____. The paradox of decision making. In: SEIDL, David. BECKER; Kai H. (Org.). Niklas Luhmann and Organization Studies. Copenhagen: Copenhagen Business School Press, 2005b.

_____. A improbabilidade da comunicação. Lisboa: Vega, 2006.

_____. Introdução à teoria dos sistemas. Petrópolis: Vozes, 2011.

LYOTARD, Jean François. A condição pós-moderna. Rio de Janeiro: José Olympio, 2002.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de textos de comunicação. São Paulo: Cortez, 2008.

MARCONDES FILHO, Ciro. O escavador de silêncios. São Paulo: Paulus Editora, 2004.

_____. Prefácio à edição brasileira: Niklas Luhmann, a comunicação vista por um novo olhar. In: LUHMANN, Niklas. A realidade dos meios de comunicação de massa. São Paulo: Paulus, 2005.

MATURANA, Humberto; VARELA, Francisco. A árvore do conhecimento: as bases biológicas do conhecimento humano. Campinas: Psy II, 1995.

PARSONS, Talcott. The social system. New York: Free Press, 1951.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Ed. Unicamp, 2009.

RODRIGUES, Leo Peixoto; NEVES, Fabrício Monteiro. Niklas Luhmann: a sociedade como sistema. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2012.

SOARES, Ana Thereza Nogueira. A comunicação organizacional sob o olhar teórico – contribuições de Niklas Luhmann. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 28., 2005, Rio de Janeiro. Anais ... Rio de janeiro: INTERCOM – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, 2005, p. 1-12. Disponível em: http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2005/resumos/R0533-1.pdf Acesso em: 08 set. 2014.

SIMON, Herbert A. Comportamento administrativo: estudo dos processos decisórios nas organizações administrativas. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1970.

VERÓN, Eliseo. A produção de sentido. São Paulo: Cultrix; Ed. da USP, 1980.

VERÓN, Eliseo. La semiosis social: fragmentos de uma teoria de la discursividad. Barcelona: Gedisa, 1996.

______. Semiosis de lo ideológico y del poder: la mediatización. Buenos Aires: Oficina de Publicaciones del CBC, 1997a.

______. Esquema para el análisis de la mediatización. Revista Diálogos de la Comunicación, n. 48, 1997b.

______. Fragmentos de um tecido. São Leopoldo: Ed. Unisinos, 2004.

Publicado
2015-11-10
Como Citar
Gomes, V. M. L. R. (2015). Uma perspectiva sistêmico-discursiva para estudos em comunicação organizacional. Revista FAMECOS, 23(1), ID20906. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2016.1.20906
Seção
Ciências da Comunicação