Teorias Neurocognitivas de Aprendizagem da Leitura e Métodos de Alfabetização

Palavras-chave: Alfabetização, Métodos, Aprendizagem da leitura, Dificuldade de leitura, Neurobiologia da leitura

Resumo

No terceiro ano do ensino fundamental, transcorridos três anos escolares inteiros, 22% dos alunos conseguem ler somente palavras soltas (SAEB/ANA, 2016). As dificuldades com a leitura e a escrita estão associadas ao método de ensino e à ausência de práticas de letramento apropriadas. A maioria das crianças possuem dificuldades de aprendizagem que podem ser ultrapassadas com instrução adequada. A questão central discutida neste artigo é que, para a criança aprender a ler, é preciso lhe ensinar a ler. Portanto, o presente artigo teve como objetivos (1) discutir e trazer exemplos efetivos sobre como as teorias neurocientíficas de aprendizagem da leitura podem nos ajudar a pensar em um método de alfabetização e ensino da leitura mais eficaz, e (2) a criação de um panfleto informativo para professores de ensino fundamental anos iniciais, cujo foco é ilustrar e fazer sugestões práticas sobre alfabetização baseada em evidências científicas. A partir de evidências de estudos neurocientíficos que sublinham a importância do ensino do princípio alfabético e do desenvolvimento da consciência fonológica, elaboramos um panfleto com dicas e técnicas práticas para o ensino da leitura com base no método fônico, método que corresponde às evidências dos estudos neurocientíficos resenhados neste artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Terra Teixeira, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil

Doutora em Linguística pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil, com bolsa CNPq; estágio de doutorado sanduíche no laboratório Haskins Laboratories, em Yale University, com bolsa CAPES. Mestre em Linguística pela PUCRS. Graduada em Letras Licenciatura Português/Espanhol pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil, com parte da graduação cursada na Universidade Autónoma de Madrid (UAM). Integrante do grupo de pesquisa Neuroimagem da Cognição Humana, registrado no diretório do CNPq

Aline Fay de Azevedo, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutora em Linguística pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil. Coordenadora do curso de graduação em Letras Inglês da PUCRS; professora e coordenadora do LAPREN Inglês/Português e professora adjunta da Escola de Humanidades da PUCRS. Integra o grupo de professores nos cursos de pós-graduação em Gestão da Educação, Docência no Ensino Superior (EAD) e Psicopedagogia da mesma instituição.

Referências

ADAMS, M. J. et al. Consciência fonológica em crianças pequenas. Porto Alegre: Artmed, 2012.

AZEVEDO, A. F. Cérebro, leitura e dislexia: um estudo experimental sobre a leitura e as bases neurais da dislexia em monolíngues e aprendizes de inglês como l2, com o uso de ressonância magnética funcional. 2016. Tese (Doutorado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

BOLGER, D. J.; PERFETTI, C. A; SCHNEIDER, W. Cross-cultural effect on the brain revisited: universal structures plus writing system variation. Human brain mapping, [S. I.], v. 25, n. 1, p. 92-104, maio 2005.

BUCHWEITZ, A. Language and reading development in the brain today: neuromarkers and the case for prediction. Jornal de Pediatria, [S. I.], v. 92, n. 3, p. S8-S13, 2016.

CAPOVILLA, A. G. S.; DIAS, N. M.; MONTIEL, J. M. Desenvolvimento dos componentes da consciência fonológica no ensino fundamental e correlação com nota escolar. Psico USF, [S. I.], v. 12, n. 1, p. 55-64, 2007.

CHARD, D.; DICKSON, S. Phonological Awareness: Instructional and Assessment Guidelines. Intervention in School and Clinic, [S. I.], v. 34, n. 5, 1999.

CIELO, C. A. A sensibilidade fonológica e o início da aprendizagem da leitura. Letras de Hoje, v. 33, n. 4, p. 99-105, 1998.

