A modernização da educação pública brasileira e a necessidade de uma gestão educacional por competência

Palavras-chave: Gestão Pública, Gestão por Competência, Educação Pública

Resumo

Sem a pretensão de aprofundar ou esgotar o tema, este artigo limitou-se a analisar a viabilidade da introdução da gestão por competência no âmbito da gerência educacional em razão das exigências trazidas pela globalização. O estudo analisa como o processo de modernização do sistema de educação brasileiro necessita de mudanças em seus paradigmas e a pertinência da gestão educacional no centro dessas mudanças. Tem-se como uma possível sugestão a criação de políticas públicas para se pensar um modelo de capacitação de gestores de instituições públicas de ensino a partir de um processo abrangente e transdisciplinar, no qual odesenvolvimento de habilidades com vistas a alcançar competências variadaspossa constituir um novo acervo de atitudes e comportamentos adequados, nãopara suprir as exigências dos financiadores internacionais da educação brasileira,mas para cumprir com a função social a qual é determinada para a escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Lemos Duarte de Castro Gama, Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina, PE, Brasil.

Mestra em Administração Pública, programa PROFIAP/ UNIVASF. Especialista em Administração Pública e Responsabilidade Fiscal (Escola Superior Aberta do Brasil, ESAB, Brasil) e em Neuropsicopedagogia Clínica e Institucional(), graduanda em Pedagogia (Grupo Educacional IBRA, Brasil).
Membro do Grupo de Pesquisa Educação e Desenvolvimento, (dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5352221307673741), da Linha de Pesquisa Infância e Educação Infantil dgp.cnpq.br/dgp/espelholinha/535222130767374172425) e participa do grupo de estudos do Núcleo de Estudos e Práticas sobre infâncias e Educação Infantil NUPIE. Membro do Laboratório de Estudos e Práticas em Pesquisa-Formação. Administradora na Universidade Federal do Vale do São Francisco.

Marcelo Silva de Souza Ribeiro, Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina, PE, Brasil.

Doutorado em Ciências da Educação pela Université du Québec, Montréal (2013). Mestre em Educação em Pesquisa pela Université du Québec, Montréal. Tem graduação em Psicologia pelo Centro de Ensino Superior de Maceió (1994), especialização em Educação Especial (UFAL/1994) e Educação a Distância (SENAC AL/2011). Atualmente é pós-doutorando da Universidade Federal da Bahia, (BA, Brasil). Professor adjunto da Universidade Federal do Vale do São Francisco, lotado no Colegiado de Psicologia, professor do Mestrado em Psicologia (Univasf), professor programa de Mestrado em Formação Docente da Universidade de Pernambuco (UPE, Campus Petrolina) e editor da Revista de Educação do Vale do São Francisco, Revasf. Coordena do projeto de pesquisa, “A relação das crianças com os seus pais o lugar da brincadeira”; em cooperação internacional com a Université du Québec à Trois Riviéres (UQTR). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Psicologia Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: infância, novas tecnologias, processos inclusivos e formação profissional. A favor da manutenção e valorização do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação/ A favor do retorno à normalidade democrática.

Referências

ALTMANN, Helena. Influências do Banco Mundial no projeto educacional brasileiro. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 28, n. 1. jan./jun. 2002. p. 77-89. https://doi.org/10.1590/S1517-97022002000100005.

BASSO, Jaqueline Daniela; BEZERRA Luiz Neto. As influências do neoliberalismo na educação brasileira: algumas considerações. Revista eletrônica itinerarius reflectionis, Jataí, v. 1, n. 16, 2014. https://doi.org/10.5216/rir.v1i16.29044.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil: de 5 de outubro de 1988. Brasília, 1988.

CASTILHO, R. Justiça social e distributiva: desafios para concretizar direitos sociais. São Paulo: Saraiva, 2009.

