O velho oeste transforma-se num celeiro agrícola: imprensa, colonização e historicidade entre refugiados da Segunda Guerra no Brasil (Guarapuava/PR)

Palavras-chave: História Agrária, Suábios do Danúbio, Identidade, Historicidade

Resumo

O artigo enfoca narrativas publicadas em 1991 e 1992 pelo Jornal de Entre Rios em comemoração aos 40 anos de fundação do distrito de mesmo nome no município de Guarapuava, região centro-sul do Paraná. A localidade de Entre Rios foi fundada entre março de 1951 e janeiro de 1952, com a fixação de cerca de 2.500 imigrantes refugiados da Segunda Guerra Mundial, oriundos de áreas da antiga Iugoslávia, Hungria e Romênia, que se identificam coletivamente como suábios do Danúbio e estavam exilados desde 1944 na Áustria.  O recorte proposto pelo presente artigo é analisar as formas como diferentes eventos são narrados pelo referido Jornal, articulando-os a diferentes temporalidades. Serão analisadas as discursividades que envolvem essas narrativas sobre o passado do grupo da Europa, sobre os primeiros anos no Brasil, o presente da comunidade e as suas expectativas de futuro, destacando-se as formas de ligação dessas temporalidades com noções de historicidade e de desenvolvimento agrícola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Nestor Stein, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Marechal Cândido Rondon, PR.

Doutor em História Cultural pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC, Florianópolis, SC, Brasil). Professor da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) em Marechal Cândido Rondon, PR, Brasil. Pesquisador do INCT Proprietas: História Social da Propriedade e Direitos de Acesso.

Beatriz Anselmo Olinto, Universidade Estadual do Centro Oeste do Paraná (UNICENTRO), Guarapuava, PR.

Doutora em História Cultural pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC, Florianópolis, SC, Brasil). Professora da Universidade Estadual do Centro Oeste (UNICENTRO), Guarapuava, PR, Brasil. Pesquisadora do INCT Proprietas: História Social da Propriedade e Direitos de Acesso.

Referências

CASAGRANDE, Thomas. Die Volksdeutschen SS-Division “PrinzEugen”. Die Banater Schwaben und die National-Socialistischen Kriegsverbrechen. Frankfurt: Campus Verlag, 2001.

COOPERATIVA AGRÁRIA MISTA ENTRE RIOS LTDA. Documentário Ilustrado da Colonização Suábio-Danubiana. Campinas, SP: Cartgraf, 1976.

ELFES, Albert. Suábios no Paraná. Curitiba, PR: [s. n.], 1971.

FERNANDES, Márcio; HORST, Sheila Joanne; GIORDANI, Renatha. 100 anos de imprensa em Guarapuava: veículos, circulação e personagens. Disponível em: http://repositorio.unicentro.br:8080/jspui/bitstream/123456789/1248/29/FERNANDES%2C%20HOSRT%20%26%20GIORDANI%20%20100%20Anos%20de%20Imprensa%20em%20Guarapuava.pdf. Acesso em: 27 maio 2019

FRÖSCH, Max. Guarapuava: Die Donauschwäbische Flüchtlings-Siedlung in Brasilien. Freilassig: Pannonia Verlag, 1958.

FROTSCHER, Méri; STEIN, Marcos Nestor. “E estava tudo bem até começar a guerra”: sofrimentos e ressentimentos em narrativas orais de uma refugiada da II Guerra Mundial no Brasil. In: WADI, Yonissa (org.). Narrativas sobre loucuras, sofrimentos e traumas. Curitiba, PR: Máquina de Escrever, 2016. p. 175-202.

FROTSCHER, Méri; STEIN, Marcos Nestor; OLINTO, Beatriz Anselmo. Memória, ressentimento e politização do trauma: narrativas da II Guerra Mundial (Suábios do Danúbio de Entre Rios, Guarapuava-PR). Revista Tempo, Rio de Janeiro, v. 20, p. 1-26, 2014.

https://doi.org/10.20509/TEM-1980-542X2014v203620.

