Levantando a quarta parede

história oral e entrevistas públicas

Palavras-chave: História oral, Entrevistas públicas, Performance, História pública

Resumo

Praticantes de história oral têm recentemente se voltado à realização de entrevistas em espaços compartilhados, desafiando uma das premissas do método: a de que um diálogo é tão mais intenso e produtivo quanto mais reservado for o local em que ele se realiza. Neste artigo, recorro a alguns exemplos de entrevistas públicas realizados por pesquisadores baseados em universidades e por criadores que atuam em espaços contíguos para levantar algumas hipóteses sobre os impulsos que conduzem a essa opção metodológica. Em seguida, analiso duas situações, ambas articuladas ao universo da arte, que contribuem para o refinamento da reflexão metodológica sobre os potenciais e limites das entrevistas públicas e, de modo mais amplo, à prática da história oral e da história pública como um todo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Santhiago, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP, Brasil.

Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo, SP, Brasil; professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em São Paulo, SP, Brasil.

Referências

ALBERTI, Verena. História oral: A experiência do CPDOC. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1990.

ALBERTI, Verena; HEYMANN, Luciana. Acervos de história oral: Um patrimônio silencioso. In: BAUER, Leticia; BORGES, Viviane Trindade (org.). História oral e patrimônio cultural: potencialidades e transformações. São Paulo: Letra e Voz, 2018. p. 11-29.

CARVALHO, Bruno Leal Pastor de (org.). História pública e divulgação de história. São Paulo: Letra e Voz, 2019.

CLARK, Mary Marshall. Oral History: Art and Praxis. In: ADAMS, Don; GOLDBARD, Arlene (org.) Community, Culture and Globalization. New York: The Rockfeller Foundation, 2002. p. 88-105.

FERREIRA, Marieta de Moraes. História oral, comemorações e ética. Projeto História, [S. I.], n. 15, p. 157-64, 1997.

FERREIRA, Marieta de Moraes. Oralidade e memória em projetos testemunhais. In: LOPES, Antonio Herculano; VELLOSO, Monica Pimenta; PESAVENTO, Sandra Jatahy (org.). História e linguagens: Texto, imagem, oralidade e representações. Rio de Janero: 7Letras, 2006. p. 195-203.

FRISCH, Michael. A história pública não é uma via de mão única: Ou De A Shared Authority à cozinha digital, e vice-versa. In: MAUAD, Ana Maria; ALMEIDA, Juniele Rabêlo de; SANTHIAGO, Ricardo (org.). História pública no Brasil: Sentidos e itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016. p. 57-69

GENETTE, Gérard. Discurso da narrativa. Lisboa: Vega, 1995.

GRELE, Ronald J. Envelopes of Sound: The Art of Oral History. 2. ed. New York: Praeger, 1985.

GRUPO CONTRAFILÉ. Escola de testemunhos: Material de estudos para aulas-performance. São Paulo: Serviço Social do Comércio, 2019.

ISER, Wolfgang. O ato da leitura: Uma teoria do efeito estético. São Paulo: Ed. 34, 1996.

LIRA, Patricia Andreia (coord.). Guia eletrônico de fundos e coleções do acervo arquivístico do Museu da Imagem e do Som. São Paulo: Museu da Imagem e do Som, 2015.

MAFRA, Rennan. Entre o espetáculo, a festa e a argumentação: Mídia, comunicação estratégica e mobilização social. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

MOREIRA, Gabrielle da Costa; TROTTA, Felipe da Costa. A música na narrativa da cultura carioca do “novo MIS”. Galaxia, [S. I.], n. 35, p. 68-79, 2017.

PALLAMIN, Vera. Arte, cultura e cidade: Aspectos estético-políticos contemporâneos. São Paulo: Annablume, 2005.

PATAI, Daphne. Construindo um eu: Uma história oral de mulheres brasileiras. História oral, feminismo e política. São Paulo: Letra e Voz, 2010. p. 19-64.

PATO, Ana. Meta-Arquivo: 1964-1985. Espaço de escuta e leitura de histórias da ditadura. In: SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO. Meta-Arquivo: 1964-1985: Espaço de escuta e leitura de histórias da ditadura. Concepção, curadoria e pesquisa de Ana Pato. São Paulo: Serviço Social do Comércio, 2019. p. 14-19.

ROVAI, Marta Gouveia de Oliveira. Publicizar sem simplificar: O historiador como mediador ético. In: ALMEIDA, Juniele Rabêlo de; MENESES, Sônia (org.). História pública em debate: Patrimônio, educação e mediações do passado. São Paulo: Letra e Voz, 2018. p. 185-96.

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO. Meta-Arquivo: 1964-1985: Espaço de escuta e leitura de histórias da ditadura. Concepção, curadoria e pesquisa de Ana Pato. São Paulo: Serviço Social do Comércio, 2019.

SANTHIAGO, Ricardo. Ele foi meu muro: Liberdade artística e liberdade narrativa em uma metaentrevista pública. Memória em Rede, Pelotas, RS, v. 10, n. 18, p. 83-111, 2018.

SIMSON, Olga Rodrigues de Moraes von. O Samba Paulista e suas Estórias. Saráo, [S. I.], v. 3, n. 2, p. 1-12, 2004.

SIMSON, Olga Rodrigues de Moraes von. Carnaval em Branco e Negro. Carnaval Popular Paulistano - 1914-1988. Campinas: Editora Unicamp; São Paulo: Edusp, 2007.

TEIXEIRA, Ana. Para que algo aconteça (1998-2018). São Paulo: Pólen, 2018.

Publicado
2021-05-20
Como Citar
Santhiago, R. (2021). Levantando a quarta parede: história oral e entrevistas públicas. Estudos Ibero-Americanos, 47(2), e37272. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2021.2.37272
Seção
História Pública na América Latina: mediações do passado, demandas sociais e tempo presente