Entre armas e pincéis

O quadro “Batalha do Avaí” e o seu contexto histórico de produção

Palavras-chave: Guerra do Paraguai, Batalha do Avaí, Império, Pintura Histórica.

Resumo

O presente artigo busca analisar o início, o desenvolvimento e os desdobramentos da Guerra do Paraguai ou Tríplice Aliança (1864-1870). O artigo também pretende analisar as diversas interpretações historiográficas produzidas sobre o conflito e, não obstante, a relação de uma destas correntes com a produção do quadro “Batalha do Avaí” (1877), do pintor oitocentista Pedro Américo. Para finalizar, estabeleceremos uma relação entre a confecção desta tela e a sua época de produção, ou seja, a segunda metade do século XIX, já que este período foi fortemente influenciado pela chamada “pintura histórica” e pelo financiamento estatal em pinturas que buscavam retratar feitos, heróis e a grandiosidade de uma nação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Luiz Souza, Universidade Federal de Alfenas (Unifal), Alfenas, MG, Brasil.

Mestrando em História Ibérica pela Universidade Federal de Alfenas (Unifal), em Alfenas, MG.

Referências

BASILE, Marcelo Otávio de Neri. O Império brasileiro: panorama político. In: LINHARES, Maria Yedda (org.). História geral do Brasil. Rio de Janeiro. Campus, 1990.

BAXANDALL, Michael. Padrões de intenção: a explicação histórica dos quadros. São Paulo: Companhia das letras, 2006.

BOX, Pelham Horton. Las origenes de la guerra de la Paraguay contra la Tríplice Aliança. Buenos Aires: Niza, 1958.

COLI, Jorge. Pedro Américo, Victor Meirelles, entre o passado e o presente. Revista de Historia del Arte y Cultura Visual del Centro Argentino de Investigadores de Arte (CAIA), [S. l.], n. 3, 2013.

CUNHA, Angelina Maria Lopes da. O cartaz como arma de propaganda: a literacia visual histórica de alunos de 9º ano de escolaridade. Tese (Doutorado) – Universidade do Minho, Lisboa, 2009.

CHIAVENATO, Julio José. Genocídio americano: a Guerra do Paraguai. Editora Brasiliense, 1982.

CUNHA, Alvaro Saluan da. A Rendição de Uruguaiana, de Pedro Américo, e as litografias na Guerra do Paraguai. [S. l.]: Centro Acadêmico de História da UFJF, 2016.

DORATIOTO, Francisco Fernando Monteoliva. Maldita guerra: a nova história da Guerra do Paraguai. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

FERREIRA, Gabriela Nunes. O rio da Prata e a consolidação do Estado imperial. São Paulo: Hucitec, 2006.

MAGNOLI, Demétrio. O corpo da pátria: imaginação geográfica e política externa no Brasil (1808-1912). São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista/Moderna, 1997.

MOLINA, Ana Heloisa. Ensino de História e Imagens: possibilidades de pesquisa. Domínios da imagem, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 15-29, 2014. https://doi.org/10.5433/2237-9126.2007v1n1p16.

POMER, Leon. A Guerra do Paraguai: a grande tragédia rioplatense. São Paulo: Global, 1980.

POMER, Leon. Paraguai: nossa guerra contra esse soldado. São Paulo: Global, 2001.

SALLES, Ricardo. A Guerra do Paraguai: escravidão e cidadania na formação do Exército. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

SALLES, Ricardo. Guerra do Paraguai: memórias & imagens. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 2003.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. A Batalha do Avaí: a beleza da barbárie: a Guerra do Paraguai pintada por Pedro Américo. São Paulo: Sextante Artes, 2013.

SOUSA, Jorge Prata de. Escravidão ou morte: os escravos brasileiros na Guerra do Paraguai. 2. ed. Rio de Janeiro: Mauad/ Adesa, 1996.

Publicado
2020-11-05
Como Citar
Souza, R. L. (2020). Entre armas e pincéis: O quadro “Batalha do Avaí” e o seu contexto histórico de produção. Oficina Do Historiador, 13(2), e37787. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2020.2.37787
Seção
Artigos