Todos podem ser divulgadores?

Wikipédia e curadoria digital em Teoria da História

Palavras-chave: Wikipédia, Teoria da História, Divulgação científica, Curadoria digital, História Pública

Resumo

Este artigo busca discutir as práticas de divulgação científica e curadoria digital no projeto Teoria da História na Wikipédia. Desde 2018, um conjunto de usuários universitários vêm editando verbetes na Wikipédia lusófona tendo como objetivo geral qualificar as entradas da enciclopédia on-line no campo da Teoria da História. Na primeira parte do artigo sistematizamos a prática de edição de verbetes realizada pelo grupo e suas mudanças tendo em vista as dificuldades de seus participantes. Na segunda parte analisamos os verbetes da categoria Teoria da História e, através da noção de curadoria digital, formalizamos uma entrada para discutir a amplitude da Wikipédia como fonte de difusão do conhecimento. Por fim, apontamos alguns entraves a serem superados para que o projeto possa melhor executar a sua missão de divulgação do conhecimento histórico na Wikipédia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Florentino Varella, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC, Brasil.

Doutora em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil, professora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, SC, Brasil.

Rodrigo Bragio Bonaldo, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC, Brasil.

Doutor em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil; professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, SC, Brasil.

Referências

ABBOTT, Daisy. What is Digital Curation? DCC Briefing Papers: Introduction to Curation. In: Digital Curation Centre. Edinburgh, 2 abr. 2008. Disponível em: /resources/briefing-papers/introduction-curation. Acesso em: 11 jul. 2020.

ALBIERI, Sara. História Pública e Consciência Histórica. In: ALMEIDA, Juniele Rabêlo de; ROVAI, Marta Gouveia de Oliveira (org). Introdução à história pública. São Paulo: Letra e Voz, 2011. p. 19-28.

ARAUJO, Valdei. O Direito à História: O(A) Historiador(a) como Curador(a) de uma experiência histórica socialmente distribuída. In: GUIMARÃES, Géssica; BRUNO, Leonardo; PEREZ, Rodrigo. Conversas sobre o Brasil: ensaios de crítica histórica. Rio de Janeiro: Autografia, 2017. p. 191-216.

BRUNS, Axel. Blogs, wikipedia, second life, and beyond. New York: Peter Lang, 2008.

CARVALHO, Bruno Leal Pastor de. Café História: Divulgação científica da História na internet. In: CARVALHO, Bruno Leal Pastor de; TEIXEIRA, Ana Paula Tavares. História pública e divulgação de história. São Paulo: Letra e Voz, 2019. p. 105-122.

CARVALHO, Bruno Leal Pastor de. Onde fica a autoridade do historiador no universo digital? In: MAUAD, Ana Maria; SANTHIAGO, Ricardo; BORGES, Viviane Trindade (org.). Que história pública queremos? / What public do we want? São Paulo: Letra e Voz, 2018. p. 167-174.

CHARTIER, Roger. A mão do autor e a mente do editor. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

COHEN, Daniel J.; ROSENZWEIG, Roy. Digital history: a guide to gathering, preserving, and presenting the past on the Web. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 2005.

D’ANDRÉA, Carlos Frederico de Brito. Processos editoriais auto-organizados na Wikipédia em português: a edição colaborativa de “Biografia de pessoas vivas”. 2011. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal de Minas Gerais, Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos, Belo Horizonte, 2011.

DALLAS, Costi. Digital curation beyond the ‘wild frontier’: a pragmatic approach. Archival Science: International Journal on Recorded Information Dordrecht, set. 2015.

EPPLE, Angelika. Calling for a practice turn in global history: practices as drivers of globalization/s. History and Theory, Middletown, v. 57, n. 3, p. 390-407, 2018.

FERLA, Luis Antonio Coelho; LIMA, Luís Filipe Silvério; FEITLER, Bruno. Novidades no front: experiências com humanidades digitais em um curso de história na periferia da Grande São Paulo. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 33, n. 69, p. 111-132, jan. 2020.

FRISCH, Michael. A história pública não é uma via de mão única. Ou De A Shared Authority à cozinha digital, e vice-versa. In: MAUAD, Ana Maria; ALMEIDA, Juniele Rabêlo de; SANTHIAGO, Ricardo (org.). História pública no Brasil: sentidos e itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016. p. 57-69.

GOMES, Paulo César. História da Ditadura: Como tratar de regimes ditatoriais com o grande público. In: CARVALHO, Bruno Leal Pastor de; TEIXEIRA, Ana Paula Tavares. História pública e divulgação de história. São Paulo: Letra e Voz, 2019. p. 93-104.

GIBSON, William. Neuromancer. New York: Berkley Publishing Group, 1989.

GRINBERG, Keila. O mundo não é dos espertos: história pública, passados sensíveis, injustiças históricas. História da Historiografia, Ouro Preto, v. 12, n. 31, p. 145-176, dez. 2019.

HIGGINS, Sarah. Digital Curation: The Emergence of a New Discipline. The International Journal of Digital Curation, Edinburgh, n. 2, v. 6, p. 78-88, 2011.

LUCCHESI, Anita. Por um debate sobre História e Historiografia Digital. Boletim Historiar, São Cristóvão, n. 2, p. 45-57, mar./abr. 2014.

LUCCHESI, Anita; SILVEIRA, Pedro Telles da; NICODEMO, Thiago Lima. Nunca fomos tão úteis. Esboços, Florianópolis, v. 27, n. 45, p. 161-169, 2020.

MALERBA, Jurandir. Os historiadores e seus públicos: desafios ao conhecimento histórico na era digital. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 37, n. 74, p. 135-154, 2017.