COHEN, L. et al. Language-specific tuning of visual cortex? Functional properties of the Visual Word Form Area. Brain: a journal of neurology, [S. I.], v. 125, n. 5, p. 1054-1069, 2002.

COLTHEART, M. Modeling reading: the dual-route approach. In: SNOWLING, M. J.; HULME, C. (ed.). The science of reading: a handbook. Oxford: Blackwell, 2013. p. 6-23.

DEHAENE, S. et al. Illiterate to literate: behavioural and cerebral changes induced by reading acquisition. Nature Reviews Neuroscience, [S. I.], v. 16, n. 4, p. 234-244, 2015.

DEHAENE, S. Os neurônios da leitura: como a ciência explica a nossa capacidade de ler. Porto Alegre: Penso, 2012.

DEHAENE, S.; COHEN, L. The unique role of the visual word form area in reading. Trends in Cognitive Sciences, [S. I.], v. 15, n. 6, p. 254-262, 2011.

DEVLIN, J. T. et al. The role of the posterior fusiform gyrus in reading. Journal of cognitive neuroscience, [S. I.], v. 18, n. 6, p. 911-922, jun. 2006.

EHRI, L. C. Learning to Read Words: Theory, Findings, and Issues. Scientific Studies of Reading, [S. I.], v. 9, n. 2, p. 167-188, 2005.

EHRI, L. C. Orthographic Mapping in the Acquisition of Sight Word Reading, Spelling Memory, and Vocabulary Learning. Scientific Studies of Reading, [S. I.], v. 18, n. 1, p. 5-21, 2014.

ELLIS, A. W. Leitura, escrita e dislexia: Uma análise cognitiva. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

FERREIRO, E.; TEBEROSKY, A. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

FRITH, U. Beneath the surface of developmental dyslexia. In: PATTERSON, K.; MARSHALL, J.; COLTHEART, M (org.). Surface dyslexia. London: Erlbaum, 1985. p. 301–330.

FLETCHER, J. et al. Transtornos de Aprendizagem da identificação à intervenção. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GOSWANI, U. Phonology, reading development and Dyslexia. A cross-linguistic perspective. Annals of Dyslexia [S. I.], v. 52, p. 141-163, 2002.

GOODMAN, K. Reading: A psycholinguistic guessing game. Journal of the Reading Specialist, [S. I.], v. 6, p. 126-135, 1967.

HILLIS, A. E.; CARAMAZZA, A. The reading Process and Its Disorders. In: MARGOLIN, D. I. (org.). Cognitive Neurophysiology in Clinical Practice. New York: Oxford University Press, 1992. p. 229-261.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Relatório SAEB/ANA 2016: panorama do Brasil e dos estados. Brasília: Inep, 2018a.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Relatório Brasil no PISA 2018. Brasília: INEP, 2018. Disponível em: http://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/pisa/documentos/2019/relatorio_PISA_2018_preliminar.pdf. Acesso em: 5 maio 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNAD) 2019. Rio de Janeiro: IBGE, 2020.

INSTITUTO PAULO MONTENEGRO. Inaf Brasil 2018. [S. l.: s. n.], 2018. Disponível em: http://acaoeducativa.org.br/wp-content/uploads/2018/08/Inaf2018_Relatório-Resultados-Preliminares_v08Ago2018.pdf. Acesso em: 5 maio 2020.

IRWIN, J.; MOORE, D. Preparing Children for Learning Success – Hands-on activities for librarians, educators, and caregivers. Londres: Rowamn & Littlefield, 2015.

LENT, R. A Linguagem e os Hemisférios Especialistas: A Neurobiologia da Linguagem e das Funções Lateralizadas. In: LENT, R. Cem Milhões de Neurônios? Rio de Janeiro: Atheneu, 2010. p. 681-711.

