Os afazeres do intelectual em tempos de crise

responsabilidade e expectativa no discurso de agradecimento de Caio Prado Júnior pelo prêmio Juca Pato

Palavras-chave: Caio Prado Júnior, Prêmio Juca Pato, Intelectuais, Esfera Pública, Tempo histórico

Resumo

O discurso de agradecimento de Caio Prado Júnior pelo prêmio Juca Pato, lido no auditório da Folha de S.Paulo, durante a noite de 28 de março de 1967, é, neste artigo, uma oportunidade de incursão na história intelectual de um período marcado pela transição de uma esfera pública democrática para uma esfera pública autoritária. A premiação decorreu da repercussão alcançada pelo livro A revolução brasileira, primeira reflexão de peso sobre os erros cometidos pelos setores progressistas, na conjuntura final da República de 1946. Em seu discurso, o historiador tratou da responsabilidade do intelectual para enfrentar o fechamento de horizontes e de perspectivas futuras de um país que ainda vivia uma modernidade inconclusa. A expectativa quanto ao futuro do Brasil, em um momento de crise das instituições de representação democrática, leva a uma reflexão sobre o tempo histórico no pensamento social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sérgio de Sousa Montalvão, Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ, Brasil.

Doutor em História, Política e Bens Culturais pelo Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getúlio Vargas (CPDOC/ FGV). Professor da Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ, Brasil

Referências

BOURDIEU, Pierre. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio (org.). Escritos de educação. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 1998. p. 71-79.

BRANDÃO, Gildo Marçal. Esquerda positiva: as duas almas do PCB. São Paulo: Hucitec, 1997.

BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos. De volta ao capital mercantil. In: D´INCAO, Maria Ângela (org.). História e ideal. Ensaios sobre Caio Prado Júnior. São Paulo: Brasiliense: Unesp, 1989. p. 279-297.

BURAWOY, Michael. For public sociology. American Sociological Review, [S. I.], v. 70, p. 4-28, Feb. 2005. Disponível em: http://burawoy.berkeley.edu/Public%20Sociology,%20Live/Burawoy.pdfhttp://burawoy.berkeley.edu/PS/ASA%20Presidential%20Address.pdf. Acesso em: 21 jun. 2018.

CÔRTES, Norma. Esperança e democracia. As ideias de Álvaro Vieira Pinto. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2003.

CUNHA, Luiz Antônio. A universidade crítica. O ensino superior na república populista. 3. ed. São Paulo: UNESP, 2007.

DECLARAÇÃO sobre a política do Partido Comunista Brasileiro, de março de 1958. In: PCB: vinte anos de política, 1958-1979: documentos. São Paulo: LECH, 1980. p. 3-27. 353 p. (A Questão Social no Brasil, 7).

DISCURSO de agradecimento de Caio Prado Júnior pelo prêmio Juca Pato de intelectual do ano de 1966. In: Biblioteca Nacional Digital. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/projetos/expo/caioprado/PDFs/Discursojucapato.pdf. Acesso em: 8 mar. 2018.

DOMINGUES, Ivan. O intelectual público, a ética republicana e a fratura éthos da ciência. Scientiae Studia, São Paulo, v. 9, n. 3, p. 463-485, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-31662011000300002. Acesso em: 21 dez. 2018.

DURHAM, Eunice. Educação superior, pública e privada (1808-2000). In: BROCK, Colin; SCHWARTZMAN, Simon (org.). Os desafios da educação no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005. p. 197-240.

FRANCO, Maria Sylvia Carvalho. O tempo das ilusões. In: CHAUÍ, Marilena; FRANCO, Maria Sylvia Carvalho (org.). Ideologia e mobilização popular. São Paulo: CEDEC: Paz e Terra, 1978. p. 151-209.

HALLEWELL, Laurence. O livro no Brasil. Sua história. 3. ed. São Paulo, Edusp, 2005.

HABERMAS, Jürgen. Mudança estrutural na esfera pública: Investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. São Paulo: UNESP, 2014.

