A valoração dos tons de pele em "Caras e Cores"

Palavras-chave: Círculo de Bakhtin, Enunciado, Discurso Publicitário

Resumo

Com fundamento nas contribuições teórico-metodológicas propostas pelos estudos bakhtinianos, este artigo toma o filme publicitário “Caras e Cores”, da Faber-Castell, como corpus de um trabalho analítico de enunciado audiovisual, explicitado em sua unidade arquitetônica como verbivocovisual. O objetivo se volta a compreender se e como a verbivocovisualidade contribui para a análise, em especial, de discursos sincréticos, em que essas três dimensões se explicitam e constituem a unidade integral do discurso. Para isso, são mobilizadas, em conjunto, as noções bakhtinianas de enunciado, signo ideológico, voz social e relações dialógicas. Os resultados apontam para a produtividade da verbivocovisualidade e a análise do filme publicitário revela que a marca ressignifica o signo ideológico “cor de pele” e traz à tona o discurso sobre diversidade e representatividade como estratégia mercadológica lucrativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciane de Paula, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Assis, SP, Brasil

Doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), em Araraquara, SP, Brasil; mestre em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), em Araraquara, SP, Brasil. Professora da Universidade Estadual Paulista (UNESP), em Assis, SP, Brasil.

Tacicleide Dantas Vieira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), Natal, RN, Brasil

Doutora em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal, RN, Brasil; mestre em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal, RN, Brasil. Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), em São Paulo do Potengi, RN, Brasil.

Gabriella Cristina Vaz Camargo, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara, SP, Brasil.

Mestre em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal de Goiás/Regional Catalão (UFG/RC), em Catalão, GO, Brasil; doutoranda em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), em Araraquara, SP, Brasil

Janaína Moreno Matias, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, RN, Brasil.

Mestre em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal, RN, Brasil; doutoranda em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal, RN, Brasil,

Referências

ADOBE COLOR. Adobe Color Wheel. Copyright 2021. Disponível em https://color.adobe.com/pt/create/color-wheel. Acesso em: 25 dez. 2021.

AQUARELA. [Compositor e intérprete]: Toquinho. Rio de Janeiro: Ariola, 1983. 1 CD (43 min.).

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. Rio de Janeiro: 34, 2016.

BAKHTIN, M. Problemas da Poética de Dostoiévski. São Paulo: Martins Fontes, 2015.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BAKHTIN, M. Questões de literatura e estética. São Paulo: EdUNESP: HUCITEC, 1988.

BAKHTIN, M. (VOLOSHINOV, V). Discurso na Vida, Discurso na Arte (Sobre a Poética Sociológica). Tradução para fins acadêmicos de Carlos Alberto Faraco e Cristóvão Tezza, a partir da tradução inglesa de I. R. Titunik., Mimeo, s/d. CAMPOS, A. de; PIGNATARI, D.; CAMPOS, H. de. Teoria da Poesia Concreta. São Paulo: Duas Cidades, 1975.

CANVA. Canva Color Palette Generator. 2021. Disponível em: https://www.canva.com/colors/color-palette-generator. Acesso em: 25 dez. 2021. CARAS e Cores Faber-Castell. [S. l.: s. n.], 2018. 1 vídeo (1 min). Publicado pelo canal Faber-Castell oficial. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=gJ5HZHAYbtk. Acesso em: 9 dez. 2021.

CARTA CAPITAL. Qual é a cor do “cor de pele”? Carta Capital, [S. I.], 19 set. 2018. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/diversidade/qual-e-a-cor-do-201ccor-de-pele201d. Acesso em: 10 dez. 2021.

COLORDOT. Colordot Hail Pixel. 2022. Disponível em: https://color.hailpixel.com. Acesso em: 25 dez. 2021.

DE QUE cor é o lápis “cor de pele”? Marca quebra preconceitos e cria 12 “cores de pele”. Portal Geledés, [S. l.], 24 fev. 2016. Disponível em: https://www.geledes.org.br/de-que-cor-e-o-lapis-cor-de-pele-marca-quebra-preconceitos-e-cria-12-cores-de-pele. Acesso em: 6 dez 2021.

DÚDÚ e o lápis Cor da Pele. [S. l.: s. n.], 2018. 1 vídeo (19 min). Publicado pelo canal Produtora de filmes take a take. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=VGpB_8b77U&t=670s. Acesso em: 8 dez. 2021.

ESCOLA CRIATIVA TRIS. Nós não somos iguais. In: Escola Criativa Tris. [S. I.], 18 out. 2018. Disponível em: http://www.escolacriativatris.com.br/nos-nao-somos-iguais-%E2%9D%A4. Acesso em: 8 dez. 2021.

FABER-CASTELL. Faber-Castell. Copyright 2019. Disponível em: www.faber-castell.com.br. Acesso em: 25 dez. 2021.

FABER Castell – Aquarela (1983) “Versão Original”. [S. l.: s. n.], 1983. 1 vídeo (1 min.). Publicado pelo canal Paula Marques. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=mlzJd0xKubA. Acesso em: 9 dez. 2021.

FALANDO sobre o famoso lápis cor de pele. [S. l.: s. n.], 2018. 1 vídeo (1 min.). Publicado pelo canal Muito além de cachos. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Ghi1WC6xn94&t=564s. Acesso em: 8 dez. 2021.

EXAME. “Aquarela” para falar de diversidade racial. Exame, [S. I.], 3 dez. 2018. Disponível em: https://exame.abril.com.br/marketing/faber-castell-recria-aquarela-para-falar-de-diversidade-racial. Acesso em: 10 dez. 2021.

