Cordões e Canboulay Bands

Performances negras no Pós Abolição (Rio de Janeiro e Port-of-Spain)

Palavras-chave: Carnaval, Performances Negra, Pós-Abolição, Rio de Janeiro, Port-of-Spain

Resumo

Este artigo pretende analisar de forma transnacional performances negras carnavalescas dos cordões e das canboulay bands nas cidades de Rio de Janeiro, Brasil, e Port-of-Spain, Trindad e Tobago, no período Pós Abolição. Pretende-se compreender as estratégias coletivas de sujeitos negros para construir espaços de autonomia e reivindicar e ocupar espaços públicos em contextos de hegemonia de visões racializadas e racistas. Essa perspectiva comparativa nos permite refletir sobre o Pós-Abolição como problema histórico Atlântico, aproximando o Caribe e o Atlântico Sul. Para tanto, utilizaremos fontes primárias de arquivos no Rio de Janeiro e em Londres, especialmente documentação policial e governamental, no National Archives, e no Arquivo Nacional do Brasil, e periódicos, arquivados na British Library e na Biblioteca Nacional. Concluímos que os sujeitos criadores dos cordões e canboulay bands produziram performances negras dissidentes e comunicaram a públicos amplos e variados identidades que conjugavam práticas afro americanas e expressões de resistência aos ataques de forças públicas, ao passo que reforçavam sua humanidade frente a estereótipos sobre o ser negro no Pós-Abolição nas Américas, seja em contexto colonial seja em uma república independente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eric Brasil, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (UNILAB), São Francisco do Conde, BA, Brasil.

Doutor em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói; professor da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (UNILAB), campus dos Malês, em São Francisco do Conde, BA, Brasil.

Referências

ASSUNÇÃO, M. R. Juegos de Palo em Lara. Elementos para la historia social de um arte marcial venezolana. Revista de Índia, v. LIX, n. 215, p. 35, 1999.

ASSUNÇÃO, M. R. Capoeira: A History of an Afro-Brazilian Martial Art. Londres & New York: Routledg Taylor & Francis Group, 2005. https://doi.org/10.4324/9780203494769.

ASSUNÇÃO, M. R. Stanzas and Sticks: Poetic and Physical Challenges in the Afro-Brazilian Culture of the Paraíba Valley, Rio de Janeiro. History Workshop Journal, v. 77, n. 1, p. 103–136, 20 abr. 2014. https://doi.org/10.1093/hwj/dbt007.

BRASIL, E. Cucumbis Carnavalescos: Áfricas, carnaval e abolição (Rio de Janeiro, década de 1880). Afro-Ásia, n. 49, p. 273–312, jun. 2014. https://doi.org/10.1590/S0002-05912014000100009.

BRASIL, E. Carnavais Atlânticos: Cidadania e Cultura Negra no pós-abolição do Rio de Janeiro, Brasil e Porto de Espanha, Trinidad (1838-1920). 2016. Tese (Doutorado em História Social) - Departamento de História, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2016a.

BRASIL, E. A corte em festa: experiências negras em carnavais do Rio de Janeiro (1879-1888). Curitiba: Editora Prismas, 2016b.

BRASIL, E. Carnaval como direito: A Revolta Canboulay de 1881, em Porto de Espanha, Trinidad. Revista Eletrônica da ANPHLAC, v. 0, n. 0, p. 48–77, 27 jun. 2016c. https://doi.org/10.46752/anphlac.20.2016.2477.

BRASIL, E. Abolição e Carnaval: performance e experiência social negra em Trinidad (cc. 1790-1850). Revista de Estudos e Pesquisas sobre as Américas, Brasília, v. 12, n. 3, 2018. https://doi.org/10.21057/repamv12n3.2018.30939.

BRERETON, B. A History of Modern Trinidad: 1783-1962. Portsmouth: Heinemann, 1981.

BRERETON, B. Race Relations in Colonial Trinidad 1870-1900. Cambridge: Cambridge University Press, 2002.

BROOKS, D. Bodies in dissent: spectacular performances of race and freedom, 1850-1910. Durham: Duke University Press, 2006. https://doi.org/10.2307/j.ctv125jkz8.

BUTLER, K. D. Freedoms Given, Freedoms Won: Afro-Brazilians in Post-abolition, São Paulo and Salvador. New Brunswick: Rutgers University Press, 1998.

