Memória, esquecimento e tortura em La Jetée e On vous parle du Brésil, de Chris Marker, e na poesia de presos políticos no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15448/1984-7726.2022.1.43123

Palavras-chave:

poesia de presos políticos, literatura e cárcere, memória, Testemunho, psicanálise

Resumo

O curta-metragem La Jetée (1962), de Chris Marker, produz, em fotomontagem, uma narrativa que põe em cena o debate sobre as noções de memória e de trauma. Ambos os temas parecem retornar em duas películas posteriores do mesmo diretor, On vous parle du Brésil: Tortures (1969) e On vous parle du Brésil: Carlos Marighella (1970), nas quais se trata da institucionalização da tortura policial durante a ditadura militar brasileira. Os debates suscitados pelos filmes são determinantes para o estudo do testemunho de vítimas e sobreviventes de ditaduras e genocídios, tocando no ponto em que se articula memória e esquecimento nas experiências individuais e coletivas. As práticas autoritárias nas sociedades revelam, como sintoma, um elevado índice de encarceramentos por motivações e forças ideológicas, cujas vítimas são comumente chamadas de presos políticos. Se os registros oficiais excluem e manipulam as histórias desses indivíduos a fim de ocultar os crimes cometidos pelos aparelhos de Estado, certa parcela dessas histórias se conserva e se transmite por vias alternativas, como em relatos, depoimentos, cartas e textos literários. Apesar de receber menos atenção que a prosa nesse contexto, a poesia também se tornou um importante espaço de testemunho para as vítimas, estabelecendo-se como uma forma de conservação da memória dos excluídos/silenciados. Nesse sentido, este trabalho tem por premissa aproximar os curtas La Jetée, On vous parle du Brésil: Tortures e On vous parle du Brésil: Carlos Marighella à produção de poesia no contexto do cárcere político durante a ditadura militar brasileira, com atenção especial aos poetas Alex Polari, Pedro Tierra, Lara de Lemos, Gilney Viana e Marcelo Mário de Melo, a partir das noções de memória, esquecimento e trauma, em diálogo com as contribuições de Paul Ricoeur e Sigmund Freud. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nelson Martinelli Filho, Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), Vitória, ES, Brasil.

Doutor em Letras pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), em Vitória, ES, Brasil; com pós-doutorado em Letras pela mesma instituição. Professor do Instituto Federal do Espírito Santo Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes – Profletras/PPGEH), em Vitória, ES, Brasil, e professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Espírito Santo (PPGL/Ufes). Bolsista de Produtividade em Pesquisa PQ-2 do CNPq.

Referências

ALLEG, Henri. La question. Paris: Les Éditions de Minuit, 1961.

BENJAMIN, Walter. Paris do Segundo Império. In: BENJAMIN, Walter. Charles Baudelaire um lírico no auge do capitalismo. Tradução de José Martins Barbosa, Hemerson Alves Baptista. São Paulo: Brasiliense, 1989. p. 197-221.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de História. In: BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 222-232.

CÍCERO. Do orador. Tradução de Adriano Scatolin. In: SCATOLIN, Adriano. A invenção no Do orador de Cícero: um estudo à luz de Ad Familiares I, 9, 23. 2009. 308f. Tese (Doutorado em Letras Clássicas) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo. p. 147-308.

CROOMBS, Matthew. La Jetée in Historical Time: Torture, Visuality, Displacement. Cinema Journal, [S. l.], v. 56, n. 2, p. 22-45, 2017.

FREUD, Sigmund. Além do princípio do prazer. In: FREUD, Sigmund. Obras completas: História de uma neurose infantil (“O homem dos lobos”), Além do princípio do prazer e outros textos (1917-1920). Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010a. v. 14, p. 161-239.

FREUD, Sigmund. Obras completas, a interpretação dos sonhos. Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2019. v. 4.

FREUD, Sigmund. Recordar, repetir e elaborar. In: FREUD, Sigmund. Observações psicanalíticas sobre um caso de paranoia relatado em autobiografia (“O caso Schereber”): artigos sobre técnica e outros textos (1911-1913). Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010b. p. 193-209.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar escrever esquecer. São Paulo: Ed. 34, 2006.

GARCIA-ROZA, Luiz Alfredo. A interpretação do sonho, 1900. 8. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

LA JETÉE. Direção: Chris Marker. França: Argos Films, 1962. Versão digital (28 min.), son., p&b.

LEMOS, Lara de. Adaga lavrada. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira; São Paulo: Massao Ohno, 1981.

LEMOS, Lara de. Poesia completa I. Porto Alegre: EDIPUCRS/Movimento, 2017.

MARIGHELLA, Carlos. Rondó da liberdade: poemas. São Paulo: Editora Brasiliense, 1994.

MELO, Marcelo Mário de. Adversos Resistentes. Recife: MMM Produtos Culturais, 2019.

MENDES, Igor. A pequena prisão. São Paulo: n-1 edições, 2017.

ON VOUS parle du Brésil: Carlos Marighella. Direção: Chris Marker. França: Iskra, 1970. Versão digital (20 min.), son., p&b.

ON VOUS parle du Brésil: Tortures. Direção: Chris Marker. França: Iskra, 1969. Versão digital (24 min.), son., p&b.

POLARI, Alex. Camarim de prisioneiro. São Paulo: Global, 1980.

POLARI, Alex. Inventário de cicatrizes. 4. ed. Rio de Janeiro: Global, 1979.

PUCHEU, Alberto (org.). Poemas para exumar a história viva: um espectro ronda o Brasil. São Paulo: Editora Cult, 2021.

RIBEIRO, Thales de Medeiros. A poesia dos presos políticos. Travessias, v. 14, n. 2, p. 177-197, maio/ago. 2020.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Tradução de Alain Fraçois et al. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2007.

SALGUEIRO, Wilberth. Trauma e resistência na poesia de testemunho do Brasil contemporâneo. MOARA, [S. l.], v. 44, p. 120-139, 2015.

SAUMELL-MUÑOZ, Rafael E. El outro Testimonio: literatura carcelaria en América Latina. Revista Iberoamericana, [S. l.], v. LIX, n. 164-165, p. 497-507, jul./dic. 1993.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Apresentação da questão: a literatura do trauma. In: SELIGMANN-SILVA, Márcio (org.). História, memória, literatura. Campinas: Editora da Unicamp, 2003a. p. 45-58.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. O testemunho: entre a ficção e o “real”. In: SELIGMANN-SILVA, Márcio (org.). História, memória, literatura. Campinas: Editora da Unicamp, 2003b. p. 371-385.

TIERRA, Pedro. Poemas do povo da noite. São Paulo: Editorial Livramento, 1979.

TODOROV, Tzvetan. Los abusos de la memoria. Tradução de Miguel Salazar. Barcelona: Ediciones Paidós Ibérica, 2000.

VIANA, Gilney. Poemas (quebrados) do cárcere. Rio de Janeiro: Garamond, 2011.

Downloads

Publicado

2022-11-17

Como Citar

Filho, N. M. (2022). Memória, esquecimento e tortura em La Jetée e On vous parle du Brésil, de Chris Marker, e na poesia de presos políticos no Brasil. Letras De Hoje, 57(1), e43123. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2022.1.43123

Edição

Seção

DOSSIÊ LITERATURA – LITERATURA DO CONFINAMENTO