Crianças entre livros

A criação das bibliotecas infantis da cidade de São Paulo (1936 a 1946)

Palavras-chave: Políticas culturais para infância, Bibliotecas infantis, História da Infância

Resumo

Este artigo analisa a implantação da Biblioteca Infantil, como uma das iniciativas do Departamento de Cultura da Cidade de São Paulo durante as décadas de 1930 e 1940. Utilizando fontes documentais que possibilitam verificar um pouco da recepção dessas ações culturais pelo público infanto juvenil, pretendemos refletir sobre como políticas culturais pensadas para a infância podem propiciar o protagonismo infantil. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Tavares Raffaini, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP, Brasil.

Doutora em História Social pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP), em São Paulo, SP, Brasil. Pós-doutoranda no Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (IEB/USP), em São Paulo, SP, Brasil.

Referências

ANDREOTTI, Azilde L. O Jornal como fonte de pesquisa. Um projeto de educação e cultura através do “A Voz da Infância” (1936-1950). 2004. Tese (Doutorado em História e Filosofia da Educação) – Unicamp, Campinas, 2004.

DE LA TORRE, Diana Gutierrez. O livro além do braile: aspectos relativos à edição e produção. 2014. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – USP, São Paulo, 2014.

DUARTE, Paulo. Memórias. Selva Obscura. São Paulo: Hucitec, 1976. v. 3.

FRACAROLLI, Lenyra Camargo. A Biblioteca Infantil do Departamento Municipal de Cultura. Revista do Arquivo Municipal, São Paulo, n. LXVI, p. 291-305, 1940.

GONCALVES, Diana Vidal. Experiências do passado, discussões do presente: a biblioteca escolar infantil do instituto de educação Caetano de Campos (1936-1966). Perspectivas em ciência da informação, Belo Horizonte, v. 19, n. especial, p. 195-210, Dec. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141399362014000500015&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 8 mar. 2021.

KATZENSTEIN, Betti; FREITAS, Beatriz de. Algo do que as crianças gostam de ler. Revista do Arquivo Municipal, São Paulo, n. 77, p. 5-87, jun./jul. 1941.

NUSSENZWEIG, Victor. Memórias de um menino judeu do Bom Retiro. São Paulo: Hedra, 2014.

OLIVEIRA, Fernando Rodrigues. História do ensino de literatura infantil na formação de professores no estado de São Paulo. (1947-2003) São Paulo: Cultura Acadêmica, 2015. Epub.

PASQUIM, Franciele Ruiz. Lenyra Camargo Fraccaroli (1908-1991) na história da literatura infantil brasileira: contribuições de uma bibliotecária educadora. 237 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2017.

RAFFAINI, Patricia Tavares. A Voz da Infância: um jornal escrito para as crianças pelas crianças, 1936-1948, Trashumante. Revista Americana de História Social, México, v. 8, p. 84-107, 2016.

RAFFAINI, Patricia Tavares. Esculpindo a Cultura na Forma Brasil. O Departamento de Cultura de São Paulo (1935-1938). São Paulo: Humanitas/FFLCH/USP, 2001.

RENONCIAT, Annie; EZRATTY, Viviane; LÉVÈQUE, Françoise. Livre mon Ami. Lectures Enfantines. 1914-1954. Paris: Agence Culterelle de Paris, 1991.

SEVCENKO, Nicolau. Orfeu Extático na metrópole. São Paulo, sociedade e cultura nos frementes anos 20. São Paulo: Cia das Letras, 1992.

SOARES, Gabriela Pellegrino. Semear Horizontes: uma história da formação de leitores na Argentina e no Brasil, 1915-1954. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2007.

UEKANE, Marina N. Mulheres na Sala de Aula. Revista Gênero, Niterói, v. 11, n. 1, p. 35-54, 2 sem. 2010.

Publicado
2022-06-28
Como Citar
Raffaini, P. T. (2022). Crianças entre livros: A criação das bibliotecas infantis da cidade de São Paulo (1936 a 1946). Estudos Ibero-Americanos, 48(1), e41534. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2022.1.41534
Seção
Dossiê: Políticas culturais: projetos, atores e circuitos