“O Partido não é patrimônio de um”

Cisão republicana de 1915 no Rio Grande do Sul e as eleições municipais em Sant’Anna do Livramento

Palavras-chave: Sant’Anna do Livramento, Rio Grande do Sul, João Francisco, Pereira de Souza, Borges de Medeiros, Coronelismo

Resumo

O artigo investiga as eleições municipais de Sant’Anna do Livramento, no Rio Grande do Sul, em 1916, conjuntura de crise na economia, na qual se processava nova cisão no interior do Partido Republicano Rio-Grandense (PRR), questionando o comando do Presidente do Estado Antônio Augusto Borges de Medeiros. Se em nível estadual a disputa era protagonizada por Ramiro Barcellos, desgostoso com a escolha de Hermes da Fonseca para concorrer à vaga senatorial do Estado, na esteira de urdiduras do Senador Pinheiro Machado, em Livramento o Coronel João Francisco Pereira de Souza – ex-todo-poderoso comandante do IIº Regimento Provisório estacionado no Quartel do Cati até 1909 –, fracassado em negócios privados e rompido com Borges e os Flores da Cunha desde 1910, tentava retorno à vida pública, tendo como principal aliado o Senador Pinheiro Machado, morto em 1915. O episódio ilustra a dinâmica das relações de poder no RS borgiano bem como o funcionamento do antigo PRR.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gunter Axt, Secretário Municipal de Cultura de Porto Alegre

Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo, SP, Brasil. Secretário Municipal de Cultura de Porto Alegre.

Referências

AITA, Carmen; AXT, Gunter. João Neves da Fontoura. Porto Alegre: ALRS, 1997.

AITA, Carmen; AXT, Gunter. José Antônio Flores da Cunha: discursos (1909-1930). Porto Alegre: ALRS. 1998.

ANAIS do Arquivo Histórico do RS. Política e poder nos primeiros anos da República: a correspondência entre Julio de Castilhos e seu secretário, Aurélio Viríssimo de Bitencourt. Porto Alegre: AHRSEDIPUCRS, 2009.

ANTONACCI, M. Antonieta. RS: as oposições e a Revolução de 1923. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1981.

AXT, Gunter. Gênese do estado burocrático-burguês no Rio Grande do Sul (1889-1928). 2001.Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2001.

AXT, Gunter. Votar por quê? Ideologia autoritária, eleições e Justiça no Rio Grande do Sul borgista. Justiça & História, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 175-216, 2001a.

AXT, Gunter. O Governo Getúlio Vargas no Rio Grande do Sul (1928-1930) e o setor financeiro regional. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 29, p. 119-140, 2002.

AXT, Gunter. Contribuições ao debate historiográfico concernente ao nexo entre Estado e sociedade para o Rio Grande do Sul castilhista-borgista. Métis, História & Cultura, Caxias do Sul, v. 1, n. 1, p. 39-70, 2002b.

AXT, Gunter. A dimensão política e social do contrabando no Rio Grande do Sul. História em Revista, Pelotas, v. 8, p. 69-110, 2002c.

AXT, Gunter. Constitucionalidade debatida: a polêmica Carta Estadual de 1891. Justiça & História, Porto Alegre, v. 2, n. 3, p. 305-344, 2002d.

AXT, Gunter. Coronelismo indomável: o sistema de relações de poder. In: BOEIRA, N., GOLIN, Tau (org.). História Geral do Rio Grande do Sul. Passo Fundo: Méritos, 2007. v. 3, t. 1, p. 89-128.

AXT, Gunter. Gênese do Estado moderno no Rio Grande do Sul (1889-1929). Porto Alegre: Paiol, 2011.

AXT, Gunter. O Judiciário e a dinâmica do sistema coronelista de poder no Rio Grande do Sul. Métis, História & Cultura, Caxias do Sul, v. 11, n. 21: p. 39-88, 2012.

AXT, Gunter. Ramiro Barcelos e as questões econômicas de seu tempo. In: FISCHER, L.A. (org.). Antônio Chimango. Poemas, crônicas, discursos e polêmicas de Ramiro Barcelos. Caxias do Sul: Modelo de Nuvem, 2016.

CABEDA, Rafael; COSTA, Rodolpho. Os crimes da ditadura. A história contada pelo dragão. Introduções de Gunter Axt e Coralio Cabeda. Porto Alegre: Memorial MPRS, 2002.

BAKOS, Margaret M. A continuidade administrativa no governo municipal de Porto Alegre – 1897/1937. 1986. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo (USP), São= Paulo, 1986.

BARETTA, Sílvio Rogério Duncan. Political Violence and Regime Change: a Study of the 1893 Civil War in Southern Brazil. 1985. Tese (Doutorado em Ciência Política) – University of Pittsburgh, Pensilvânia, 1985.

BIAVASCHI, Márcio Alex Cordeiro. Coronelismo e conflitos políticos em Santa Maria (1889-1930). Sociais e Humanas, Santa Maria, v. 19, n. 1, p. 61-77, 2006.