McCANDLISS, B. D.; COHEN, L.; DEHAENE, S. The visual word form area: Expertise for reading in the fusiform gyrus. In: Trends in Cognitive Sciences, 2003.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MES). PNA: Política Nacional de Alfabetização. Brasília: Secretaria de Alfabetização, 2019. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/images/banners/caderno_pna_final.pdf. Acesso em: 9 jun. 2021.

MOOJEN, S. A escrita ortográfica na escola e na clínica: Teoria, avaliação e tratamento. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2009.

MORAIS, J. Alfabetizar para a democracia. Porto Alegre: Penso, 2014.

MORAIS, J. Criar Leitores para professores e educadores. Barueri: Manole, 2013.

MORAIS, J. A arte de ler. São Paulo: Editora UNESP, 1996.

MORAIS, J.; KOLINSKY, R. Psicolinguística e leitura. In: MAIA, M. (org.). Psicolinguística, Psicolinguísticas. São Paulo: Editora Contexto, 2015. p. 129-142.

NASCIMENTO, L.; KNOBEL, K. Habilidades auditivas e consciência fonológica: da teoria à prática. São Paulo: Pró-Fono, 2009.

NATIONAL READING PANEL. Teaching children to read: An evidence-based assessment of the scientific research literature on reading and its implications for reading instruction. NIH Publication, [S. I.], v. 7, n. 00-4769, p. 35, 2000.

NAVAS, A. L.; SANTOS, M. Thereza. Distúrbios de Leitura e Escrita: Teoria e Prática. Barueri: Manole, 2002.

PINHEIRO, Angela. Leitura e Escrita: Uma abordagem cognitiva. São Paulo: Editorial Psy, 2000.

PIAGET, Jean. A Tomada de Consciência. São Paulo: EDUSP; Melhoramentos, 1974.

PUGH, K.; McCARDLE, P. How children learn to read: current issues and new directions in the integration of cognition, neurobiology, and genetics of reading and dyslexia research and practice. New York: Taylor and Francis Group, 2009.

RAMUS, F. The neural basis of reading acquisition. In: GAZZANIGA, M. S. (ed.). The cognitive Neuroscience III. Cambridge MA: MIT Press, 2004. p. 815-824.

REYNOLDS, C. R.; SHAYWITZ, S. Response to Intervention: Ready or not? Or, from wait-to-fail to watch-them-fail. School Psychology Quarterly, [S. I.], v. 24, n. 2, p. 130-145, 2009.

RUECKL, J. G. et al. Universal brain signature of proficient reading: Evidence from four contrasting languages. Proceedings of the National Academy of Sciences of United States of America, United States, v. 112, n. 50, p. 15510-15515, 2015.

SCLIAR-CABRAL, L. A desmistificação do método global. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 48, n. 1, p. 6–11, 2013.

SOARES, M. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, [S. I.], n. 25, p. 5-17, 2004.

SALLES, J. Habilidades e dificuldades de leitura e escrita em crianças de 2ª série: abordagem neuropsicológica cognitiva. 2005. Tese (Doutorado em Psicologia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

SHAYWITZ, S. Entendendo a Dislexia. Um novo e completo programa para todos os níveis de problemas de leitura. Porto Alegre: Artmed, 2006.

SHAYWITZ, S. et al. Development of Left Occipitotemporal System for skilled Reading in Children after a Phonologically Based Intervantion. Biological Psychiatry, [S. I.], v. 55, p. 926-933, 2004.

SNOWLING, M.; HULME, C. (org.). A Ciência da Leitura. Porto Alegre: Penso, 2013.

STANOVICH, K.; CUNNINGHAM, A.; CRAMER, B. Assessing phonological awareness in kindergarten children: Issues of task comparability. Journal of Experimental Child Psychology, [S. I.], v. 38, p. 175-190, 1984.

Publicado
2021-06-18
Como Citar
Teixeira, M. T., & Azevedo, A. F. de . (2021). Teorias Neurocognitivas de Aprendizagem da Leitura e Métodos de Alfabetização . Letrônica, 14(2), e38792. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2021.2.38792