Entre brechas, cortes e rasuras: relações étnico-raciais e censura cinematográfica na ditadura militar

  • Pedro Vinicius Asterito Lapera Fundação Biblioteca Nacional
Palavras-chave: Cinema brasileiro, censura, raça, etnicidade

Resumo

Este artigo pretende analisar como os órgãos de censura avaliavam os filmes brasileiros durante o regime militar vigente entre 1964 e 1985. Mais precisamente, abordaremos os casos de quatro filmes: Macunaíma (Joaquim Pedro de Andrade, 1969), Iracema, uma transa amazônica (Jorge Bondanzky e Orlando Senna, 1974), Compasso de Espera (Antunes Filho, 1975) e Tenda dos Milagres (Nelson Pereira dos Santos, 1976). Partindo desses casos, buscaremos verificar em que medida a representação de situações de conflito étnico-racial incomodavam os agentes da censura à época, uma vez que o regime militar era claramente guiado pelas doutrinas do luso-tropicalismo e do nacional-desenvolvimentismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Vinicius Asterito Lapera, Fundação Biblioteca Nacional
Doutor em Comunicação pelo PPGCOM-UFF e pesquisador da Fundação Biblioteca Nacional

Referências

ALBUQUERQUE JR., Durval Muniz de. A Invenção do Nordeste e outras artes. Recife: Fundação Joaquim Nabuco; Massangana; São Paulo: Cortez, 2006.

APPADURAI, Arjun. The Past as a scarce resource. Man, v. 16, n. 2, 1981, p. 201-219.

BARTH, Fredrik. O guru, o iniciador e outras variações antropológicas. Rio de Janeiro: Contracapa, 2000.

BHABHA, Homi. O Local da Cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2005.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. São Paulo, Bertrand Brasil, 2006.

CARVALHO, Noel dos Santos. Cinema e representação racial: o Cinema Negro de Zózimo Bulbul. Tese (Doutorado em Sociologia) - Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade de São Paulo, 2006.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

CHOR, Marcos. A História do Projeto UNESCO: estudos raciais e ciências sociais no Brasil. Tese (Doutorado) - Instituto Universitário de Pesquisas do Estado do Rio de Janeiro (IUPERJ), 1997.

ELIAS, Norbert & SCOTSON, Joan. Os Estabelecidos e os Outsiders. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio Alfredo. Classes, raças e democracia. São Paulo, Ed. 34, 2002.

LAPERA, Pedro Vinicius Asterito. A presença de “Iracema, uma transa amazônica” (1974) no cinema brasileiro. In: E-compós, Brasília, v. 11, n. 2, maio/ago 2008. Disponível em:

http://www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/view/304/280 < Acesso em 20 dez 2014 >

PINTO, Leonor E. Souza. Le cinema brésilien au risque de la censure imposée pendant la dictature militaire de 1964 à 1985. Tese (Doutorado) - École Supérieure d´Audiovisuel da Université de Toulouse, 2001. Disponível em: www.memoriacinebr.com.br

______. La résistance du cinema brésilien face à la censure imposée par le régime militaire au Brésil - 1964 / 1988. 2006. Disponível em www.memoriacinebr.com.br

______. Macunaíma: 16 anos de luta contra a censura. 2007. Disponível em: www.memoriacinebr.com.br

SIMÕES, Inimá. Roteiro da intolerância: a censura cinematográfica no Brasil. São Paulo: SENAC, 2004.

Publicado
2015-06-01
Como Citar
Lapera, P. V. A. (2015). Entre brechas, cortes e rasuras: relações étnico-raciais e censura cinematográfica na ditadura militar. Revista FAMECOS, 22(2), 82-98. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2015.2.19927
Seção
Cinema