IANNI, Octávio. O colapso do populismo no Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

JACKSON, Luiz Carlos. Tensões e disputas na sociologia paulista (1940-1970). Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 22, n. 65, p. 33-49, out. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v22n65/a04v2265.pdf. Acesso em: 10 nov. 2018.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado. Contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto: Editora PUC-Rio, 2006.

LIMA, Nísia Trindade. Um sertão chamado Brasil. Intelectuais e representação geográfica da identidade nacional. Rio de Janeiro: Revan: IUPERJ, 1999.

MANTEGA, Guido. A economia política brasileira. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 1992.

MENDONÇA, Ana Waleska. A universidade no Brasil. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, v. 14, n. 14, p. 131-150, 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n14/n14a08.pdf. Acesso em: 1 ago. 2018.

MONTALVÃO, Sérgio de Sousa. O sentido da nação: um estudo sobre o pensamento e a ação política de Caio Prado Júnior. 2001. Dissertação (Mestrado em História Social) – Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, 2001.

MONTALVÃO, Sérgio de Sousa. Histórias cruzadas: uma prosopografia dos fundadores da Revista Brasiliense (São Paulo, 1955). História, São Paulo, p. 1-28, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/his/v36/0101-9074-his-36-e7.pdf. Acesso em: 13 maio 2018.

NUNES, Edson de Oliveira. A gramática política do Brasil. Clientelismo, corporativismo e insulamento burocrático. 4. ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2010.

PANDOLFI, Dulce. Camaradas e companheiros. História e memória do PCB. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1995.

PERICÁS, Luiz Bernardo. Caio Prado Júnior: uma biografia política. São Paulo: Boitempo, 2016.

PERLATTO, Fernando. Seletividade da esfera pública e esferas públicas subalternas: disputas e possibilidades na modernização brasileira. Revista de Sociologia e Política, [S. I.], v. 23, n. 53, p. 121-145, 2015. Disponível em: https://www.dx.doi.org/10.1590/1678-987315235307. Acesso em: 10 maio 2018.

PERLATTO, Fernando. A imaginação sociológica brasileira: a sociologia no Brasil e sua vocação pública. Curitiba: CRV, 2016.

PRADO JÚNIOR, Caio. Formação do Brasil contemporâneo. São Paulo: Publifolha, 2000. (Coleção Grandes Nomes do Pensamento Brasileiro).

PRADO JÚNIOR, Caio. A revolução brasileira e Questão agrária no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

RICUPERO, Bernardo. Caio Prado Júnior e a nacionalização do marxismo no Brasil. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

SAID, Edward. Representações do intelectual. As conferências Reith de 1993. São Paulo: Cia. das Letras, 2005.

SANTOS, Raimundo. Caio Prado Júnior na cultura brasileira. Rio de Janeiro: Mauad/Faperj, 2001.

SIRINELLI, Jean-François. Os intelectuais. In: REMOND, René (org.). Por uma história política. Rio de Janeiro: FGV/UFRJ, 1996. p. 231-269.

VILLAS BÔAS, Glaucia. A vocação das ciências sociais no Brasil. Um estudo sobre a sua produção em livros do acervo da Biblioteca Nacional (1945-1966). Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 2007.

WERNECK VIANNA, Luiz. A institucionalização das ciências sociais e a reforma social: do pensamento social à agenda americana de pesquisa. In: WERNECK VIANNA, Luiz. A revolução passiva. Iberismo e americanismo no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro, 2004. p. 195-242.

WINOCK, Michael. O século dos intelectuais. São Paulo: Bertrand Brasil, 1997.

Publicado
2021-08-30
Como Citar
Montalvão, S. de S. (2021). Os afazeres do intelectual em tempos de crise: responsabilidade e expectativa no discurso de agradecimento de Caio Prado Júnior pelo prêmio Juca Pato. Estudos Ibero-Americanos, 47(2), e34319. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2021.2.34319
Seção
Seção Livre