BUTLER, K. D. Masquerading Africa in the Carnival of Salvador, Bahia, Brazil 1895–1905. African and Black Diaspora: An International Journal, v. 10, n. 2, p. 203–227, 4 maio 2017. https://doi.org/10.1080/17528631.2016.1189690.

CHALHOUB, Sidney. Visões da liberdade uma história das últimas décadas da escravidão na corte. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

COWLEY, J. Carnival, Canboulay and Calypso: Traditions in the Making. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

CROWLEY, D. J. The Traditional Masques of Carnival. Caribbean Quarterly, v. 4, n. 3, p. 194–223, 1956. https:// doi.org/10.1080/00086495.1956.11829671.

CUNHA, M. C. P. Ecos Da Folia. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

CUNHA, M. C. P. Vários Zés, um sobrenome: as muitas faces do senhor Pereira no carnaval carioca da virada do século. In: CUNHA, M. C. P. Carnavais e outras F(R) estas. Ensaios de história social da cultura. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2002. p. 371–408.

CUNHA, M. C. P. Não tá sopa: Sambas e sambistas no Rio de Janeiro, de 1890 a 1930. Campinas: Fundação de Desenvolvimento da Unicamp, 2016.

DEWULF, J. From the Calendas to the Calenda: On the Afro-Iberian Substratum in Black Performance Culture in the Americas. Journal of American Folklore, v. 131, n. 519, p. 3–29, 2018.

ELDER, J. D. Cannes Brûlées. TDR (1988-), v. 42, n. 3, p. 38–43, 1998. https://doi.org/10.1162/105420498760308436.

FONER, E. Nada além da liberdade: a emancipação e seu legado. São Paulo: Paz e Terra, 1988.

GILROY, P. O atlântico negro: modernidade e dupla consciência. Rio de Janeiro: Editora 34, 2001.

GREEN, G. L.; SCHER, P. W. Trinidad Carnival: The Cultural Politics of a Transnational Festival. Bloomington: Indiana University Press, 2007.

HERTZMAN, M. A. Making Samba: A New History of Race and Music in Brazil: Durham: Duke University Press, 2013. https://doi.org/10.1215/9780822391906.

HOLT, T. C. The Problem of Freedom: Race, Labor, and Politics in Jamaica and Britain, 1832-1938. Baltimore: JHU Press, 1992.

KONINGSBRUGGEN, P. V. Trinidad Carnival: A Quest for National Identity. London: Macmillan Caribbean, 1997.

LEWIS, M. Warner. Central Africa in the Caribbean transcending time, transforming cultures. Kingston, Jamaica: University of West Indies Press, 2003.

LIVERPOOL, H. C. Rituals of Power and Rebellion: The Carnival Tradition in Trinidad and Tobago, 1763-1962. Chicago: Research Associates School Times, 2001.

LOPES, A. H. Performance e história. Fundação Casa de Rui Barbosa, 1994. p. 16.

MORAES, E. História do carnaval carioca. Rio de Janeiro: Ed. Record, 1987.

POWRIE, B. E. The Changing Attitude of the Coloured Middle Class Towards Carnival. Caribbean Quarterly, v. 4, n. 3/4, p. 224–232, 1956. https://doi.org/10.1080/00086495.1956.11829672.

RIO, J. Do. A Alma Encantadora das Ruas. Rio de Janeiro: Cidade Viva, 2010.

SOARES, C. E. L. A negregada instituição: Os capoeiras no Rio de Janeiro, 1850 – 1890. Tese (Doutorado em História) -- Unicamp, Campinas, 1993.

SOARES, C. E. L. Festa e violência: os capoeiras e as festas populares na Corte do Rio de Janeiro (1809-1890). In: SOARES, C. E. L. Carnavais e outras F(R)estas. Ensaios de história social da cultura. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2002

ZUMTHOR, P. Performance, recepção, leitura. São Paulo: Ubu Editora, 2018.

Publicado
2020-12-16
Como Citar
Brasil, E. (2020). Cordões e Canboulay Bands: Performances negras no Pós Abolição (Rio de Janeiro e Port-of-Spain). Estudos Ibero-Americanos, 46(3), e33507. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2020.3.33507
Seção
Seção Livre