Dimensões comunicacionais no conceito de Escultura Social na arte de Joseph Beuys

  • Magda Salete Vicini Universidade Oeste de Santa Catarina
Palavras-chave: Joseph Beuys, Comunicação, Escultura Social

Resumo

Este artigo aborda parte do primeiro capítulo de tese de doutorado, no qual foi apresentada a possível origem epistemológica e norteadora do conceito de Escultura Social na obra do artista alemão Joseph Beuys (1921-1986), nos autores Tisdall (1998, 2008), Bunge (1998), Borer (2001) e Durini (2001). Apresenta as características comunicacionais do conceito de Escultura Social de Beuys em relação a autores como Negri e Hardt (2005), Maturana e Varella (1995), Flusser (2008) e Gorz (2005), que realizam uma crítica a comunicação. Com caráter qualitativo, análises bibliográficas, análise imagética e sonora de vídeos e fotos da produção artística de Joseph Beuys, comprova-se que a produção deste artista em cartazes, desenhos, aquarelas, ações, performances, vitrines, vídeos e esculturas, pretendem expressar e despertar as pessoas para reflexões sobre arte, política, educação, entre outros temas, a partir da comunicação em suas obras. Sua arte, como Escultura Social, tem por objetivo promover o pensamento, a fala, o raciocínio. É, assim, arte ampliada, como crítica a comunicação e à cultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Magda Salete Vicini, Universidade Oeste de Santa Catarina
Professora da Universidade Oeste de Santa Catarina

Referências

ADRIANI, Götz; KONNERTZ, Winfried; THOMAS, Karin. Joseph Beuys: life and works. New York: Barron´s Educational Series, Inc., 1979.

BASTIAN, Heiner; SIMMEN, Jeannot. ZEICHNUNGEN Tekeningen drawings – Joseph Beuys. Ausstellung und Katalog; Nationalgalerie Berlin; Staatliche Museen PreuBischer Kulturbesitz; Museum Boymans – van Beuningen Rotterdam Prestel. München: Prestel-Verlag, 1979/1980.

BUNGE, Matthias; GOLD, Helmut; STAECK, Klaus; NEUHAUS, Jörg. Wer Nicht Denken Will Fliegt Raus – Joseph Beuys Postkarten. Publikation der Museumsstiftung Post und Telekommunikation. Heidelberg: Editon Braus, 1998.

BORER, Alain. Joseph Beuys. São Paulo: Cosac & Naify, 2001.

COHEN, Renato. Performance como linguagem: criação de um tempo-espaço de experimentação. Perspectiva: Editora da Universidade de São Paulo: São Paulo, 1989.

D´AVOSSA, Antonio; HARLAN, Volker; RAPPMANN, Rainer. A Revolução somos nós – Joseph Beuys. SESC Pompéia, Associação Cultural VideoBrasil, São Paulo: Ed. Sesc, 2010.

DURINI, Lucrezia de Domizio (Org.). Joseph Beuys: the image of humanity. Trento, Italy: Silvana Editoriale: Museo di Arte Moderna e Contemporanea di Trento e Rovereto, 2001.

FLUSSER, Vilém. O universo das imagens técnicas: elogio da superficialidade. São Paulo: Annablume, 2008.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método – Traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Tradução Flávio Paulo Meurer. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

HARLAN, Volker. What is Art? Forest Row, England: Clairvewa, 2007.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. A fenomenologia do espírito. Tradução Paulo Meneses, com colaboração de Karl-heinz Efken e José Nogueira Machado. São Paulo: Vozes, 2008.

KUONI, Carin. Joseph Beuys in america. New York, EUA: Four Walls Eight Windows, 1993.

MATURANA, Humberto R.; VARELLA, Francisco G. A árvore do conhecimento: as bases biológicas do entendimento humano. Tradução Jonas Pereira dos Santos. São Paulo: Editoria Psy II, 1995.

NEGRI, Antonio; HARDT, Michael. Multidão: guerra e democracia na era do império. São Paulo: Record, 2005.

PLAZA, Julio. Tradução intersemiótica. São Paulo: Perspectiva, 2003.

RADAELLI, Samuel. Vulnerabilidade Social. Grupo Gedis. Disponível em: http://grupogedis.blogspot.com/ - Acesso em: 27 mar. 2011.

STEINER, Georg. Depois de babel: questões de linguagem e tradução. Tradução Carlos Alberto Faraco. Curitiba (PR): Editora da UFBR, 2005.

TISDALL, Caroline. Joseph Beuys: we go this way. London, England: Violette Editions, 1998.

______. Joseph Beuys: Coyote. London, England: Thames & Hudson, 2008.

VICINI, Magda. A arte de Joseph Beuys: pedagogia e hipermídia. São Paulo: Mackienzie, 2006.

Publicado
2014-09-10
Como Citar
Vicini, M. S. (2014). Dimensões comunicacionais no conceito de Escultura Social na arte de Joseph Beuys. Revista FAMECOS, 21(2), 459-483. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2014.2.15393
Seção
Epistemologia