A história da independência do Brasil desenganada e as memórias sobre a Confederação do Equador na trajetória de João Soares Lisboa

Palavras-chave: Independência do Brasil, Liberalismo, Imprensa, Confederação do Equador

Resumo

A partir da trajetória de João Soares Lisboa, único dos réus “condenado por conluio republicano” na primeira devassa política do Império do Brasil, o artigo trata da construção e derrota política de projetos de Brasil que rivalizavam com o da centralização no governo do Rio de Janeiro, sob a dinastia de Bragança. Depois de condenado ao exílio do Brasil, Soares Lisboa aportou em Recife e se juntou à Confederação do Equador (1824), publicando o Desengano aos Brasileiros para “desenganar” seus leitores sobre o protagonismo da dinastia Bragança na história da independência do Brasil. Ao refletir sobre os eventos da história da independência do Brasil e a construção do projeto monárquico do Império pela dinastia de Bragança, Soares Lisboa disseminou no Desengano os princípios de outros projetos de Estado e de nação do Brasil que haviam sido derrotados até então e que ele defendia na organização do “governo Monarco-Democrático” no Correio do Rio de Janeiro em 1822-1823 e que em 1824 só via possível em uma república, tal como propunham os ideólogos da Confederação do Equador (1824). No Desengano, contestava o constitucionalismo de D. Pedro I e de D. João VI, descrevendo uma espécie de natureza dos monarcas que era incompatível com um governo de liberdade. Essas publicações e a participação na Confederação do Equador impactaram a memória sobre a trajetória de João Soares Lisboa na literatura histórica e esta funcionou como referencial para qualificar a radicalidade de outros personagens do período. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Botafogo Caricchio Ferreira, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP, Brasil.

Doutora em História pela Universidade Estadual de Campinas, (Unicamp), em Campinas, SP, Brasil. Pesquisadora de pós-doutorado com bolsa FAPESP no Departamento de História da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo, SP, Brasil.

Referências

ABELHA do Itaculumy. Minas Gerais. 1824-1825. In: Biblioteca Nacional Digital Brasil. Disponível em: http://memoria.bn.br. Acesso em: 20 set. 2021.

BASILE, M. O. N. de C. O Império em construção: projetos de Brasil e ação política na Corte regencial. 2004. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

BERSTEIN, S. A cultura política. In: BERSTEIN, S. A. Para uma história cultural. Lisboa: Estampa, 1998. p. 349-363.

CONFEDERAÇÃO do Equador. In: Biblioteca Nacional Digital Brasil. [S. l.], 1824. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=843946. Acesso em: 20 set. 2021.

CORREIO DO RIO DE JANEIRO. In: Biblioteca Nacional Digital Brasil. Rio de Janeiro, 1822-1823. Disponível em: http://memoria.bn.br/. Acesso em: 20 set. 2021.

DESENGANO aos Brasileiros. Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro. 1824. Periódicos Raros.

DIÁRIO do Governo Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional. In: Biblioteca Nacional Digital Brasil. Rio de Janeiro, 1821-1878. Disponível em: http://memoria.bn.br. Acesso em: 20 set. 2021.

FERREIRA, P. B. C. O princípio da moderação e a condenação de João Soares Lisboa na bonifácia: a interpretação de Mello Moraes na obra “A Independência e o Império do Brasil” (1877). In: RIBEIRO, G. S.; MARTINS, I. DE L.; FERREIRA, T. B. DA C. (ed.). O oitocentos sobre novas perspectivas. São Paulo: Alameda, 2014. p. 253-274.

FERREIRA, P. B. C. Negócios, impressos e política: a trajetória pública de João Soares Lisboa (1800-1824). 2017. Tese (Doutorado em História) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2017.

FERREIRA, P. B. C. Civique de Gastine (1793-1822) no Correio do Rio de Janeiro: Pacto Colonial¸ Economia Política e as Independências da América. Estudos Ibero-Americanos, Porto Alegre, v. 46, n. 2, p. e35177, 2020a.

FERREIRA, P. B. C. A trajetória mercantil de João Soares Lisboa: de “comerciante de Porto Alegre” a negociante de grosso trato na Corte do Rio de Janeiro (1800-1818). RIHGRS, Rio Grande do Sul, v. 157, p. 13-39, dez. 2020b.

FERREIRA, P. B. C. O exílio liberal no Cone Sul da América de 1820: o caso de João Soares Lisboa em Buenos Aires (1822-1823). Revista Complutense de Historia de América, Madrid, n. 47, p. 67-88, 2021a.

FONSECA, S. C. P. de B. A ideia de República no Império do Brasil. Rio de Janeiro e Pernambuco (1824-1834). Jundiaí: Paco Editorial, 2016.

FOUCALT, M.; MACHADO, R. Governamentalidade. In: FOUCALT, M. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal Ltda, 2004. p. 277–293.

FRASQUET, I. Las caras del águila: del liberalismo gaditano a la república federal mexicana (1820-1824). Castelló de la Plana: Universidad Veracruzana, 2010.