FABER-CASTELL relança música “Aquarela” em vídeo sobre diversidade racial. BOL NOTÍCIAS, [S. l.], 4 dez. 2018. Disponível em: https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2018/12/04/faber-castell-recria-comercial-aquarela-diversidade-racial.htm. Acesso em: 10 dez. 2021.

GALILEU. Faber Castell lança linha de lápis com seis tons de pele diferentes. Revista Galileu, [S. I.], 13 ago. 2018. Disponível em: https://revistagalileu.globo.com/Cultura/noticia/2018/08/faber-castell-lanca-linha-de-lapis-com-seis-tons-de-pele-diferentes.html. Acesso em: 10 dez. 2021.

MARIN, A. Caixa de lápis de cor com 6 tons de pele criada em São Carlos busca representar diversidade e inclusão. In: G1. [S. I.], 13 nov. 2018. Disponível em: https://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2018/11/13/caixa-de-lapis-de-cor-com-6-tons-de-pele-criada-em-sao-carlos-busca-representar-diversidade-e-inclusao.ghtml. Acesso em: 10 dez. 2021.

MARX, K. O trabalho alienado. Manuscritos econômico-filosóficos. Obra transcrita por Alexandre Moreira Oliveira e disponibilizada em HTML por Fernando A. S. Araújo, 2007. Disponível em: https://www.marxists.org/portugues/marx/1844/manuscritos/index.htm. Acesso em: 7 fev. 2022.

MEDVIÉDEV, P. O método formal nos estudos literários. São Paulo: Contexto, 2012.

PAULA, L. de. O enunciado verbivocovisual de animação – a valoração do “amor verdadeiro” Disney – uma análise de Frozen. In: FERNANDES JR., A.; STAFUZZA, G. B. (org.). Discursividades Contemporâneas – política, corpo e diálogo. Campinas: Mercado de Letras, 2017. p. 287-314. (Série Estudos da Linguagem).

PAULA, L. de; FIGUEIREDO, M. H. de; PAULA, S. L. de. O Marxismo do/no Círculo. In: STAFUZZA, G. B. (org.). Slovo – O Círculo de Bakhtin no contexto dos estudos discursivos. Curitiba: Appris, 2011. p. 79-98.

PAULA, L. de; LUCIANO, J. A. R. A filosofia da linguagem bakhtiniana e sua tridimensionalidade verbivocovisual. Revista Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 49, n. 2, p. 706-722, 2020a. Disponível em: https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/2691. Acesso em: 4 dez. 2021.

PAULA, L. de; LUCIANO, J. A. R. A tridimensionalidade verbivocovisual da linguagem bakhtiniana. Linha D’Água, São Paulo, v. 33, n. 3, p. 105-134, 2020b. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/linhadagua/article/view/171296. Acesso em: 17 dez. 2021.

PAULA, L. de; LUCIANO, J. A. R. Dialogismo verbivocovisual uma proposta bakhtiniana. Polifonia, Cuiabá, v. 27, n. 49, p. 15-46, 2020c. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/11366. Acesso em: 13 dez. 2021.

PAULA, L. de; LUCIANO, J. A. R. Filosofia da linguagem bakhtiniana: concepção verbivocovisual. Revista Diálogos – RevDia, Cuiabá, v. 8, n. 3, p. 132-151, 2020d. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia/article/view/10039. Acesso em: 20 dez. 2021.

PAULA, L. de; LUCIANO, J. A. R. The Verbivocovisual Architectonic of the Stage La Conversione Di Un Cavallo. Global Journal of Human Social Sciences-A - GJHSS-A, Massachusetts – Estados Unidos, v. 21, n. 13, p. 1-13, 2021. Disponível em: https://globaljournals.org/GJHSS_Volume21/E-Journal_GJHSS_(A)_Vol_21_Issue_13.pdf. Acesso em: 20 dez. 2021.

PAULA, L.; SERNI, N. M. A vida na arte: a verbivocovisualidade do gênero filme musical. Raído, Dourados, v. 11, n. 25, p. 178-201, jul. 2017. Disponível em https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/Raido/article/view/6507. Acesso em: 10 dez. 2021.

RISCO. In: HOUAISS ONLINE. Dicionário Online. Disponível em https://houaiss.uol.com.br/corporativo/apps/uol_www/v5-4/html/index.php#1. Acesso em: 24 dez. 2021.

ROUSSEAU, J. J. Emílio ou da Educação. São Paulo: Martins Fontes, 2018.

TOM. In: HOUAISS ONLINE. Dicionário Online. Disponível em https://houaiss.uol.com.br/corporativo/apps/uol_www/v5-4/html/index.php#1. Acesso em: 24 dez. 2021.

TONALIDADE. In: HOUAISS ONLINE. Dicionário Online. Disponível em https://houaiss.uol.com.br/corporativo/apps/uol_www/v5-4/html/index.php#1. Acesso em: 24 dez. 2021.

UNICEF BRASIL. Pobreza na Infância e na Adolescência. In: Unicef. [S. I.], 2018. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/relatorios/pobreza-na-infancia-e-na-adolescencia. Acesso em: 6 dez. 2021.

VOLÓCHINOV, V. Palavra na vida e a palavra na poesia: ensaios, artigos, resenhas e poemas. Rio de Janeiro: 34, 2019.

VOLÓCHINOV, V. Marxismo e Filosofia da Linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: 34, 2017.

VOLOCHÍNOV, V. A construção da enunciação e outros ensaios. São Carlos: Pedro & João, 2013.

Publicado
2021-12-31
Como Citar
Paula, L. de, Vieira, T. D., Camargo, G. C. V., & Matias, J. M. (2021). A valoração dos tons de pele em "Caras e Cores". Letrônica, 14(sup.), e42512. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2021.s.42512