BODEA, Miguel. A greve geral de 1917 e as origens do trabalhismo gaúcho. Porto Alegre: L&PM, 1979.

BOEIRA, Nelson. O Rio Grande de Augusto Comte. In: DACANAL, J. H; GONZAGA, S. (org.). RS: Cultura e Ideologia. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1980. p. 34-59.

BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. São Paulo: Cia. Letras, 1996.

CABEDA, Corálio B. P. A noite do bambu. Justiça e História, Porto Alegre, v. 3, n. 2, p. 1-11, 2002.

CABEDA, Corálio B. P. Levantes Tenentistas: 1924-1926. Uma abordagem. In: AXT, G. (org.). As guerras dos gaúchos. História dos conflitos do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Nova Prova, 2008. p. 300-333.

CABRAL, Cid Pinheiro. O Senador de Ferro. Porto Alegre: Sulina, 1969.

CADORE, Marcos César. O Jogo do Poder: uma análise das relações coronelistas em Encantado (1914-1916). Encantado: BT, 2014.

CAGGIANI, Ivo. João Francisco: a hiena do Cati. Porto Alegre: Martins Livreiro, 1997.

CARONE, Edgar. A República Velha (evolução política). São Paulo: Difel, 1971.

CARVALHO, José Murilo de. Pontos e bordados. Escritos de História e Política. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

CESAR, Guilhermino. O contrabando no sul do Brasil. Caxias do Sul: UCS, 1978.

CONSTANTINO, Núncia Santoro de. Italianos no processo revolucionário. In: FLORES, M. (org.). 1893-95: A revolução dos maragatos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1993. p. 75-81.

CORONEL João Francisco. Conceitos emitidos a seu respeito por Julio de Castilhos, Pinheiro Machado e outros eminentes políticos, literatos, etc. 1895-1915. São Paulo: [s. n.], 1921.

DORATIOTO, Francisco F. Monteoliva. A política platina do Barão do Rio Branco. Revista Brasileira de Política Internacional, Rio de Janeiro, v. 43, n. 2, p. 130-149, 2000.

ESCOBAR, Wenceslau. 30 anos de ditadura rio-grandense. Rio de Janeiro: [s. n.], 1922.

FÉLIX, Loiva. Coronelismo, borgismo e cooptação política. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1987.

FÉLIX, Loiva. As relações coronelistas no estado borgista: discussão historiográfica. Estudos Leopoldenses, São Leopoldo, v. 28, n. 127, p. 67-85, 1992.

FLORES, Mariana Flores da Cunha Thompson. Contrabando na fronteira meridional do Brasil – por fora e por dentro da Alfândega (1845-1889). Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, São Leopoldo, v. 4, n. 7, p. 122-142, 2012.

FONSECA, Pedro Cézar Dutra. RS: economia & conflitos políticos na República Velha. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1983.

FONTOURA, João Neves da. Memórias. Borges de Medeiros e seu tempo. Porto Alegre: Globo, 1969.

FRANCO, Sérgio da Costa. O sentido histórico da Revolução de 1893. In: DAMASCENO, A. (org.). Fundamentos da cultura rio-grandense. Porto Alegre: UFRGS, 1962.

FRANCO, Sérgio da Costa. Júlio de Castilhos e sua Época. Porto Alegre: UFRGS, 1988.

FRANCO, Sérgio da Costa. O Partido Federalista. In: BOEIRA, N.; GOLIN, T.; AXT, G.; RECKZIEGEL, A. L. (org). História Geral do Rio Grande do Sul. Passo Fundo: Méritos, 2007. v. 3, t. 1, p. 129-170.

GERTZ, René E. A eleição de 1907 nas regiões de colonização alemã do Rio Grande do Sul. In: SULIANI, A. (org.). Etnias e carisma. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2001.

GRIJÓ, Luiz Alberto. Origens sociais, estratégias de ascensão e recursos dos componentes da chamada “geração de 1907”. 1998. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) – UFRGS, Porto Alegre, 1998.

HAMMERSCHMITT, Alini. O Jornal do Commércio como porta-voz do produtor arrozeiro (Cachoeira do Sul, 1905-1925). 2019. Tese (Doutorado em História) – Pontifícia Universidade Católica (PUCRS), Porto Alegre, 2019.

JANOTTI, Maria de Lourdes M. O Coronelismo: uma política de compromissos. São Paulo: Brasiliense, 1981.

JANOTTI, Maria de Lourdes M. O diálogo convergente: políticos e historiadores no início da República. In: FREITAS, M. C. (org.). Historiografia brasileira em perspectiva. São Paulo: Contexto, 1998.

LEAL, Victor Nunes. Coronelismo, enxada e voto. São Paulo: Alfa-ômega, 1978.

LOVE, Joseph L. O Regionalismo Gaúcho e as Origens da Revolução de 1930. São Paulo: Perspectiva, 1975.