KIRSCHNER, T. C. José da Silva Lisboa, Visconde de Cairu: itinerários de um ilustrado luso-brasileiro. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

LEITE, R. L. Republicanos e libertários: pensadores radicais no Rio de Janeiro, 1822. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

LUSTOSA, I. Insultos impressos: a guerra dos jornalistas na Independência, 1821-1823. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

MELLO, E. C. de (ed.). Frei Joaquim do Amor Divino Caneca. São Paulo: Editora 34, 2001.

MOREL, M. As transformações dos espaços públicos: imprensa, atores políticos e sociabilidades na cidade imperial, 1820-1840. São Paulo: Hucitec, 2005.

OLIVEIRA, C. H. de S. A astúcia liberal: relações de mercado e projetos políticos no Rio de Janeiro (1820-1824). São Paulo: USF, 1999.

NOTÍCIAS Históricas Sobre a Revolução de 1824 em Pernambuco. In: Biblioteca Nacional Digital Brasil. Disponível em: http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_manuscritos/cmc_ms618_12_39/cmc_ms618_12_39.pdf. Acesso em: 20 set. 2021.

O CRUZEIRO, jornal político, literário e mercantil. In: Biblioteca Nacional Digital Brasil. Pernambuco, 1829-1831. Disponível em: http://memoria.bn.br. Acesso em: 20 set. 2021.

O SPECTADOR Brasileiro. In: Biblioteca Nacional Digital Brasil. Rio de Janeiro, 1824-1826. Disponível em: http://memoria.bn.br. Acesso em: 20 set. 2021.

O GRITO da Razão na corte do Rio De Janeiro. In: Biblioteca Nacional Digital Brasil. Rio de Janeiro, 1825. Disponível em: http://memoria.bn.br. Acesso em: 20 set. 2021.

O GRITO DA RAZÃO. In: Biblioteca Nacional Digital Brasil. Bahia, 1824-1825. Disponível em: http://memoria.bn.br. Acesso em: 20 set. 2021.

RELAÇÃO dos indivíduos de que fazem [ilegível] instruções dadas na data de hoje ao Comandante da Brigada expedicionária à Pernambuco o Coronel Francisco de Lima e Silva. Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, Recife. Caixa 08, Documento 0394.

RIBEIRO, G. S. Nação e cidadania nos jornais da época da Independência: o Correio do Rio de Janeiro como estudo de caso. In: CARVALHO, J. M. de; NEVES, L. M. B. P. das. Repensando o Brasil do Oitocentos. Cidadania, Política e Liberdade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, p. 207-238.

RIZZINI, C. O livro, o jornal e a tipografia no Brasil, 1500-1822 (com um breve estudo geral sobre a informação). São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 1988.

SANTOS, M. H. C. dos. Imprensa periódica clandestina no século XIX: “O Portuguez” e a Constituição. Análise Social, Lisboa, v. XVI, n. 61–62, p. 429-445, 1980.

SOBRE o apêndice do Bosquejo histórico do Brasil, J. A. B. M. B. Impresso no Rio de Janeiro, 1838. Sublevação de Pernambuco em 1824, à testa da qual se apresentou Manoel de Carvalho Paes de Andrade, depois Senador do Império pela Província da Paraíba. Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, Recife. Caixa 08, Documento 0432.

SUPLEMENTO ao Desengano aos Brasileiros. Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro. 1824. Periódicos Raros.

SCHIAVINATTO, I. L. Entre trajetórias e impérios: apontamentos de cultura política e historiografia. Tempo, Niterói, v. 27, p. 35-47, jun. 2009.

SCHIAVINATTO, I. L.; FERREIRA, P. B. C. As rememorações da “bonifácia”: entre a devassa de 1822 e o Processo dos cidadãos de 1824. Revista do IHGB, Rio de Janeiro, v. 175, n. 462, p. 201-238, mar. 2014.

TOSSA-LEBRUN, J. A. B. Consciences littéraires d’à-présent: avec un tableau de leurs valeurs comparées, indiquant, de plus, les decrés de talent et d’esprit. Paris: Plancher, 1818.

VARGUES, I. N. A aprendizagem da cidadania em Portugal, 1820-1823. Coimbra: Minerva, 1997.

VARNHAGEN, F. A. de. História da independência do Brasil: até ao reconhecimento pela antiga metrópole, compreendendo, separadamente, a dos sucessos ocorridos em algumas províncias até essa data. Brasília: Senado Federal, 2010. v. 137.

XAVIER, Â. B.; SANTOS, C. M. Cultura intelectual das elites coloniais. Cultura. Revista de História e Teoria das Ideias, Lisboa, v. 24, p. 9-33, 2007.

Publicado
2022-09-14
Como Citar
Ferreira, P. B. C. (2022). A história da independência do Brasil desenganada e as memórias sobre a Confederação do Equador na trajetória de João Soares Lisboa. Estudos Ibero-Americanos, 48(1), e41869. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2022.1.41869
Seção
Dossiê: Bicentenário da Independência do Brasil (2022)