MARQUES, Juliana. Bastos. Trabalhando com a história romana na Wikipédia: uma experiência em conhecimento colaborativo na universidade. Revista História Hoje, São Paulo, v. 2, n. 3, p. 329-346, 2013.

MELLO, Ricardo Marques de. O que é teoria da história? Três significados possíveis. História e Perspectivas, Uberlândia, n. 46, p. 365-400, 2012.

NOIRET, Serge: Internationalizing Public History. Public History Weekly, [S. I.], v. 2, n. 34, 2014. Disponível em: https://public-history-weekly.degruyter.com/2-2014-34/internationalizing-public-history. Acesso em: 6 maio 2021.

O’SULLIVAM, Dan. Wikipedia: a new community of practice? London: Ashgate, 2009.

PEREIRA, Mateus. Nova Direita? Guerras de memória em tempos de Comissão da Verdade (2012-2014). Varia História, Belo Horizonte, v. 31, p. 863-902, 2015.

PEREIRA, Mateus; ARAUJO, Valdei. Atualismo 1.0: como a ideia de atualização mudou o século XXI. Mariana: Editora SBTHH, 2018.

RODRIGUES, Icles. História no YouTube: Relato de experiência e possibilidades para o futuro. In: CARVALHO, Bruno Leal Pastor de; TEIXEIRA, Ana Paula Tavares. História pública e divulgação de história. São Paulo: Letra e Voz, 2019. p. 73-92.

RODRIGUES, Rogério Rosa. A história pública serve para a teoria da história, e viceversa? In: MAUAD, Ana Maria; SANTHIAGO, Ricardo; BORGES, Viviane Trindade (org.). Que história pública queremos? / What public do we want? São Paulo: Letra e Voz, 2018. p. 277-291.

ROSA, Hartmut. Aceleração: a transformação das estruturas temporais na Modernidade. Tradução de Rafael H. Silveira. Revisão técnica e tradução do prefácio à edição brasileira de João Lucas Tziminadis. São Paulo: Editora Unesp, 2019.

ROSENZWEIG, Roy. Can history be open source? Wikipedia and the future of the past. The Journal of American History, Bloomington, v. 1, n. 93, p. 117-146, 2006.

SANTANA, Diego Leonardo; MAYNARD, Dilton. O portal Metapedia: revisionismo histórico e negacionismo no tempo presente. Transversos: Revista de História, Rio de Janeiro, n. 11, p. 23-41, 2017.

SANTHIAGO, Ricardo. Duas palavras, muitos significados: Alguns comentários sobre a histórica pública no Brasil. In: MAUAD, Ana Maria; ALMEIDA, Juniele Rabêlo de; SANTHIAGO, Ricardo. História Pública no Brasil: Sentidos e Itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016. p. 23-35.

SAYURI, Juliana. A história é notícia: Temas históricos e o ofício do historiador em reportagem publicadas na Folha de S. Paulo. In: CARVALHO, Bruno Leal Pastor de; TEIXEIRA, Ana Paula Tavares. História pública e divulgação de história. São Paulo: Letra e Voz, 2019. p. 41-54.

SILVEIRA, Pedro Telles da. História, técnica e novas mídias: reflexões sobre a história na era digital. 2018. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

SILVEIRA, Pedro Telles da. O historiador com CNPJ: depressão, mercado de trabalho e história pública. Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 12, n. 30, e0204, maio/ago. 2020.

SIMON, Zoltán Boldizsár. Os teóricos da história têm uma teoria da história? Reflexões sobre uma não-disciplina. Tradução de Arthur Avila. Vitória: Milfontes, 2019.

TANAKA, Stefan. Pasts in a Digital Age. In: DOUGHERTY, Jack; NAWROTZI, Kristen. Writing History in the Digital Age. Ann Arbor: University of Michigan Press, 2013. p. 35-47.

TERRES, Pedro Toniazzo; PIANTÁ, Lucas Tubino. Wikipédia: públicos globais, histórias digitais. Esboços, Florianópolis, v. 27, n. 45, p. 264-285, maio/ago. 2020.

VANDENDORPE, Christian. Wikipedia and the Ecosystem of Knowledge. Scholarly and Research Communication, [S. I.], v. 6, n. 3, 2015.

VARELLA, Flávia Florentino; BONALDO, Rodrigo Bragio. Negociando autoridades, construindo saberes: a historiografia digital e colaborativa no projeto Teoria da História na Wikipédia. Rev. Bras. Hist., São Paulo, v. 40, n. 85, p. 147-170, dez. 2020.

WENGER, Etienne. Quick start-up guide for communities of practice. In: Etienne Wenger. [S. I.], 2002. Disponível em: http://wenger-trayner.com/project/community-of-practice-start-up-guide. Acesso em: 26 mar. 2021.

WYATT, Liam. The Academic Lineage of Wikipedia: Connections & Disconnections in the Theory & Practice of History. 2008. Tese (Doutorado) School of History and Philosophy, University of New South Wales, 2008.

WYATT, Liam. Endless palimpsest: Wikipedia and the future’s historian. Studies in Higher Education, Abingdon, v. 45, n. 5, p. 1-9, 2020.

Publicado
2021-08-31
Como Citar
Varella, F. F., & Bonaldo, R. B. (2021). Todos podem ser divulgadores? Wikipédia e curadoria digital em Teoria da História. Estudos Ibero-Americanos, 47(2), e38806. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2021.2.38806
Seção
História Pública na América Latina: mediações do passado, demandas sociais e tempo presente