Tensões, disputas e conflitos étnicos no Norte do Brasil

O caso dos trabalhadores portugueses em Manaus, 1890-1930.

Palavras-chave: História Social do Trabalho, Conflitos étnicos, Imigrantes

Resumo

A chegada de um número significativos de  imigrantes portugueses à capital amazonense e sua atuação no período compreendido pela expansão e decadência da economia de exportação da borracha é tomada como mote para a compreensão das disputas e dos conflitos étnicos que se materializaram na formação do proletariado amazonense entre os anos de 1890 e 1930. Em que pese a insistência de lideranças operárias no sentido da reafirmação do internacionalismo da classe operária, as relações entre trabalhadores portugueses e brasileiros em Manaus foi tensa durante todo o período e muitas vezes assumiu preocupante radicalidade, lembrando, inclusive, os movimentos “fora galegos”, que ocorreram em diversas regiões do Brasil na segunda metade do século XIX. Não sem razão o uso de expressões e adjetivos depreciativos lançados aos portugueses – “galegos”, “pés de chumbo”, etc. – se manteve como prática comum na cidade, e se mostrou bastante amplificado entre os trabalhadores, principalmente no momento de derrocada econômica, transformando as tensões étnicas numa das mais sensíveis questões a dificultar a formação de uma classe operária consciente de seus papel e coesa em suas dimensões de organização, mobilização e luta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Balkar Sá Peixoto Pinheiro, Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus, AM, Brasil.

Doutor em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), em São Paulo, SP, Brasil. Professor Titular da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), em Manaus, AM, Brasil.

Referências

ALVES, Jorge Fernandes. Os Brasileiros: Emigração e retorno no Porto oitocentista. Porto (Portugal): Gráficos Reunidos, 1994.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: Entrevista a Bernardo Vecchi. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BENCHIMOL, Samuel. Manáos do Amazonas: memória empresarial. Manaus: Ed. Gov. do Estado do Amazonas/EDUA/ACA, 1994.

CAMPOS, Hermenegildo de. Climatologia Médica do Estado do Amazonas. 2ª ed. Manaus: A.C.A., 1988. (1ª ed. 1908).

CÁNOVAS, Maria Dalva Klaumman. Imigrantes espanhóis na paulicéia. São Paulo: Edusp, 2009.

CORREA, Luiz de Miranda. Roteiro Histórico e Sentimental da Cidade do Rio Negro. Manaus: Artenova, 1969.

COSTA, Deusa. Quando o viver ameaça a ordem urbana: trabalhadores de Manaus (1890-1915). Manaus: Valer, 2015.

DIAS, Ednea Mascarenhas. A ilusão do fausto: Manaus, 1890-1920. Manaus: Valer, 1999.

EMMI, Marília Ferreira. Um século de imigrações internacionais na Amazônia brasileira (1850-1950). Belém: NAEA, 2013.

HALL, Stuart. Quem precisa da identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. 15ª ed. Petrópolis: Vozes, 2014, p. 103-133.

KLEIN, Herbert. Migração internacional na história das Américas. In: FAUSTO, Boris (Org). Fazer a América: A imigração em massa para a América latina. São Paulo: EDUSP, 2000, p. 13-31.

LINDEN, Marcel van der. Trabalhadores do mundo: Ensaios para uma história global do trabalho. Campinas: Editora da UNICAMP, 2003.

MARAM, Sheldon Leslie. Anarquistas, imigrantes e o movimento operário brasileiro, 1890-1920. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

MATTA, Alfredo da. Geografia e Topografia Médica de Manaus: Manaus: Typ. Renaud, 1916.

MESQUITA, Otoni Moreira de. Manaus: História e Arquitetura, 1852-1910. Manaus: EDUA, 1997.

MONTEIRO, Mário Ypiranga. Fundação de Manaus. 3ª ed. aumentada. Rio de Janeiro: Conquista, 1971.

PINHEIRO, Geraldo Pantaleão Sá Peixoto. Imprensa, política e etnicidade: Portugueses letrados na Amazônia (1885 – 1936). Tese (Doutorado em História) – Universidade do Porto. Porto (Portugal), 2012.

PINHEIRO, Luís Balkar Sá Peixoto. Lideranças estrangeiras entre os trabalhadores manauaras (1910-1930). Revista Mundos do Trabalho, vol. 9, nº 17, p. 79-100, janeiro-julho de 2017.

PINHEIRO, Maria Luiza Ugarte. A cidade sobre os ombros: trabalho e conflito no porto de Manaus, 1899-1925. Manaus: EDUA, 1999.

RAMALHO JUNIOR, José Cardoso. Mensagem do Exmo. Sr. José Cardoso Ramalho Júnior Vice-Governador do Estado lida perante o Congresso dos Representantes, por ocasião da abertura da primeira sessão ordinária da terceira legislatura, em 10 de julho de 1898. Manaus: Imprensa Oficial, 1898.

SARGES, Maria de Nazaré et al. (Orgs). Entre mares: O Brasil dos portugueses. Belém: Paka-Tatu, 2010.

SAYAD, Abdelmalek. A imigração: ou os paradoxos da alteridade. São Paulo: EDUSP, 1998.

VAQUINHAS, Irene Maria. “Fora Galego: um caso de antilusitanismo no Pará na década de setenta do século XIX”. In: ALVES, Jorge Fernandes. Os “Brasileiros” da emigração. Vila Nova de Famalicão (Portugal): Edições Imparciais, 1999, p. 80-91.

VILEROY, Augusto Ximeno. Como se deve povoar o solo amazônico. In: MIRANDA, Bertino de (Org). Annaes do congresso comercial, industrial e agrícola. Manaus: Palais Royal, 1911, p. 19-26.

Publicado
2021-11-08
Como Citar
Pinheiro, L. B. S. P. (2021). Tensões, disputas e conflitos étnicos no Norte do Brasil: O caso dos trabalhadores portugueses em Manaus, 1890-1930. Estudos Ibero-Americanos, 47(3), e35888. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2021.3.35888
Seção
Seção Livre