LOVE, Joseph L.; FAUSTO, B. (org.). História Geral da Civilização Brasileira. Rio de Janeiro: Bertrand, 1989. v. I, t. III.

MANN, Michael. The autonomous power of the state: its origins, mechanisms and results. Archives Européennes de Sociologie, [S. I.], v. 25, n. 2, p. 185-213, 1984.

MEDEIROS, Manoel da Costa. História do Herval: descrição física e histórica. Caxias do Sul: UCS, 1980.

MÜLLER, Geraldo. Periferia e dependência nacional: estudo do desenvolvimento do capitalismo no Rio Grande do Sul. 1972. Dissertação (Mestrado em Geografia) – USP, São Paulo, 1972.

O ESTADO do Rio Grande do Sul. Barcelona: Monte Domeq, 1916.

ORICO, Osvaldo. Silveira Martins e sua época. Porto Alegre: Globo, 1935.

PESAVENTO, S. J. A República Velha Gaúcha: charqueadas, frigoríficos, criadores. Porto Alegre: Movimento/IEL, 1980.

PINTO, Céli Regina J. Contribuição ao estudo da formação do Partido Republicano Rio-grandense (1882-1891). 1979. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) – UFRGS, Porto Alegre, 1979.

PINTO, Céli Regina J. Positivismo: um projeto político alternativo (RS: 1889-1930). Porto Alegre: L&PM, 1986.

PINTO, Céli Regina J. Política rio-grandense na República Velha: a percepção das oposições. Análise Econômica, [S. I.], v. 5, n. 8, p. 83-111, 1987.

PRADO JÚNIOR, Caio. História econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1945.

RAMOS, Eloísa Capovilla da Luz. O Partido Republicano Rio-Grandense e o poder local no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. 1990. Dissertação (Mestrado em História) – UFRGS, Porto Alegre, 1990.

RECKZIEGEL, Ana Luiza Gobbi Setti. A diplomacia marginal. Vinculações políticas entre o Rio Grande do Sul e o Uruguai (1893-1904). Passo Fundo: UPF, 1999.

REINHEIMER, Dalva Neraci. A navegação fluvial na República Velha gaúcha, iniciativa privada e setor público: ações e implicações dessa relação. 2007. Tese (Doutorado em História) – Unisinos, São Leopoldo, 2007.

RODRIGUEZ, Ricardo Vélez. Castilhismo: uma filosofia da República. Caxias do Sul: UCS, 1980.

RÜCKERT, Fabiano Quadros. O saneamento e a politização da higiene do Rio Grande do Sul (1828-1930). Tese (Doutorado em História) – Unisinos, São Leopoldo, 2015.

SANCHEZ, Florencio. El caudillaje criminal en Sudamérica. In: Rama, C.; CAPPELLETTI, A. (org.). El anarquismo en America Latina. Caracas: Ayacucho, 1990. p. 202-213.

SILVA, J. Resende. A Fronteira do Sul. Estudo geográfico, econômico, histórico e fiscal. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1922.

SOUZA, João Francisco Pereira de. Aos Rio-grandenses castilhistas-pinheiristas. São Paulo: [s. n.], 1921.

SOUZA, João Francisco Pereira de. Psicologia dos acontecimentos políticos sul-rio-grandenses. São Paulo: Monteiro Lobato Editores, 1923.

SOUZA, João Francisco Pereira de. Noventa e Três. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1934.

SOUZA, Susana Bleil de. Comércio e contrabando na articulação do espaço fronteiriço platino. In: BOEIRA, N. et. ali (org.). História Geral do Rio Grande do Sul. Passo Fundo: Méritos, 2007. v. 3, t. 1, p. 305-334.

TAVARES, Francisco da Silva; TAVARES, Joca. Diários da Revolução de 1893. Porto Alegre: Nova Prova, 2004.

TRINDADE, Hélgio. Poder Legislativo e autoritarismo no RS. Porto Alegre: Sulina, 1980.

TRINDADE, Hélgio. Aspectos políticos do sistema partidário republicano rio-grandense (1882-1937). In: DACANAL, J. H., GONZAGA, S. (org.). RS: Economia e Política. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1993.

VIZENTINI, Paulo Fagundes. A crise dos anos 20. Porto Alegre: UFRGS, 1992.

WEBER, Beatriz Teixeira. As artes de curar: medicina, religião, magia e positivismo na República Rio-Grandense – 1889-1928. Bauru: EDUSC, 1999.

XARQUE Fresco. Indústria paulista. São Paulo: Vanorden, 1914.

Publicado
2021-11-04
Como Citar
Axt, G. (2021). “O Partido não é patrimônio de um”: Cisão republicana de 1915 no Rio Grande do Sul e as eleições municipais em Sant’Anna do Livramento. Estudos Ibero-Americanos, 47(3), e36539. https://doi.org/10.15448/1980-864x.2021.3.36539
Seção
Seção Livre