“Professores ideais” e as interações estabelecidas em sala de aula

Palavras-chave: Interações, Práticas docentes, Afetividade, Aprendizagem

Resumo

O presente artigo busca identificar as concepções e intencionalidades dos professores a respeito das relações estabelecidas em sala de aula com estudantes adolescentes. Para tanto, três professores indicados por estudantes, de uma turma de nono ano do Ensino Fundamental, como sendo “professores ideais” ou que se aproximam de práticas docentes julgadas como ideais, responderam a um questionário referente à intencionalidade das práticas desses profissionais, bem como as concepções a respeito das relações estabelecidas em sala de aula com os estudantes. A fala dos alunos, assim como as respostas dadas pelos professores, passou por um processo de interpretação inspirada na Análise de Conteúdo de Laurence Bardin, dialogando com estudos teóricos referentes às temáticas da interação em sala de aula, das dimensões profissionais e pessoais da docência, dos aspectos afetivos presentes nas relações estabelecidas entre professores e alunos e a consequente influência na aprendizagem. A análise dos questionários respondidos pelos profissionais, somada aos apontamentos dos estudantes e à discussão teórica, aponta para a presença de três elementos fundamentais: os aspectos técnicos da profissão docente, os aspectos (inter)subjetivos e éticos desse ofício, com destaque à presença da afetividade e a utilização de metodologias variadas. Conclui-se que o discurso dos professores se aproxima, em determinados aspectos, das indicações dos estudantes, mas que ainda há uma grande distância entre as concepções desses profissionais a respeito das interações presentes em sala de aula e a respectiva utilização intencional como potencial facilitador da aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Scatolin, Universidade Federal da Fronteira Sul, Erechim, RS, Brasil.

Mestrado profissional em andamento no Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação pela Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Erechim, Brasil.

Ivone Maria Mendes Silva, Universidade Federal da Fronteira Sul, Erechim, RS, Brasil.

Doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo (USP), Brasil. Atualmente, é professora adjunta na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Erechim, RS, Brasil.

Referências

ANTUNES, Celso. Novas maneiras de ensinar, novas formas de aprender. Porto Alegre: Artmed, 2007.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Almedina Brasil, 2016.

BARTOSZECK, Amauri. Neurociência na educação. Revista Eletrônica Faculdades Integradas Espírita, v. 1, p. 1-6, 2006. Disponível em: https://nead.ucs.br/pos_graduacao/Members/419745-30/artigo%20neurociencias%20e%20educacao.pdf

BUHLER, Caren. Bons professores que fazem a diferença na vida do aluno: saberes e práticas que caracterizam sua liderança. 2010. 170 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica do rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010. Disponível em: http://repositorio.pucrs.br/dspace/handle/10923/2806

CHARLOT, Bernard. A escola e o trabalho dos alunos. Sísifo: Revista de Ciências da Educação, n. 10, p. 89-96, 2009. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/ejemplar/236044

FALCIN, Daniela Cavani. Afetividade e condições de ensino: histórias de professores inesquecíveis. In: LEITE, Sérgio Antônio da Silva. (Org.). Afetividade e Práticas Pedagógicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

FELIX, Daniela Comassetto. O bom professor na concepção do aluno: adolescentes em busca de um referencial adulto. 2009. 96 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009. Disponível em: http://repositorio.pucrs.br/dspace/handle/10923/2786

FONTANELLA, Bruno José Barcellos; RICAS, Janete; TURATO, Egberto Ribeiro. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 1, n. 24, p. 17-27, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v24n1/02.pdf

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. 45ª Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

FREUD, S. Algumas reflexões sobre a psicologia do escolar. In: ______. Edição Standard Brasileira (Obras Completas de Sigmund Freud), v. XIII. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

GALVÃO, Izabel. Expressividade e emoções segundo a perspectiva de Walllon. In: ARANTESA, Valéria Amorim. (Org.). Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. 3ª Ed. São Paulo: Summus, 2003, p. 71-88.