FROTSCHER, Méri; STEIN, Marcos Nestor; OLINTO, Beatriz Anselmo. “Eles também não tinham nada”: narrativas orais de deslocamentos e encontros identitários em Entre Rios (Guarapuava – PR). Diálogos, Maringá, v. 8, n. 13, p. 1039-1067, set./dez. 2014.

GOSSNER, Walter. Die Siedlung der Donauschwaben im Municip Guarapuava im brasilianischen Staate Paraná.

Bericht über die Ergebnisse der im Auftrage der Schweizer Europahilfe durchgeführten Untersuchung. Jundiaí: März 1952. Mimeo.

HARTOG, François. Evidência da história: o que os historiadores veem. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2011.

HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2015.

JORNAL DE ENTRE RIOS. Entre Rios, Gebê Representações e Negócios. 1986-1988.

JORNAL DE ENTRE RIOS. Entre Rios, Sistema Entre Rios de Comunicação. 1988-1993.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto/PUC, 2009.

LERMEN, Nathan Henrique da Silva. “Rostos apátridas”: uma leitura da memória suábia através de seus periódicos comemorativos. Relatório Final de Iniciação Científica. (Graduação em História), UNICENTRO, 2019.

LUCA, Tânia R. de. A Revista do Brasil (1916-1944): notas de pesquisa. In: FERREIRA, Antônio Celso; BEZERRA, Holien Gonçalves; LUCA, Tânia Regina de. O historiador e seu tempo. São Paulo: UNESP/ ANPUH, 2008. p. 117-138.

MICHELZ, Johana Elisabeth. Campesinato X Agricultura Capitalista em Entre Rios: 1951-1985. Monografia (Especialização em História econômica do Brasil) Guarapuava: Fundação Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Guarapuava. 1989.

OLINTO, Beatriz Anselmo; FROTSCHER, Méri. Narrativas de sofrimento, narrativas de firmação: reflexões sobre a autobiografia de uma refugiada da II Guerra Mundial. In: WADI, Yonissa. (org.). Narrativas sobre loucuras, sofrimentos e traumas. Curitiba, PR: Máquina de Escrever, 2016. p. 203-222.

OLINTO, Beatriz Anselmo; STEIN, Marcos Nestor. “Um resumo do Brasil”: diferença e historicidade na construção do rural no Paraná. Topoi (Rio J.), Rio de Janeiro, v. 20, n. 42, p. 751-774, Set. 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.phpscript=sci_arttext&pid=S2237101X2019000300751&lng=en&nrm=io. Acesso em 30 Jan. 2020. https://doi.org/10.1590/2237-101x02004210.

SAUNDERS, Rebecca. Sobre o intraduzível; sofrimento humano, a linguagem de Direitos Humanos e a Comissão de Verdade e Reconciliação da África do Sul. SUR Revista Internacional de Direitos Humanos, São Paulo, Ano 5, n. 9, p. 52-75, dez. 2008. https://doi.org/10.1590/S180664452008000200004.

SCHERER, Anton. Seit 42 Jahren heißen wir Donauschwaben. In: Volkskalender 1964. Ein Jahrbuch des Gesamten Donauschwabentums. Ulm: Kultur und Social werk der Donauschwaben. 1964. p. 64-68.

STEIN, Marcos Nestor. O oitavo dia: produção de sentidos identitários na Colônia Entre Rios-PR. Guarapuava, PR: Editora da UNICENTRO, 2011.

STEIN, Marcos Nestor; OLINTO, Beatriz Anselmo; FROTSCHER, Méri. Um Paraná esquecido: deslocamentos, memórias e conflitos em Guarapuava-PR. In: COSTA, Hílton; PEGORARO, Jonas W;

STANCZY FILHO, Mílton. O Paraná pelo caminho: história, trajetórias e perspectivas. Curitiba, PR: Máquina de Escrever, 2017. v. III: movimentos. p. 71-99.

Publicado
2020-08-11
Como Citar
Stein, M. N., & Olinto, B. A. (2020). O velho oeste transforma-se num celeiro agrícola: imprensa, colonização e historicidade entre refugiados da Segunda Guerra no Brasil (Guarapuava/PR). Estudos Ibero-Americanos, 46(2), e35171. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2020.2.35171
Seção
Imprensa, cultura e circulação de ideias