Território e virtualidade: quando a “cultura” retorna no cinema

  • Cezar Migliorin Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Cinema Brasileiro, Documentário, Cultura

Resumo

O filme As Hipermulheres de Takumã Kuikuro, Carlos Fausto e Leonardo Sette narra o cotidiano de uma aldeia Kuikuro durante a preparação e execução de uma tradicional festa que desde 1981 não acontecia na aldeia de forma completa. Esse artigo visa interrogar os sentidos propostos e produzidos com o cinema no retorno da festa à comunidade. Pretendemos explorar as marcas políticas de uma tradição que com o documentário retorna como informação e experiência sensível. Refletimos sobre os gestos que constroem um território, necessário para a política, e as virtualidades da própria comunidade na relação com o cinema e com a “cultura” que retorna com o ele.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cezar Migliorin, Universidade Federal Fluminense

Referências

CARNEIRO DA CUNHA, Manuela. Cultura com aspas. São Paulo: Cosac & Naify, 2010.

COMOLLI, Jean-Louis. Ver e poder. A inocência perdida: cinema, televisão, ficção, documentário. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

DELEUZE, Gilles. Cinema II: a imagem-tempo. São Paulo: Brasiliense, 1990.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mille Plateaux. Paris: Les Éditions de Minuit, 1980.

______. Anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia. Tradução de L. Orlandi. São Paulo: 34, 2010.

FAUSTO, Carlos. No registro da cultura: o cheiro dos brancos e o cinema dos índios. In: CARELLI, Vincent; IGNACIO DE CARVALHO, Ernesto; DE CARVALHO, Ana (Org.). Vídeo nas Aldeias: 25 anos. v. 1. Olinda: Vídeo nas Aldeias, 2011.

FRANCHETO, Bruna. Mulheres entre os Kuikuro. In: Estudos Feministas, v. 4, jan./jul. 1996.

GOLDMAN, Márcio. Os tambores do antropólogo: antropologia pós-social e etnografia. In: PontoUrbe, jul. 2008.

GONÇALVES, Marco Antônio. Traduzir o outro: etnografia e semelhança. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2010.

GUIMARÃES, César. Vidas ordinárias, afetos comuns: o espaço urbano e seus personagens no documentário. In: GOMES, Isabel; CORDEIRO, Renato (Org.). Espécies de espaço: territorialidades, literatura, mídia. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

LATOUR, Bruno. Redes que a razão desconhece: laboratórios, bibliotecas, coleções. In: PARENTE, André (Org.). Tramas da rede. Porto Alegre: Sulina, 2004.

______. Se falássemos um pouco de política? In: Política & Sociedade, Florianópolis, n. 4, p. 11-41, abr. 2004.

ROUCH, Jean. La caméra et les hommes. In: DE FRANCE, Claudine (Ed.). Pour une Anthropologie visuelle. La Haye: Mouton, p. 53-71, [1973] 1979.

VELLOSO, Silvia Pimenta. Os abismos da suspeita: Nietzsche e o perspectivismo. Rio de Janeiro: RelumeDumará, 2003.

VIVEIROS E CASTRO, Eduardo. Métaphysiques cannibales. Paris: PUF, 2009.

______. A inconstância da alma selvagem. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

WAGNER, Roy. A invenção da Cultura. São Paulo: Cosac & Naify, 2010.

Publicado
2013-09-16
Como Citar
Migliorin, C. (2013). Território e virtualidade: quando a “cultura” retorna no cinema. Revista FAMECOS, 20(2), 275-295. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2013.2.14207
Seção
Cinema