GIL, Antonio Carlos. Didática do ensino superior. São Paulo: Atlas, 2015.

GONÇALVES, José Alberto M. A carreira das professoras do ensino primário. In: NÓVOA, António. Vidas de professores. 2ª Ed. Porto: Porto Editora, 1992.

HOLLY, Mary Louise. Investigando a vida profissional dos professores: diários biográficos. In: NÓVOA, António. Vidas de professores. 2ª Ed. Porto: Porto Editora, 1992.

KAGER, Samantha. As dimensões afetivas no processo de avaliação. In: LEITE, Sérgio Antônio da Silva. (Org.). Afetividade e Práticas Pedagógicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

LEITE, Sérgio Antônio da Silva. Afetividade e práticas pedagógicas. In: LEITE, Sérgio Antônio da Silva. (Org.). Afetividade e Práticas Pedagógicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MOITA, Maria da Conceição. Percursos de formação e de trans-formação. In: NÓVOA, António. Vidas de professores. 2ª Ed. Porto: Porto Editora, 1992.

OLIVEIRA, Camila Alberto Vicente de. O que os estudantes universitários pensam sobre seus professores? Um estudo sobre os professores dos cursos de licenciatura do campus Jataí da Universidade Federal de Goiás. 2013. 161 f. Tese (Doutorado em educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-13022014-120236/pt-br.php

PARREIRA, Lelis Dias; LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia como ciência da educação. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v.37, n.131, p. 511-518, 2007. http://doi.org/10.1590/S0100-15742007000200013

PERRENOUD, Philippe. A Prática Reflexiva no Ofício de Professor: Profissionalização e Razão Pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2002.

RIOS, Terezinha Azerêdo. A dimensão ética da aula ou o que nós fazemos com eles. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro. (Org.). Aula: gênese, dimensões, princípios e práticas. Campinas: Papirus, 2008, p. 73-93.

SACRISTÁN, J. Gimeno. Consciência e acção sobre a prática como libertação profissional do professores. In: NÓVOA, António. (Org.). Profissão Professor. 2ª Ed. Porto: Porto Editora, 1995.

SANTOS, Solange Mary M. Formação continuada numa perspectiva de mudança pessoal e profissional. Sitientibus, Feira de Santana, n. 31, p. 39-74, 2004. Disponível em: http://www2.uefs.br:8081/sitientibus/pdf/31/formacao_continuada.pdf

SOUZA, Maria Thereza Costa Coelho de. As relações entre afetividade e inteligência no desenvolvimento psicológico. Psicologia: teoria e pesquisa, Brasília, v. 27, n. 2, p. 249-254, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ptp/v27n2/a05v27n2.pdf

TAGLIAFERRO, Ariane Roberta. Meu professor inesquecível: a construção de uma memória coletiva. In: LEITE, Sérgio Antônio da Silva. (Org.). Afetividade e Práticas Pedagógicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 6ª Ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 7ª Ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

TASSONI, Elvira Cristina Martins. Dimensões afetivas na relação professor-aluno. In: LEITE, Sérgio Antônio da Silva. (Org.). Afetividade e Práticas Pedagógicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

VENTURA, Maria Clara Amado Apóstolo; NEVES, Marília Maria Andrade Marques da Conceição e; LOUREIRO, Cândida Rosalinda Exposto Costa; FREDRICO-FERREIRA, Maria Manuela; CARDOSO, Edimar Márcio Pires. O “bom professor”: opinião dos estudantes. Revista de Enfermagem Referência, v. 3, n. 5, p. 95-102, 2011. https://doi.org/10.12707/RIII1167

Publicado
2021-07-23
Como Citar
Scatolin, P., & Silva, I. M. M. (2021). “Professores ideais” e as interações estabelecidas em sala de aula. Educação Por Escrito, 12(1), e36980. https://doi.org/10.15448/2179-8435.2021.1.36980