CASTRO, Alda. Maria. Duarte. Araujo. Administração Gerencial: a nova configuração da gestão da educação na América Latina. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Porto Alegre, v. 24, n. 3, p. 389-406, set./dez. 2008. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/rbpae/article/view/19265.

CORAGGIO, José Luis. Educación y Desarrollo Local. Buenos Aires: [s.n.], 2001. Disponível em: http://www.coraggioeconomia.org/jlc/archivos%20para%20descargar/eduydesarrollolocal.pdf. Acesso em: 30 set. 2018.

CORRÊA, Francinete Massulo. Implicações da performatividade na formação continuada e no trabalho pedagógico do gestor escolar. 2017. Tese (Doutorado em Educação)-- São Paulo, PPGE, UNINOVE, 2017.

DUTRA, Joel Souza. Competências: conceitos e instrumentos para a gestão de pessoas na empresa moderna. São Paulo: Atlas, 2008.

FERNANDES, Cássia do Carmo Pires. O programa escola de gestores da educação básica e seus efeitos para a formação de gestores escolares em Minas Gerais. Tese (Doutorado em Educação)-- Juiz de Fora: UFJF, 2015. Disponível em: https://repositorio.ufjf.br/jspui/bitstream/ufjf/184/1/cassiadocarmopiresfernandes.pdf.

FORTUNATTI, José. Gestão da educação pública: caminhos e desafios. Porto Alegre: Artmed, 2008. p. 51-54. Disponível em: https://books.google.com.br/books?id=REAfFRXP86oC&pg=PA51&hl=pt-. Acesso em: 01 out. 2018.

GENTILI, Pablo. Neoliberalismo e educação: manual do usuário. Disponível em: http://firgoa.usc.es/drupal/node/3036. Acesso em: 4 abr. 2006.

LÜCK, Heloísa. Perspectiva da Gestão Escolar e Implicações quanto à Formação de seus Gestores. Em Aberto, Brasília, v. 17, n. 72, p. 11-33, fev./ jun. 2000.

MCLAREN, P.; BALTODANO, M. The Future of Teacher Education and the Politics of Resistance. Teacher Education, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 31-44, 2000. https://doi.org/10.1080/10476210050020363.

PATTO, Maria Helena Souza. “Escolas cheias, cadeias vazias” Nota sobre as raízes ideológicas do pensamento educacional brasileiro. Estudos avançados, [S. l.], v. 21, n. 61, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ea/v21n61/a16v2161.pdf https://doi.org/10.1590/S0103-40142007000300016.

PARO, Vitor Henrique. A educação, a política e a administração: reflexões sobre a prática do diretor de escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 36, n.3, p. 763-778, set./dez. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v36n3/v36n3a08. https://doi.org/10.1590/S1517-97022010000300008.

PEREIRA, Sandra Márcia Campos. Projeto Nordeste de educação básica e o FUNDESCOLA: uma análise do discurso governamental e do Banco Mundial sobre a qualidade do ensino. 2007. 149p. Tese (Doutorado em Educação)--Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista, Araraquara, SP, 2007.

SILVA, Francielle Molon da; MELLO, Simone Portella Teixeira de. A implantação da Gestão por Competências: práticas e resistências no setor público. Revista Eletrônica de Administração e Turismo-ReAT, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 110-127, 2013.

TEIXEIRA, Anísio. Que é administração escolar? Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Rio de Janeiro, v. 36, n. 84, p. 84-89, 1961.

UNESCO. Proyecto Principal de Educación. Declaração de Santiago. Santiago do Chile. Boletin, Santiago do Chile, n. 31, ago.1993.

Publicado
2020-10-30
Como Citar
Gama, V. L. D. de C., & Ribeiro, M. S. de S. (2020). A modernização da educação pública brasileira e a necessidade de uma gestão educacional por competência. Educação Por Escrito, 11(2), e32233. https://doi.org/10.15448/2179-8435.2020.2.32233
Seção
Artigos